Resumo Orçamento na Constituição Federal
50 pág.

Resumo Orçamento na Constituição Federal


DisciplinaAdministração Financeira e Orçamentária I1.930 materiais16.572 seguidores
Pré-visualização12 páginas
passou batido). 
Só se essas operações de crédito aprovadas pelo legislativo já integram O PLOA , ou seja , o governo já inclui a operação de crédito como fonte de receita para bater o equilíbrio (talvez seja isso).
É VEDADO: III -  a realização de operações de créditos que excedam o montante das despesas de capital, RESSALVADAS as autorizadas mediante créditos suplementares ou especiais com finalidade precisa, aprovados pelo Poder Legislativo por maioria absoluta;
Q699480 O Poder Executivo, ao elaborar o orçamento geral do estado do Pará (OGE/PA) para o exercício de 2016, propôs instituição do programa paraense de incentivo ao primeiro emprego, um programa assistencial continuado de incentivo ao primeiro emprego para jovens com idade entre 18 e 20 anos, ao custo de R$ 500 por jovem.
ASSERTIVA O programa de incentivo ao primeiro emprego poderá ser incluído no OGE/PA, mesmo que não conste do PPA estadual. 
FALSO. Note que temos um programa de DURAÇÃO CONTINUADA \u2013 é justamente uma das despesas que o PPA fala sobre (despesas de capital e outras delas decorrentes/ despesas dos programas de duração continuada). 
Nesse caso É IMPOSSÍVEL inserir ele na LOA sem estar no PPA , por causa da vedação de que não tem como iniciar investimento acima de 1 exercício financeiro sem estar no PPA ou em lei que autorize.
Q603035 Considere que determinado investimento não esteja previsto no PPA. Nesse caso, quando da elaboração da LOA, não poderá ser consignada dotação para o referido investimento.
FALSO. Temos duas exceções: 
I) Ele não disse a duração do investimento , poderia ser investimento menor que 1 exercício , logo NÃO PRECISA MESMO estar no PPA , bastaria na LOA
II) Se ultrapassasse 1 exercício , ainda assim poderia consignar , desde que houvesse lei autorizando a inclusão do investimento no PPA. 
Lei seca 
Art. 167. SÃO VEDADOS:
I -  o início de PROGRAMAS OU PROJETOS não incluídos na lei orçamentária anual;
Mas aqui \u201cindiretamente\u201d aplicamos o artigo dizendo que todos os programas deverão estar de acordo com o PPA , então a gente meio que \u201cjá considera\u201d que além de ele estar no PPA , deve estar na LOA como diz esse inciso.
Q602507 Em caráter de urgência, é permitido iniciar programas que não estejam incluídos na LOA.
FALSO. Não tem exceção , se for iniciar programa ou projeto deve estar na LOA (pelo menos)
§ 1º Nenhum INVESTIMENTO cuja execução ULTRAPASSE 1 exercício financeiro poderá ser iniciado sem prévia inclusão no PLANO PLURIANUAL, ou sem lei que autorize a inclusão, sob pena de crime de responsabilidade.
Se for PROGRAMA OU PROJETO SOMENTE INCLUINDO NA LOA (não tem outro jeito)
Se for investimento MENOR que 1 exercício BASTA INCLUIR NA LOA
Se for investimento MAIOR que 1 exercício SOMENTE SE ESTIVER NO PPA OU LEI QUE AUTORIZE A INCLUSÃO NO PPA.
DICA: Se for menor que 1 exercício \u201ccabe tudo dentro da LOA\u201d , então não precisa estar no PPA.
II -  a realização de despesas ou a assunção de obrigações diretas que excedam os créditos orçamentários ou adicionais;
III -  a realização de operações de créditos QUE EXCEDAM o montante das despesas de capital, RESSALVADAS as autorizadas mediante créditos suplementares ou especiais com finalidade precisa, aprovados pelo Poder Legislativo por maioria absoluta;
Esse inciso é a exceção da regra de ouro! 
Note que NADA SE DIZ SOBRE CRÉDITO EXTRAORDINÁRIO aqui.
Q327935 Considere que o montante total dos empréstimos realizados por determinado município tenha sido igual às despesas de capital fixadas no orçamento municipal para o exercício financeiro em execução. Nessa situação, caso o município precise realizar mais uma operação de crédito, sem alterar o total das despesas de capital, somente poderá fazê-la se for aprovado pela câmara de vereadores, por maioria absoluta, um crédito suplementar ou especial com finalidade precisa.
