Resumo ciclo orcamentário
41 pág.

Resumo ciclo orcamentário


DisciplinaAdministração Financeira e Orçamentária I1.930 materiais16.561 seguidores
Pré-visualização10 páginas
unidade orçamentária fica autorizada a utilizar.
Art. 48 A fixação das cotas a que se refere o artigo anterior atenderá aos seguintes OBJETIVOS:
a) assegurar às unidades orçamentárias, em tempo útil a soma de recursos necessários e suficientes a melhor execução do seu programa anual de trabalho;
b) manter, durante o exercício, na medida do possível o equilíbrio entre a receita arrecadada e a despesa realizada, de modo a reduzir ao mínimo eventuais insuficiências de tesouraria.
Art. 49. A programação da despesa orçamentária, para feito do disposto no artigo anterior, LEVARÁ EM CONTA os créditos adicionais e as operações extra-orçamentárias.
Art. 50. As cotas trimestrais PODERÃO SER ALTERADAS durante o exercício, observados o limite da dotação e o comportamento da execução orçamentária.
Q578119 O órgão central de planejamento e orçamento é responsável pela definição de cotas trimestrais de despesas para cada unidade orçamentária, no uso de suas prerrogativas de acompanhamento da execução orçamentária.
FALSO. Quem aprova as cotas trimestrais É O CHEFE DO EXECUTIVO (e não o órgão central do SPOF)
Programação segundo a LRF (Aperfeiçoou o que a 4320 disse)
Art. 8o Até 30 dias após a PUBLICAÇÃO dos orçamentos, nos termos em que dispuser a lei de diretrizes orçamentárias e observado o disposto na alínea c do inciso I do art. 4o, o Poder Executivo estabelecerá a programação financeira e o cronograma de execução mensal de desembolso.
Parte superior do formulário
§ 3o O Poder Executivo de cada ente colocará à disposição dos demais Poderes e do Ministério Público, no mínimo 30 dias antes do prazo final para encaminhamento de suas propostas ORÇAMENTÁRIAS, os estudos e as estimativas das receitas para o exercício subsequente, inclusive da corrente líquida, e as respectivas memórias de cálculo.
Art. 13. No prazo previsto no art. 8o, as receitas previstas serão DESDOBRADAS, pelo Poder Executivo, em METAS BIMESTRAIS DE ARRECADAÇÃO, com a especificação, em separado, quando cabível, das medidas de combate à evasão e à sonegação, da quantidade e valores de ações ajuizadas para cobrança da dívida ativa, bem como da evolução do montante dos créditos tributários passíveis de cobrança administrativa.
Q893361 Após a aprovação da lei orçamentária, o Poder Executivo deverá editar decreto de programação financeira que funcionará como orçamento de caixa a fim de compatibilizar a execução das despesas com o fluxo esperado das receitas ao longo do exercício financeiro.
4- Controle / avaliação / acompanhamento da execução: 
Coisas de prova
Q776738 O ciclo orçamentário é um processo contínuo, dinâmico e flexível, em que são avaliados os aspectos físicos e financeiros dos programas do setor público.
CORRETO. Essa avaliação de aspectos físicos e financeiros dos programas é feito na programação quantitativa do orçamento, onde são definidos aspectos físicos e financeiros das ações orçamentárias. Esse acompanhamento é feito pelo módulo de acompanhamento orçamentário no SIOP:
MTO: Durante a programação QUALITATIVA são definidas as principais informações de uma ação ou plano orçamentário. Nessa etapa, o órgão ou a unidade orçamentária especifica o produto dessa ação, ou seja, o que será produzido ou prestado, e a respectiva unidade de medida. Já na programação QUANTITATIVA, enquanto na dimensão financeira estima-se o montante necessário para o desenvolvimento da ação orçamentária, na dimensão física define-se a quantidade de bens e serviços a serem entregues. Considerando a necessidade de acompanhar tais entregas, a SOF instituiu o acompanhamento físico-financeiro das ações orçamentárias constantes na programação das Leis Orçamentárias Anuais por intermédio da Portaria SOF nº 103, de 19 de outubro de 2012. Para tal finalidade, foi desenvolvido o módulo \u201cAcompanhamento Orçamentário\u201d no SIOP. 
