Resumo Orçamento na Constituição Federal
50 pág.

Resumo Orçamento na Constituição Federal


DisciplinaAdministração Financeira e Orçamentária I1.930 materiais16.578 seguidores
Pré-visualização12 páginas
ela vinculados, da administração direta ou indireta, bem como os fundos e fundações instituídos e mantidos pelo poder público.
GIACOMONI: Trata-se, aqui, de um orçamento de áreas funcionais, que cobre todas as DESPESAS CLASSIFICÁVEIS como de seguridade social e não apenas as entidades e órgãos da seguridade social. Nesse sentido, praticamente todos os órgãos e entidades que integram o orçamento fiscal também fazem parte, ainda que parcialmente, do orçamento da seguridade social, pois executam despesas de seguridade social: 
 Pagamento de inativos
 Assistência à saúde de servidores etc.
O orçamento da seguridade social representa UMA DUPLA NOVIDADE. Em primeiro lugar, pelo destaque concedido às três funções, a ponto de separá-las das demais e juntá-las em peça orçamentária própria. Em segundo lugar, por submeter ao processo orçamentário comum os orçamentos das autarquias previdenciárias, cuja aprovação, no regime constitucional anterior, dava-se por decreto do Poder Executivo
§ 6º O projeto de LEI ORÇAMENTÁRIA será acompanhado de DEMONSTRATIVO REGIONALIZADO do efeito, sobre as receitas e despesas, decorrente de isenções, anistias, remissões, subsídios e benefícios de natureza financeira, tributária e creditícia.
Q874836 No caso de a União conceder benefício tributário a determinado setor da economia, o efeito regionalizado de tal benefício deverá ser demonstrado no projeto de lei orçamentária do exercício financeiro subsequente.
§ 8º A lei orçamentária anual não conterá dispositivo estranho à previsão da receita e à fixação da despesa, não se incluindo na proibição a autorização para abertura de créditos SUPLEMENTARES e contratação de operações de crédito, ainda que por antecipação de receita, nos termos da lei.
§ 9º CABE À LEI COMPLEMENTAR:
Ainda não foi editado, e NÃO É A LRF. 
A lei que trata do orçamento atual (lei 4320 é de 64), é uma lei ordinária. Note que ela VEIO ANTES DA CF, mas com a superveniência da CF ela foi transformada em LC. A lei 4320 é uma lei formalmente ORDINÁRIA mas materialmente COMPLEMENTAR. (Somente vai poder alterar a lei 4320 na superveniência de OUTRA LC).
ADI 1.726 STF: a Lei n. 4.320/1964 foi recepcionada com o status de lei complementar perante o texto constitucional de 1988, apesar da sua forma originária de lei ordinária.
I -  dispor sobre o exercício financeiro, a vigência, os prazos, a elaboração e a organização do plano plurianual, da lei de diretrizes orçamentárias e da lei orçamentária anual;
Q413566 Não existe, atualmente, dispositivo de lei complementar nacional que disponha acerca de vigência, prazos, elaboração e organização dos PPAs. 
CORRETO. O da união está no ADCT e o resto da galera a LDO está cobrindo essa lacuna enquanto não vem a LC dispor sobre isso.
Cabe à lei de diretrizes orçamentárias fixar prazo para o presidente do Supremo Tribunal Federal e os presidentes dos tribunais superiores encaminharem as propostas orçamentárias dos respectivos órgãos
CORRETO. Note a visão do CESPE: Ele deu como correto dizer que seria competência da LDO fixar o prazo para encaminhamento das propostas orçamentarias do executivo. (A rigor seria a lei complementar que disporia sobre esses prazos).
Q874835 São reservadas à lei de diretrizes orçamentárias disposições sobre exercício financeiro, vigência, prazos, elaboração e organização do plano plurianual.
FALSO. A CF diz que cabe \u201cà lei COMPLEMENTAR\u201d dispor sobre isso. Mas essa LC não é a LDO e nem é a LRF, ela ainda não foi editada.
Q893004 A proposta de alteração de procedimento de elaboração, discussão, aprovação e execução do orçamento público no Brasil deve ser apresentada por meio de projeto de lei complementar.
CORRETO. 
II -  estabelecer normas de gestão financeira e patrimonial da administração direta e indireta, bem como condições para a instituição e funcionamento de fundos.
