Resumo Orçamento na Constituição Federal
50 pág.

Resumo Orçamento na Constituição Federal


DisciplinaAdministração Financeira e Orçamentária I1.930 materiais16.562 seguidores
Pré-visualização12 páginas
de despesas \u2013 RESSALVADAS aquele ROL que não pode , e uma das hipóteses que não se pode anular despesa é com o serviço da dívida.
Q337468 O exame e a emissão de parecer sobre as contas apresentadas anualmente pelo presidente da República é responsabilidade da comissão mista de planos, orçamentos públicos e fiscalização.
CORRETO. Temos um \u201coverlap\u201d de competências na CF.
CN: Art. 49, IX: JULGAR anualmente as contas prestadas pelo Presidente da República e APRECIAR os relatórios sobre a execução dos planos de governo
CMO: Art. 166 I -  EXAMINAR e emitir PARECER sobre os projetos referidos neste artigo E sobre as contas apresentadas anualmente pelo Presidente da República;
TCU: Art. 71, I: APRECIAR as contas prestadas anualmente pelo Presidente da República, mediante PARECER PRÉVIO, que deverá ser elaborado em 60 dias a contar de seu recebimento.
CUIDADO que os verbos são DIFERENTES.
Congresso Nacional julga 
CMO examina e emite parecer 
TCU aprecia mediante parecer prévio
 