Os objetivos desse acompanhamento, visando a prestação de contas para a sociedade e a transparência dos atos governamentais, são: 
I - gerar informações que possibilitem o aperfeiçoamento das ações orçamentárias e, por consequência, aprimorem os orçamentos dos respectivos órgãos setoriais; e 
II - subsidiar a elaboração da prestação de contas anual do Presidente da República e a transparência na utilização dos recursos públicos para a sociedade.
Q677221 Um objetivo do acompanhamento da execução orçamentária é monitorar o processo de cumprimento das metas de superávit primário.
CORRETO. O acompanhamento da execução orçamentária é feito no decorrer do exercício financeiro. Bimestralmente será publicado o Relatório Resumido da Execução Orçamentária (RREO) e quadrimestralmente o Relatório de Gestão Fiscal (RGF). Um dos OBJETIVO desse acompanhamento é verificar o cumprimento da meta de resultado estabelecido na LDO, se utilizando de mecanismos previstos na LRF caso se verifique que a meta não será cumprida, como por exemplo a limitação do empenho (Art. 9º, caput da LRF)
Q557738 O acompanhamento e controle da execução orçamentária objetivam garantir o cumprimento das metas fiscais estabelecidas na lei de diretrizes orçamentárias mediante a utilização de mecanismos de elevação da receita e diminuição da despesa.
FALSO. O que podemos fazer é reduzir/contingenciar as despesas (que é o que LRF faz) , mas não tem como você cumprir meta fiscal aumentando arrecadação da noite pro dia (aumentar arrecadação é mudar tributação , que não tem como fazer assim do nada).
Art. 9º Se verificado, ao final de um bimestre, que a realização da receita poderá não comportar o cumprimento das metas de resultado primário ou nominal estabelecidas no Anexo de Metas Fiscais, os Poderes e o Ministério Público promoverão, por ato próprio e nos montantes necessários, nos trinta dias subseqüentes, limitação de empenho e movimentação financeira, segundo os critérios fixados pela lei de diretrizes orçamentárias
Teoria
Superada a fase de execução, cabe agora ao Poder Executivo a obrigação de dar publicidade da execução orçamentária até 30 dias após o encerramento de cada bimestre, submetendo todo o processo à avaliação da sociedade
Em termos de União, o Presidente deverá prestar contas ao Congresso Nacional, anualmente, até 60 dias após o início da sessão legislativa. Se as contas do Presidente da República não forem apresentadas ao Congresso Nacional até 60 dias após a abertura da sessão legislativa, a Câmara dos Deputados deverá proceder à tomada de contas
As contas podem ser aprovadas ou rejeitadas. Se for rejeitada, o Senado Federal irá processar e julgar o Presidente da República, funcionando como presidente, o do Supremo Tribunal Federal, exigindo-se quórum de dois terços dos votos do Senado
Há diferença entre controle e avaliação: 
1- O CONTROLE consiste na verificação da conformidade, propõe ações corretivas e tem foco retrospectivo. 
2- A AVALIAÇÃO visa ao aperfeiçoamento da gestão, avalia resultados e tem foco prospectivo. 
Sem dúvida, o maior objetivo da avaliação é promover a aprendizagem organizacional com vistas ao aperfeiçoamento da gestão. Pode-se dizer que a avaliação orçamentária visa a aferir a eficiência, eficácia e efetividade da gestão dos recursos públicos, contribuindo para a melhoria de qualidade em um novo ciclo orçamentário
MECANISMOS DE CONTROLE DA EXECUÇÃO:
1- Controle do atingimento das metas via RREO:
O Poder Executivo publicará, até 30 dias após o encerramento de cada bimestre, relatório resumido da execução orçamentária.
LRF Art. 9º Se verificado, ao final de um bimestre, que a realização da receita poderá não comportar o cumprimento das metas de resultado primário ou nominal estabelecidas no Anexo de Metas Fiscais, os Poderes e o Ministério Público promoverão, por ato próprio e nos montantes necessários, nos 30 dias subsequentes, limitação de empenho e movimentação financeira, segundo os critérios fixados pela lei de diretrizes orçamentárias.
§ 1o No caso de restabelecimento da receita prevista, ainda que parcial, a recomposição das dotações cujos empenhos foram limitados