Gerenciamento de Projetos Estabelecendo Diferenciais Competitivos Ricardo Vargas (2009, Brasport)

Gerenciamento de Projetos Estabelecendo Diferenciais Competitivos Ricardo Vargas (2009, Brasport)


DisciplinaProtista31 materiais83 seguidores
Pré-visualização45 páginas
- É a data de término do projeto, isto é, o último dia da última atividade a ser desenvolvida. Normalmente, é calculada pelo projeto (projetos calculados do início para o fim), mas pode ser definida (projetos calculados do fim para o início).
Início da Atividade - É a data e a hora em que a atividade se inicia. Pode ser um dado fixo do projeto ou calculada em consequência de suas atividades predecessoras.
 
Término da Atividade - É a data e a hora em que a atividade termina. Normalmente, é calculada a partir da data de início da atividade e de sua duração.
Calendários - Os calendários são utilizados para determinar e selecionar os dias de trabalho, ou folga, do projeto. Os calendários também devem ser utilizados para indicar horas específicas de trabalho para um determinado recurso.
 
Feriados e Dias Especiais - Devem ser sempre inseridos para que não ocorram erros no gerenciamento das atividades. Dias com expediente especial (véspera de Natal e Ano Novo, etc.), além de dias em que não serão desenvolvidas atividades no projeto deverão ser considerados dias especiais, ou feriados, no projeto.
Um projeto pode ter datas especiais para diferentes participantes do projeto, tais como férias, dispensas, etc.
 1.80.2 Restrições de Datas nas Atividades
As atividades podem ter diversos tipos de restrições quanto ao início ou ao término de sua execução. Essas restrições devem ser associadas aos tipos de interdependências entre as atividades. São elas as seguintes:
\u2022 atividade que se inicia o mais rápido possível (as soon as possible);
\u2022 atividade que se inicia o mais tarde possível (as late as possible);
\u2022 atividade que se inicia não antes de um determinado dia (start no earlier than);
\u2022 atividade que se inicia não depois de um determinado dia (start no later than);
\u2022 atividade que se inicia obrigatoriamente em uma data (must start on);
\u2022 atividade que se conclui, obrigatoriamente, em uma data (must finish on).
 1.80.3 Tipos de Inter-relacionamentos
As atividades podem ser inter-relacionadas de várias formas. As principais formas de inter-relacionamento são:
\u2022 término para início \u2013 TI (finish to start \u2013 FS);
\u2022 início para início \u2013 II (start to start \u2013 SS);
\u2022 término para término \u2013 TT (finish to finish \u2013 FF);
\u2022 início para término \u2013 IT (start to finish \u2013 SF).
Término para Início (Finish to Start \u2013 FS) - A atividade sucessora somente se inicia com o término da atividade predecessora. Exemplo: O telhado de uma casa somente pode ser construído quando as paredes tiverem sido erguidas.
Figura 4.8 \u2013 Relação de Término para Início (TI ou FS)
Início para Início (Start to Start \u2013 SS) - A atividade sucessora somente se inicia com o início da atividade predecessora. Essa relação faz com que duas atividades ocorram simultaneamente e resulta, na maioria das vezes, em economia de tempo e dinheiro. Por exemplo, ao instalar uma rede de computadores, pode-se programar o início da instalação física dos cabos com a instalação lógica dos computadores para que ocorram simultaneamente.
Figura 4.9 \u2013 Relação de Início para Início (II ou SS)
Término para Término (Finish to Finish \u2013 FF) - A atividade sucessora somente termina com o final da atividade predecessora. Essa relação faz com que as atividades se finalizem sincronizadas. Por exemplo, um computador somente pode ser considerado pronto quando as cópias de segurança dos dados tiverem sido realizadas. Isso significa que a atividade de preparo do computador ficará pendente até que as cópias dos dados de segurança estejam prontas.
Figura 4.10 \u2013 Relação de Término para Término (TT ou FF)
Início para Término (Start to Finish \u2013 SF) - Relação pouco usual. Ocorre quando o fim de uma atividade depende do início de uma atividade anterior. Funciona de forma inversa à relação Término para Início. É utilizado para substituições de procedimentos ou equipamentos. Por exemplo, uma empresa está substituindo sua central elétrica antiga por outra mais moderna. A central antiga deve permanecer funcionando até que a central nova esteja em pleno funcionamento. O problema não consiste em desligar a central antiga, mas, sim, em fazer com que a central nova funcione corretamente.
Figura 4.11 \u2013 Relação de Início para Término (IT ou SF)
 1.80.4 Defasagem e Adiantamento entre as Atividades
Outro aspecto fundamental para o entendimento dos inter-relacionamentos entre as atividades em um projeto é o conceito de defasagem e adiantamento.
 