Lei seca
Art. 166. Os projetos de lei relativos ao plano plurianual, às diretrizes orçamentárias, ao orçamento anual E AOS CRÉDITOS ADICIONAIS serão apreciados pelas duas Casas do Congresso Nacional, na forma do regimento comum.
§ 1º Caberá a uma comissão mista PERMANENTE de Senadores e Deputados:
I -  EXAMINAR E EMITIR parecer sobre os projetos (de lei) referidos neste artigo E sobre as contas apresentadas anualmente pelo Presidente da República;
CUIDADO COM PEGADINHA: CMO somente vai examinar e emitir parecer. Quem APRECIA as emendas (apreciar ~~ julgar) é o PLENÁRIO DO CONGRESSO.
Q337468 O exame e a emissão de parecer sobre as contas apresentadas anualmente pelo presidente da República é responsabilidade da comissão mista de planos, orçamentos públicos e fiscalização
II -  EXAMINAR E EMITIR PARECER sobre os planos e programas nacionais, regionais e setoriais previstos nesta Constituição E exercer o acompanhamento e a fiscalização orçamentária, sem prejuízo da atuação das demais comissões do Congresso Nacional e de suas Casas, criadas de acordo com o art. 58.
§ 2º As emendas serão apresentadas na comissão mista, que sobre elas emitirá parecer, e apreciadas, na forma regimental, pelo plenário das duas Casas do Congresso Nacional.
EMENDAS:
APRESENTADAS na CMO para receber um parecer
APRECIADAS, na forma regimental, pelo plenário das duas casas do Congresso Nacional.
§ 3º As emendas ao projeto de LEI DO ORÇAMENTO ANUAL ou aos projetos que o modifiquem SOMENTE PODEM SER APROVADAS CASO:
I -  sejam COMPATÍVEIS com o plano plurianual e com a lei de diretrizes orçamentárias;
Note que aqui as emendas SEMPRE devem ser ao menos compatíveis com o PPA ou com a LDO.
Q301140 As emendas orçamentárias, que só podem ser aprovadas caso estejam de acordo com o PPA e a LDO, constituem um importante instrumento do Poder Legislativo para influenciar a alocação de recursos públicos
II -  indiquem os recursos necessários, admitidos APENAS os provenientes de anulação de despesa, EXCLUÍDAS AS QUE INCIDAM SOBRE:
CUIDADO: Aqui não se aplica nada daquelas fontes de receita para crédito adicional (reserva de contingencia, operação de credito salvo ARO , recurso sem destinação , superávit orçamento anterior , excesso de ar redação , etc..)
a)  dotações para pessoal e seus encargos;
b)  serviço da dívida;
c)  transferências tributárias constitucionais para Estados, Municípios e o Distrito Federal; ou
III -  sejam relacionadas:
a)  com a correção de erros ou omissões; ou
Q874840 Ainda que envolva transferências constitucionais para estados e municípios, uma emenda ao projeto de lei orçamentária anual poderá ser aprovada se seu propósito for corrigir omissão previamente existente.
b)  com os dispositivos do texto do projeto de lei.
§ 4º As emendas ao projeto de LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS não poderão ser aprovadas quando incompatíveis com o plano plurianual.
Aquele ROL ali em cima é para emenda na LOA, emenda na LDO só se for BASTA ser compatível com o PPA.
Q32897 Emendas ao projeto de lei de diretrizes orçamentárias poderão ser aprovadas , desde que sejam compatíveis com o plano plurianual
§ 5º O Presidente da República poderá enviar mensagem ao Congresso Nacional para propor modificação nos projetos a que se refere este artigo enquanto não iniciada a votação, NA COMISSÃO MISTA, da parte cuja alteração é proposta.
§ 6º Os projetos de lei do plano plurianual, das diretrizes orçamentárias e do orçamento anual serão enviados pelo Presidente da República ao Congresso Nacional, nos termos da lei complementar a que se refere o art. 165, § 9º.
§ 7º Aplicam-se aos projetos mencionados neste artigo, no que não contrariar o disposto nesta Seção, as demais normas relativas ao processo legislativo.
§ 8º Os recursos que, em decorrência de veto, emenda ou rejeição do projeto de LEI ORÇAMENTÁRIA ANUAL, ficarem sem despesas correspondentes PODERÃO ser utilizados, conforme o caso, mediante créditos ESPECIAIS ou SUPLEMENTARES, com prévia e específica autorização legislativa.
Prof. do GRAN respondeu que eventual recurso que ficar sem destinação quando da REESTIMATIVA da receita do PLOA por parte do legislativo (em casos de erro ou omissão de ordem técnica) também podem ser usados mediante créditos especiais ou suplementares.
§ 9º As emendas individuais ao projeto de lei orçamentária SERÃO APROVADAS no limite de 1,2% da receita corrente líquida PREVISTA no projeto encaminhado pelo Poder Executivo, sendo que a METADE deste percentual será destinada a ações e serviços públicos de SAÚDE.
Para somente confeccionar as emendas individuais, a CMO vai aprovar até 1,2% da RCL que FOI PREVISTA no PLOA enviado pelo Executivo
Q862635 O modelo de orçamento anual adotado na CF é meramente autorizativo, apesar da existência de dispositivos constitucionais que tornam obrigatória a despesa nas áreas de saúde e educação 
§ 11. É obrigatória a EXECUÇÃO orçamentária e financeira das programações a que se refere o § 9º deste artigo, em montante correspondente a 1,2% da receita corrente líquida REALIZADA no exercício anterior, conforme os critérios para a execução equitativa da programação definidos na lei complementar prevista no § 9º do art. 165.
Mas na hora de executar mesmo, só vai ser obrigatório executar até 1,2% da RCL que foi realizada no exercício anterior.
Q561015 O chamado orçamento impositivo se caracteriza, entre outros aspectos, pela obrigatoriedade de execução das emendas parlamentares individuais, até o limite de 1,2% da receita corrente líquida anual prevista no projeto de lei orçamentária encaminhado pelo Poder Executivo ao Poder Legislativo.
FALSO. Velha pegadinha do que vai prever e o que vai executar. 
I) Obrigatório EXECUTAR MESMO é 1,2% da RCL realizada no exercício anterior. Esse limite da RCL prevista no PLOA é para APROVAR as emendas.
§ 10. A execução do montante destinado a ações e serviços públicos de saúde previsto no § 9º, inclusive custeio, será computada para fins do cumprimento do inciso I do § 2º do art. 198, vedada a destinação para pagamento de pessoal ou encargos sociais.
NÃO PODE usar emenda individual para pagamento de pessoal ou encargos sociais.
§ 16. Os restos a pagar poderão ser considerados para fins de cumprimento da execução financeira prevista no § 11 deste artigo, até o limite de 0,6% da receita corrente líquida realizada no exercício anterior.
Nessa execução obrigatória de 1,2% da RCL do exercício anterior, pode usar crédito de RP para compor esse dinheiro, mas no limite de 0,6% da RCL do exercício anterior.
§ 17. Se for verificado que a reestimativa da receita e da despesa poderá resultar no não cumprimento da meta de resultado fiscal estabelecida na lei de diretrizes orçamentárias, o montante previsto no § 11 deste artigo poderá ser REDUZIDO em até a mesma proporção da limitação incidente sobre o conjunto das despesas discricionárias.
Ou seja, pode contingenciar as emendas individuais para alcançar