Resumo despesas públicas
89 pág.

Resumo despesas públicas


DisciplinaAdministração Financeira e Orçamentária I1.930 materiais16.577 seguidores
Pré-visualização20 páginas
de classificação estruturado. Esse sistema tem o propósito de atender às exigências de informação demandadas por todos os interessados nas questões de finanças públicas, como os poderes públicos, as organizações públicas e privadas e a sociedade em geral. 
Na estrutura atual do orçamento público, as programações orçamentárias estão organizadas em programas de trabalho, que contêm informações QUALITATIVAS e QUANTITATIVAS, sejam físicas ou financeiras.
COMPONENTES DA PROGRAMAÇÃO FÍSICA E FINANCEIRA
1- Programação Física:
Meta física: é a quantidade de produto a ser ofertado por ação, de forma regionalizada, e instituída para o exercício. As metas físicas são indicadas em nível de subtítulo. 
Ressalte-se que a territorialização das metas físicas é expressa nos localizadores de gasto previamente definidos para a ação. 
Exemplo: No caso da vacinação de crianças, a meta será regionalizada pela quantidade de crianças a serem vacinadas ou de vacinas empregadas em cada Estado (localizadores de gasto), ainda que a campanha seja de âmbito nacional e a despesa paga de forma centralizada. O mesmo ocorre com a distribuição de livros didáticos.
Q235543 No curso da programação física e financeira da despesa, a demarcação territorial das metas físicas é expressa nos localizadores de gasto previamente definidos para cada ação
CORRETO. Está no MTO. A territorialização das metas físicas (\u201cdemarcação territorial\u201d) é expressa nos localizadores de gastos previamente definidos para cada ação, que são os SUBTÍTULOS.
2- PROGRAMAÇÃO FINANCEIRA:
Aqui ele fala sobre a classificação pela natureza da despesa (ai vou colocar tudo lá direto na classificação)
Qualitativa
PROGRAMAÇÃO QUALITATIVA:
O programa de trabalho, que define qualitativamente a programação orçamentária, deve responder, de maneira clara e objetiva, às perguntas clássicas que caracterizam o ato de orçar, sendo, do ponto de vista operacional, composto dos seguintes blocos de informação: 
1- Classificação por esfera: Separa as despesas por Esferas orçamentárias
2- Classificação institucional: Separa a despesa em órgão e unidade orçamentária
3- Classificação funcional: Separa a despesa em função e subfunção
4- Estrutura programática: Separa a despesa em programas
5- Principais informações do Programa: Separa a despesa em objetivos e iniciativas. 
6- Principais informações da Ação: Separa a despesa em ação , descrição , forma de implementação , produto , unidade de medida , subtítulo.
CÓDIGO COMPLETO DA ESTRUTURA QUALITATIVA
10. 39.252.26.782.2075.7M64.0043
Classificação por Esfera: 2 dígitos
Classificação Institucional: 2 dígitos (Órgão) + 3 dígitos (Unidade)
Classificação Funcional: 2 dígitos (função) + 3 dígitos (Subfunção)
Classificação Programática: 4 dígitos (programa) + 4 dígitos (ação) + 4 dígitos (Subtítulo)
CLASSIFICAÇÃO POR ESFERA
Orçamento Fiscal 10
CLASSIFICAÇÃO INSTITUCIONAL
Órgão: Ministério dos Transportes 39 
Unidade Orçamentária: Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes \u2013 DNIT 252
CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL
Função: Transporte 26 
Subfunção: Transporte Rodoviário 782
CLASSIFICAÇÃO PROGRAMÁTICA
Programa: Transporte Terrestre 2075
Ação: Construção de Trecho Rodoviário 7m64
Subtítulo: Rio Grande do Sul 0043
Quantitativa
PROGRAMAÇÃO QUANTITATIVA
A programação orçamentária quantitativa tem duas dimensões: a física e a financeira. 
1- Dimensão física: A dimensão física define a quantidade de bens e serviços a serem entregues.
Item da estrutura: Meta Física
Pergunta: Quanto se pretende entregar no exercício?
2- A dimensão financeira estima o montante necessário para o desenvolvimento da ação orçamentária de acordo com os seguintes classificadores:
1- Natureza de despesa:
2- Identificador de uso (IDUSO): 
3- Fonte de recursos:
4- Identificador de doação e de operação de crédito (IDOC)
5- Identificador de resultado primário:
6- Dotação:
	
