Resumo programação e execução orçamentária
51 pág.

Resumo programação e execução orçamentária


DisciplinaAdministração Financeira e Orçamentária I1.930 materiais16.561 seguidores
Pré-visualização12 páginas
se realizam de modo contínuo e permanente, das quais resulta um produto necessário à manutenção da ação de governo.
Em termos de União, os valores previstos no orçamento público têm as informações orçamentárias, fornecidas pela Secretaria de Orçamento Federal, lançadas no SIAFI, por intermédio da geração automática do documento NOTA DE DOTAÇÃO \u2013 ND, criando-se, assim, o crédito orçamentário. 
A partir daí, tem-se o início da execução orçamentária propriamente dita.
Nesse sentido, existe no Siafi uma tabela que vincula cada unidade orçamentária existente no QDD com uma unidade gestora do Siafi. Essa unidade gestora será responsável pela descentralização e/ou pela execução desses créditos recebidos.
O SIAFI é o Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal, que consiste no principal instrumento utilizado para registro, acompanhamento e controle da execução orçamentária, financeira e patrimonial do Governo Federal.
Já o SIAFEM \u2013 Sistema Integrado de Administração Financeira para Estados e Municípios é um sistema desenvolvido pelo Serviço Federal de Processamento de Dados \u2013 Serpro, com base no Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi), customizado para atender aos Estados e Municípios. É utilizado para otimizar e uniformizar a execução orçamentária, financeira, patrimonial e contábil, de forma integrada, minimizando os custos, proporcionando maior transparência, eficiência e eficácia na gestão dos recursos públicos, facilitando, assim, a apreciação de contas do Governo pelos Órgãos de Controle Interno do Poder Executivo e de Controle Externo representados pela Assembleia Legislativa e Tribunal de Contas
Seguindo adiante, a próxima etapa é a do DETALHAMENTO do crédito orçamentário. Esse procedimento normalmente é efetuado pela unidade gestora responsável pela supervisão funcional dos atos de execução orçamentária. 
Existem quatro tipos de detalhamento de crédito no Siafi: 
Fonte de Recursos \u2013 FR; 
Natureza da Despesa \u2013 ND; 
Unidade Gestora responsável \u2013 UGR 
Plano interno \u2013 PI, formando em seguida a chamada \u201ccélula orçamentária\u201d.
PALUDO: Se a Lei Orçamentária Anual foi aprovada e promulgada até o final do exercício, e essas dotações distribuídas aos órgãos, Unidades Orçamentárias e demais beneficiários do Orçamento da União, a execução orçamentária da despesa tem início a partir de 1º de janeiro a execução orçamentária da despesa tem início a partir de 1º de janeiro, independentemente da definição dos limites para empenho e pagamento. Essa definição somente ocorrerá \u2013 até 30 dias depois \u2013 com a emissão do decreto de programação financeira.
Primeiro tem início a execução do orçamento, e depois são solicitados os recursos para o pagamento das despesas através da programação financeira. Somente na medida em que ocorre a execução das despesas autorizadas é que são programados os recursos para os respectivos pagamentos.
Paludo diz que que a execução orçamentária viria ANTES da execução financeira.
Início Execução Financeira
A FASE INICIAL da execução financeira ocorre por meio da PROGRAMAÇÃO FINANCEIRA, adiante comentada. Tenha em mente que a execução financeira representa o fluxo de recursos financeiros necessários à efetiva realização dos gastos dos recursos públicos para a realização dos programas de trabalho definidos, ou seja, a execução financeira representa a utilização dos RECURSOS financeiros para atender à realização dos projetos e atividades atribuídos a cada unidade.
CUIDADO: quando falamos em RECURSO, estamos falando de dinheiro ou saldo de disponibilidade bancária (enfoque da execução financeira), que tem sentido diferente do termo CRÉDITO, que é dotação ou autorização de gasto ou sua descentralização (enfoque da execução orçamentária).