Q80316 As condições para a instituição e o funcionamento dos fundos de natureza contábil só podem ser estabelecidas por meio de lei complementar
III -  dispor sobre CRITÉRIOS para a execução equitativa, além de PROCEDIMENTOS que serão adotados quando houver impedimentos legais e técnicos, cumprimento de restos a pagar e limitação das programações de caráter obrigatório, para a realização do disposto no § 11 do art. 166.
Lei seca \u2013 Art. 166 Apreciação
Coisas de prova
CUIDADO: Por mais que se chame orçamento \u201cimpositivo\u201d, aqueles 1,2% tem várias hipóteses que ele não sera obrigatório. Por exemplo, impedimentos de ordens técnicas, frustração de arrecadação, qualquer uma desses pode fazer com que não seja obrigatório executar os 1,2%.
Q337464 A reserva de contingência é uma fonte de recursos para apresentação de emendas de remanejamento na comissão mista de planos, orçamentos públicos e fiscalização
FALSO. CUIDADO com essa pegadinha de banca. As fontes para créditos adicionais NÃO SÃO as mesmas para as fontes de emenda
I) EMENDA: só pode vir de anulação de despesa, ressalvadas pessoal/ serviço da dívida / transferências constitucionais
II) CRÉDITOS ADICIONAIS: reserva de contingencia / cancelamento de dotação / operação de crédito (salvo ARO) / recursos sem destinação em decorrência de emenda, veto / excesso de arrecadação / superávit financeiro exercício anterior.
Q693540 Recebido o projeto de lei orçamentária pelo Congresso Nacional, cabe às comissões de cada casa legislativa receber as emendas apresentadas
FALSO. Só existe UMA comissão, que é mista e abrange tanto senadores quanto deputados.
Q259287 Se o presidente da República desejar alterar a proposta orçamentária enquanto ela estiver em tramitação no Congresso Nacional, ele não precisará utilizar nenhum dos créditos adicionais previstos na legislação vigente
CORRETO. Ele pode enviar mensagem diretamente ao Congresso, desde que a parte que ele queria modificar não tenha sido iniciada a sua votação. 
I) e note QUE emenda ao PLOA não tem NADA A VER com Crédito Adicional, não há que se falar em crédito adicional no PLOA, e sim fazer emendas diretamente. 
Q560345 Cabe à Comissão Mista de Orçamento no Congresso Nacional aprovar em definitivo a LOA da União.
FALSO. CMO só vai emitir parecer, quem aprova é o Congresso nacional no seu plenário
Q360516 No projeto de lei orçamentária anual \u2014 de iniciativa exclusiva do presidente da República \u2014, não são admitidas emendas parlamentares que acarretem aumento de despesas.
FALSO. CESPE já cobrou isso várias vezes , e não existe qualquer vedação. Pode aumentar despesa , desde que indique a fonte.
I) Isso vem do processo legislativo , que via de regra emenda parlamentar à PL de iniciativa privativa só pode se tiver pertinência temática e NÃO aumentar despesa (mas nas leis orçamentárias é exceção)
Q466179 Com a entrada em vigor da Constituição de 1988, restabeleceu-se ao Legislativo a prerrogativa de propor emendas ao projeto de lei do orçamento, um direito especial que lhe havia sido retirado pela Constituição outorgada de 1967.
CORRETO. Realmente aconteceu isso.
Q351280 Caso determinada dotação orçamentária, destinada ao pagamento do serviço de uma dívida contraída pela União, tenha sido vetada pelo presidente da República, os recursos correspondentes ao veto poderão ser utilizados, mediante autorização do Poder Legislativo, para pagamento de contrato de mão de obra.
Parte superior do formulário
Foi dada CORRETO. Os recursos que em decorrência de veto fiquem sem destinação podem ser utilizados mediante abertura de créditos suplementares ou especiais (extraordinários NÃO). Ou seja , através dos créditos suplementares ou especiais seria possível pagar o contrato (mas a questão não diz isso , ela diz meio que dando sentido de que \u201cpoderia pegar o dinheiro e pagar o contrato direto\u201d.
OBS.: Poderia ter uma pegadinha pior: se ele falava que ao invés de veto , o administrador queria anular o pagamento do serviço da divida para usar para pagar o contrato \u2013 ai NÃO PODE MESMO , pois os recursos para créditos especiais e suplementares , só podem vir de anulação