Exemplo agora da estrutura COMPLETA da despesa, mostrando a parte qualitativa e quantitativa
Teoria
Conceitos
Orçamento é um instrumento de planejamento de qualquer entidade, pública ou privada, e representa o fluxo de ingressos e aplicação de recursos em determinado período. 
A LOA é responsável por fixar a despesa pública autorizada.
A DESPESA PÚBLICA é o conjunto de dispêndios realizados pelos entes públicos para o funcionamento e manutenção dos serviços públicos prestados à sociedade.
DISPÊNDIO: é gasto, despesa ou consumo; o valor que se gasta; aquilo que se consome.
Os dispêndios, assim como os ingressos, são tipificados em orçamentários e extraorçamentários
Despesa Pública representa o conjunto de dispêndios do ESTADO, ou de outra pessoa de Direito PÚBLICO, com a finalidade de funcionamento dos serviços públicos e de atendimento às necessidades coletivas aplicando certa quantia dentro de uma autorização legislativa, buscando a manutenção das atividades do ente estatal ou para a conservação ou construção de bens públicos
CUIDADO: Despesa pública é sempre realizada por um ente PÚBLICO e visa sempre o funcionamento de serviços e ao atendimento das necessidades da sociedade.
Site do Tesouro Nacional: A aplicação (em dinheiro) de recursos do Estado para custear os serviços de ordem pública ou para investir no próprio desenvolvimento econômico do Estado. É o compromisso de gasto dos recursos públicos, autorizados pelo Poder competente, com o fim de atender a uma necessidade da coletividade prevista no orçamento.
No âmbito CONTÁBIL-FINANCEIRO, a despesa pública nada mais é do que a aplicação de recursos monetários na realização de gastos efetivos (aqueles que geram decréscimo no patrimônio público) ou por mutação patrimonial (aqueles que têm efeito permutativo, pela entrada de um bem ou valor patrimonial).
Do ponto de vista POLÍTICO-INSTITUCIONAL, a despesa pública é, por seu turno, a realização de gastos na implementação de políticas públicas e no cumprimento das finalidades inerentes à existência do Estado
Quando analisada em sob a ótica ECONÔMICA, a despesa e o gasto são uma parcela dos agregados que expressam a atividade econômica nacional.
OBS.: Lembrar da diferença de despesa patrimonial e despesa orçamentária:
1- Despesa patrimonial: será sempre uma Variação Patrimonial Diminutiva, portanto sempre diminui o PL.
2- Despesa orçamentária: são divididas em despesas efetivas e não efetivas, portanto existem despesas que são orçamentárias mas são meros fatos permutativos. 
Q872030 Do ponto de vista orçamentário, as despesas públicas correspondem aos decréscimos nos benefícios econômicos durante o período contábil, sob a forma de saída de recursos, redução de ativos ou incremento em passivos, que resultem em decréscimo do patrimônio líquido.
FALSO. No ponto de vista orçamentário despesas PODEM OCORRER OU MUTAÇÃO TAMBÉM. Ou seja, nem sempre haverá decréscimo de patrimônio líquido, pois existem despesas para INVESTIMENTO.
PRINCÍPIO DA LEGALIDADE E DESPESAS
Em relação à despesa pública, é importante deixar claro que o princípio da legalidade é aplicado de modo diferenciado, quando consideradas as despesas ordinárias e extraordinárias
1 - Ordinárias: devem obrigatoriamente ser autorizadas em lei, ou seja, com anuência do Poder Legislativo, obedecendo estritamente ao Princípio da Legalidade.
2 - Extraordinárias: Por derivarem de fatos imprevisíveis e visarem à satisfação de necessidades públicas urgentes, podem ser autorizadas por Medidas Provisórias do Poder Executivo, ficando a autoridade pública que as executar pessoalmente responsável pela existência dos requisitos da imprevisibilidade e da urgência.
SÃO UMA EXCEÇÃO AO PRINCIPIO DA LEGALIDADE.
Classificações
Quanto a natureza da despesa 
(CESPE/Analista Judiciário/TRT8/Judiciária/2016) O sistema de classificação orçamentária constitui um sistema de informação que possibilita aos interessados identificar e avaliar as origens e as destinações dos recursos que compõem