Resumo programação e execução orçamentária
51 pág.

Resumo programação e execução orçamentária


DisciplinaAdministração Financeira e Orçamentária I1.930 materiais16.566 seguidores
Pré-visualização12 páginas
de informação demandadas por TODOS OS INTERESSADOS nas questões de finanças públicas, como os poderes públicos, as organizações públicas e privadas e a sociedade em geral. 
Q942041 Os objetivos da estrutura de programação orçamentária incluem atender às necessidades de informação das organizações privadas, da sociedade em geral e de outros interessados
CORRETO. Note que foi copia e cola do MTO, só ficou esquisito porque ele exclui as entidades públicas , mas como não foi taxativo , está correto.
Na estrutura atual do orçamento público, as programações orçamentárias estão organizadas em PROGRAMAS DE TRABALHO, que contêm informações QUALITATIVAS e QUANTITATIVAS, sejam físicas ou financeiras.
Q677788 A programação qualitativa do orçamento público é a organização do gasto público por meio da identificação dos programas com a classificação funcional e econômica da despesa.
FALSO. Classificação econômica é programação QUANTITATIVA (pois faz parte da classificação por natureza)
QUALITATIVA: (E I FU PRO PROGRAMA-AÇÃO): Esfera / Institucional / Funcional / Programática / Principais informações do Programa-AÇÃO.
QUANTITATIVA: Natureza (econômica) / IDUSO / IDOC / Fonte de recursos / Identificador de resultado primário
PROGRAMAÇÃO QUALITATIVA: 
O PROGRAMA DE TRABALHO, que define qualitativamente a programação orçamentária, deve responder, de maneira clara e objetiva, às perguntas clássicas que caracterizam o ato de orçar, sendo, do ponto de vista operacional, composto dos seguintes blocos de informação: 
1.1 Classificação por esfera: 
Separa as despesas por Esferas orçamentárias (fiscal, seguridade, investimento)
Pergunta: EM QUAL ORÇAMENTO?
1.2 Classificação institucional:
Separa a despesa em órgão e unidade orçamentária
Pergunta: QUEM É O RESPONSÁVEL?
1.3 Classificação funcional
Separa a despesa em função e subfunção
Pergunta: EM QUE ÁREAS DA DESPESA A AÇÃO GOVERNAMENTAL ESTÁ SENDO REALIZADA?
1.4 Estrutura programática:
Separa a despesa em programas.
Pergunta: QUAL O TEMA DA POLÍTICA PÚBLICA?
1.4 Principais informações do Programa: 
Separa a despesa em objetivos e iniciativas
PERGUNTA: objetivo (O QUE SE PRETENDE ALCANÇAR COM A POLÍTICA PÚBLICA?) INICIATIVA (O QUE SERÁ ENTREGUE?)
1.5 Principais informações da Ação
Separa a despesa em ação , descrição , forma de implementação , produto , unidade de medida , subtítulo
PERGUNTAS:
Ação: O QUE SERÁ DESENVOLVIDO PARA ALCANÇAR O OBJETIVO DO PROGRAMA?
Descrição: O QUE É FEITO E PARA QUE É FEITO?
Forma de implementação: COMO É FEITO?
Produto: O QUE SERÁ PRODUZIDO / PRESTADO?
Unidade de medida: COMO É MENSURADO?
Subtítulo: ONDE É FEITO / ONDE ESTÁ O BENEFICIÁRIO DO GASTO?
PROGRAMAÇÃO QUANTITATIVA
A programação orçamentária quantitativa tem duas dimensões: a física e a financeira. 
1- Dimensão física: A dimensão física define a quantidade de bens e serviços a serem entregues.
Item da estrutura: Meta Física
Pergunta: QUANTO SE PRETENDE ENTREGAR NO EXERCÍCIO?
2- A dimensão financeira estima o montante necessário para o desenvolvimento da ação orçamentária de acordo com os seguintes classificadores:
2.1 Natureza de despesa:
Categoria econômica: QUAL O EFEITO ECONÔMICO DA REALIZAÇÃO DA DESPESA?
Grupo de Natureza da despesa (GND): EM QUAL CLASSE DE GASTO SERÁ REALIZADA A DESPESA?
Modalidade de aplicação: DE QUE FORMA SERÃO APLICADOS OS RECURSOS
Elemento de despesa: QUAIS OS INSUMOS QUE SE PRETENDE UTILIZAR OU ADQUIRIR
2.2 Identificador de uso (IDUSO): 
Pergunta: OS RECURSOS SÃO DESTINADOS PARA CONTRAPARTIDA?
2.3 Fonte de recursos:
Pergunta: DE ONDE VIRÃO OS RECURSOS PARA REALIZAR A DESPESA?