Diversas atividades em um projeto necessitam de um intervalo de tempo após a realização de sua predecessora, não podendo se iniciar logo após a atividade anterior como, por exemplo, as atividades de secagem, envelhecimento, amadurecimento, etc., que necessitam de um tempo mínimo de espera para o prosseguimento do projeto. Atividades de espera são dadas, na maioria das vezes, em durações corridas, incluindo as horas em que o projeto não trabalha (sábados, domingos, feriados, noites, etc.).
Figura 4.12 \u2013 Relacionamento entre atividades incluindo defasagens (atrasos)
Os adiantamentos funcionam inversamente aos atrasos. Seu objetivo é adiantar o cronograma do projeto, favorecendo a realização de atividades em paralelo. A técnica de reduzir a duração do projeto através dos adiantamentos é denominada Paralelismo ou fast tracking
Figura 4.13 \u2013 Relacionamento entre atividades adiantadas entre si
 1.80.5 Diagrama de Rede
O inter-relacionamento entre as atividades do projeto compõe um todo organizado, denominado diagrama de rede, ou vulgarmente conhecido como rede PERT (Program Evaluation and Review Technique). O diagrama de rede evidencia os inter-relacionamentos entre as atividades no projeto global.
 
O diagrama de rede tem sua origem no meio militar, com uma associação entre a marinha e as empresas Lockheed & Booz e Allen & Hamilton, em 1958, no desenvolvimento dos projetos de construção da série de submarinos atômicos Polaris do governo norte-americano.
As vantagens do diagrama de rede são as seguintes:
\u2022 simples entendimento;
\u2022 interdependência entre as atividades bem-definida.
As desvantagens do diagrama de rede são as seguintes:
\u2022 apresenta relatórios muito extensos;
\u2022 não mostra uma relação visual entre as durações das atividades;
\u2022 é de difícil manipulação.
Existem dois tipos de diagramas de rede, que são:
\u2022 AOA (Activity on Arrow) - apresenta o diagrama com atividades representadas por setas que ligam um estado inicial a um estado final. É empregado principalmente quando se gerenciam projetos sem o computador.
Figura 4.14 \u2013 Rede PERT AOA
\u2022 AON (Activity on Node) - apresenta as atividades nos nós entre as setas. É a visualização mais comum atualmente, por ser gerada automaticamente pela maioria dos softwares de gerenciamento de projetos.
 
Figura 4.15 \u2013 Rede PERT AON
 1.80.6 Diagrama de Gantt
Outra forma muito comum de representação gráfica para cronogramas é o diagrama de Gantt, ou diagrama de barras. O diagrama utiliza barras horizontais, colocadas dentro de uma escala de tempo. O comprimento relativo das barras determina a duração da atividade. As linhas conectando as barras individuais em um Diagrama de Gantt refletem as relações entre as atividades.
 
O diagrama de Gantt é a mais antiga técnica de administração de projetos. Foi criado por Henry Gantt no início do século, com o objetivo de atender a fins militares e estratégicos.
Figura 4.16 \u2013 Diagrama de Gantt
As principais vantagens do Diagrama de Gantt