PROGRAMAÇÃO FINANCEIRA: 
É importante registrar ainda que, como a entrada das receitas arrecadadas dos contribuintes nem sempre coincide, temporalmente, com as necessidades de realização de despesas públicas, existe um conjunto de atividades que têm o objetivo de ajustar o ritmo da execução do orçamento ao fluxo provável de entrada de recursos financeiros que vão assegurar a realização dos programas anuais de trabalho e, consequentemente, impedir eventuais insuficiências de tesouraria. 
A esse conjunto de atividades chamamos de programação financeira.
LRF Art. 8o Até trinta dias após a publicação dos orçamentos, nos termos em que dispuser a lei de diretrizes orçamentárias e observado o disposto na alínea c do inciso I do art. 4o, o Poder Executivo estabelecerá a programação financeira e o cronograma de execução mensal de desembolso.  
Parágrafo único. Os recursos legalmente vinculados a finalidade específica serão utilizados exclusivamente para atender ao objeto de sua vinculação, ainda que em exercício diverso daquele em que ocorrer o ingresso.
Art. 9o Se verificado, ao final de um bimestre, que a realização da receita poderá não comportar o cumprimento das metas de resultado primário ou nominal estabelecidas no Anexo de Metas Fiscais, os Poderes e o Ministério Público promoverão, por ato próprio e nos montantes necessários, nos trinta dias subsequentes, limitação de empenho e movimentação financeira, segundo os critérios fixados pela lei de diretrizes orçamentárias.
§ 1o No caso de restabelecimento da receita prevista, ainda que parcial, a recomposição das dotações cujos empenhos foram limitados dar-se-á de forma proporcional às reduções efetivadas.
§ 2o Não serão objeto de limitação as despesas que constituam obrigações constitucionais e legais do ente, inclusive aquelas destinadas ao pagamento do serviço da dívida, e as ressalvadas pela lei de diretrizes orçamentárias
ADIn 2.238-5 No caso de os Poderes Legislativo e Judiciário e o Ministério Público não promoverem a limitação no prazo estabelecido no caput, é o Poder Executivo autorizado a limitar os valores financeiros segundo os critérios fixados pela lei de diretrizes orçamentárias.
Art. 10. A execução orçamentária e financeira identificará os beneficiários de pagamento de sentenças judiciais, por meio de sistema de contabilidade e administração financeira, para fins de observância da ordem cronológica determinada no art. 100 da Constituição.
O cronograma de desembolso é parte da programação financeira de desembolso, já que representa somente as despesas decorrentes da execução física dos projetos e atividades a cargo dos ministérios ou órgãos, ou seja, espelha a necessidade de recursos financeiros para pagamento dessas despesas
Assim, podemos dizer que a programação financeira É MAIS ABRANGENTE do que o cronograma de desembolso, pois ela engloba não só as despesas, mas também os ingressos de receitas no caixa do Tesouro.
Quando falamos em dispêndio de recursos financeiros oriundos do Orçamento Geral da União, é importante frisar que se faz exclusivamente por meio de Ordem Bancária \u2013 OB, via Conta Única do Governo Federal, e se destina ao pagamento de compromissos, bem como a transferência de recursos entre as Unidades Gestoras, tais como liberação de recursos para fins de adiantamento, suprimento de fundos, cota, repasse, sub-repasse e afins.
Ordem Bancária é o ÚNICO DOCUMENTO de transferência de recursos financeiros.
Em contraste, do lado da entrada dos recursos financeiros, o seu ingresso acontece, normalmente, quando o contribuinte efetua o pagamento de seus tributos por meio de DARF OU DAE, junto à rede bancária, que deve efetuar o recolhimento dos recursos arrecadados, ao Bacen, no prazo de um dia
Descentralizações
Coisas de prova
DICA: ACHO MELHOR NA PROVA se cair, desenhar o esqueminha com os nomes. Fazendo só de cabeça as vezes pode confundir, melhor fazer o esquema e certificar.
Eu aqui fazendo as questões de cabeça estou confundindo bastante, tem de desenhar mesmo. 
Principalmente repasse, lembrar que é financeiro
OBS.: Vai ser SEMPRE a mesma pegadinha: vai falar das operações orçamentárias e vai dizer \u201crecurso\u201d. Ou vai falar das operações financeiras e