2.4 Identificador de doação e de operação de crédito (IDOC)
Pergunta: A QUE OPERAÇÃO DE CRÉDITO/DOAÇÃO OS RECURSOS SE RELACIONAM?
2.5 Identificador de resultado primário:
Pergunta: QUAL O EFEITO DA DESPESA SOBRE O RESULTADO PRIMÁRIO DA UNIÃO?
2.6 Dotação:
Pergunta: QUAL O MONTANTE ALOCADO?
Programação financeira
Base legal
DL 200/67
Art. 17. Para ajustar o ritmo de execução do orçamento-programa ao fluxo provável de recursos, o Ministério do Planejamento e Coordenação Geral e o Ministério da Fazenda elaborarão, em conjunto, a programação financeira de desembolso, de modo a assegurar a liberação automática e oportuna dos recursos necessários à execução dos programas anuais de trabalho. 
Art. 18. Toda atividade deverá ajustar-se à programação governamental e ao orçamento-programa e os compromissos financeiros só poderão ser assumidos em consonância com a programação financeira de desembolso
LEI 4320
Art. 47. Imediatamente após a promulgação da Lei de Orçamento e com base nos limites nela fixados, o Poder Executivo aprovará um QUADRO DE COTAS TRIMESTRAIS DA DESPESA que cada unidade orçamentária fica autorizada a utilizar
Art. 48 A fixação das cotas a que se refere o artigo anterior atenderá aos seguintes OBJETIVOS: 
a) assegurar às unidades orçamentárias, em tempo útil a soma de recursos necessários e suficientes a melhor execução do seu programa anual de trabalho; 
b) manter, durante o exercício, na medida do possível o equilíbrio entre a receita arrecadada e a despesa realizada, de modo a reduzir ao mínimo eventuais insuficiências de tesouraria.
Art. 49. A programação da despesa ORÇAMENTÁRIA, para feito do disposto no artigo anterior, LEVARÁ EM CONTA os créditos adicionais e as operações extraorçamentárias. 
Art. 50. As cotas trimestrais PODERÃO SER ALTERADAS DURANTE O EXERCÍCIO, observados o limite da dotação e o comportamento da execução orçamentária.
Q290432 As cotas trimestrais das despesas destinadas a cada unidade orçamentária não poderão ser alteradas durante o exercício, uma vez que já foram aprovadas e fixadas na lei orçamentária. 
FALSO. De fato as cotas são fixadas logo após a promulgação do orçamento , entretanto elas podem ser alteradas ao longo do exercício. 
LRF
Art. 8 Até 30 dias após a publicação dos orçamentos, nos termos em que dispuser a lei de diretrizes orçamentárias e observado o disposto na alínea c do inciso I do art. 4 o , o Poder Executivo estabelecerá a programação financeira e o cronograma de execução mensal de desembolso.
Essa programação financeira é estabelecida por DECRETO. (Decreto de CONTINGENCIAMENTO).
Parágrafo único. Os recursos legalmente vinculados a finalidade específica serão utilizados exclusivamente para atender ao objeto de sua vinculação, ainda que em exercício diverso daquele em que ocorrer o ingresso
Decreto 93.872/86
Art. 14. A restituição de receitas orçamentárias, descontadas ou recolhidas a maior, e o ressarcimento em espécie a título de incentivo ou benefício fiscal, dedutíveis da arrecadação, qualquer que tenha sido o ano da respectiva cobrança, serão efetuados como ANULAÇÃO DE RECEITA, mediante expresso reconhecimento do direito creditório contra a Fazenda Nacional, pela autoridade competente, a qual, observado o limite de saques específicos estabelecido na programação financeira de desembolso, autorizará a entrega da respectiva importância em documento próprio 
Parágrafo único. A restituição de rendas extintas será efetuada com os recursos das dotações consignadas na Lei de Orçamento ou em crédito adicional, desde que não exista receita a anular.
Art. 9º As DIRETRIZES GERAIS DA PROGRAMAÇÃO FINANCEIRA DA DESPESA autorizada na Lei de Orçamento anual serão fixadas em DECRETO, cabendo à SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL, em ato próprio, aprovar o limite global de saques de cada Ministério ou Órgão, tendo em vista o montante das dotações e a previsão do fluxo de caixa do Tesouro Nacional
Diretrizes da programação financeira = POR DECRETO DO EXECUTIVO 
Limite global de saques = ATO PRÓPRIO DA STN.
 1º Na alteração do limite global de saques, observar-se-ão o quantitativo das dotações orçamentárias e o comportamento da execução orçamentária.
§ 2º Serão considerados, na execução da programação financeira de que trata este artigo, os créditos adicionais, as restituições de receitas e o ressarcimento em espécie a título