CORRETO. Note que no âmbito do município , o Legislativo = câmara dos vereadores. Se fosse na União , o correto seria aprovação do CONGRESSO nacional. 
IV -  a vinculação de receita de impostos a órgão, fundo ou despesa, RESSALVADAS a repartição do produto da arrecadação dos impostos a que se referem os arts. 158 e 159, a destinação de recursos para as ações e serviços públicos de saúde, para manutenção e desenvolvimento do ensino e para realização de atividades da administração tributária, como determinado, respectivamente, pelos arts. 198, § 2º, 212 e 37, XXII, e a prestação de garantias às operações de crédito por antecipação de receita, previstas no art. 165, § 8º, bem como o disposto no § 4º deste artigo;
§ 4º É permitida a vinculação de receitas próprias geradas pelos impostos a que se referem os arts. 155 e 156, e dos recursos de que tratam os arts. 157, 158 e 159, I, a e b, e II, para a prestação de garantia ou contragarantia à União e para pagamento de débitos para com esta.
É o princípio da não vinculação DE IMPOSTOS do orçamento. Se perguntar SECO \u2013 vincular receita de imposto para órgão, fundo ou despesa NÃO PODE. 
Só vai poder nesses casos aqui:
Repartição de IR e IPI 
Recursos para ações e serviços públicos de saúde
Manutenção e desenvolvimento do ensino
Atividades da administração tributária
Prestação de garantias às operações de crédito por ARO
Prestar garantia e contragarantia À UNIÃO, e para pagamento de débitos para com A UNIÃO. 
V -  a abertura de crédito suplementar ou especial sem prévia autorização legislativa E sem indicação dos recursos correspondentes;
VI -  a transposição, o remanejamento ou a transferência de recursos de uma categoria de programação para outra ou de um órgão para outro, sem prévia autorização legislativa;
Mudar categorias de programação 
Mudar de um órgão para o outro.
§ 5º A transposição, o remanejamento ou a transferência de recursos de uma categoria de programação para outra poderão ser admitidos, no âmbito das atividades de ciência, tecnologia e inovação, com o objetivo de viabilizar os resultados de projetos restritos a essas funções, mediante ato do Poder Executivo, sem necessidade da prévia autorização legislativa prevista no inciso VI deste artigo.
Q342402 A CF proíbe a transferência de recursos de uma categoria de programação para outra sem autorização prévia em lei. 
Era CORRETO , agora é FALSO. Essa questão é de 2013, e somente em 2014 surgiu a possibilidade de mudar programação sem lei. (Mas o via de regra continua sendo precisa ter prévia autorização legislativa).
Q919816 Não é necessária a prévia autorização legislativa na transposição de recursos de uma categoria de programação para outra no âmbito de ciência, tecnologia e inovação, com o objetivo de viabilizar os resultados de projetos restritos a essas funções.
VII -  a concessão ou utilização de créditos ilimitados;
CUIDADO porque conceder créditos ilimitados NUNCA pode mesmo, sem exceção. A exceção é poder conceder dotações globais (reserva de contingencia e os PET).
VIII -  a utilização, SEM AUTORIZAÇÃO legislativa específica, de recursos dos orçamentos FISCAL e da SEGURIDADE SOCIAL para suprir necessidade ou cobrir déficit de empresas, fundações e fundos, inclusive dos mencionados no art. 165, § 5º;
CUIDADO: Note que aqui é FISCAL E SEGURIDADE SOCIAL. 
Galera do parágrafo 5 do Ar. 165 é o artigo que fala dos 3 orçamentos da LOA.
Q226917 Em matéria orçamentária, as vedações constitucionalmente definidas incluem a utilização, sem autorização legislativa específica, de recursos dos orçamentos fiscais e de investimentos das estatais para suprir necessidade ou cobrir déficit de empresas, fundações e fundos. 
FALSO. Vai poder usar somente o FISCAL ou da SEGURIDADE para cobrir os déficits , o orçamento de investimento não.
DICA: Orçamento de investimento é das estatais independentes, ou seja , seria algo mais para as próprias empresas usarem para fazer seu negócio girar \u2013 não tem como você retirar esse dinheiro da empresa para pagar déficit de outra pessoa
IX -  a instituição de fundos de qualquer natureza, sem prévia autorização legislativa;