PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA
116 pág.

PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA


DisciplinaPavimentos Rodoviarios47 materiais136 seguidores
Pré-visualização29 páginas
para 
colocação das amostras
109Ligantes asfálticos
através do teste de tração direta (direct tension test \u2013 DTT), que ele possui dutilidade 
suficiente a baixas temperaturas. Por meio do DTT (Figura 2.53), obtém-se a tensão 
de ruptura, que é medida a partir do estiramento de uma amostra, com formato de 
gravatinha-borboleta, a baixa temperatura (+6°C a -36°C). De modo semelhante ao 
BBR, o atendimento aos critérios do ensaio DTT assegura que a ruptura do ligante, a 
baixa temperatura, seja minimizada.
(a) moldado
(b) Após ensaio \u21d2
Corpo-de-prova da amostra de ligante
(c) prensa para ruptura
Figura 2.53 Aspectos do desenvolvimento do ensaio de tração direta \u2013 DTT
110 Pavimentação asfáltica: formação básica para engenheiros
bIbLIOGRAFIA CITADA e CONSULTADA
ABEDA \u2013 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS DISTRIBUIDORAS DE ASFALTO. Manual 
básico de emulsões asfálticas. Solução para pavimentar sua cidade. Rio de Janeiro: Abeda, 
2001.
ABNT \u2013 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. P-MB 43: método de ensaio para 
destilação de asfalto diluído. Rio de Janeiro, 1965.
. P-MB 326: determinação da viscosidade Saybolt de produtos de petróleo. Rio de Ja-
neiro, 1965.
. P-MB 425: método de ensaio para determinar o efeito do calor e do ar sobre materiais 
asfálticos (método da película delgada). Rio de Janeiro, 1970.
. P-MB 581: viscosidade Saybolt-Furol de emulsões asfálticas. Rio de Janeiro, 1971.
. P-MB 586: determinação do resíduo de destilação de emulsões asfálticas. Rio de 
Janeiro, 1971.
. P-MB 590: determinação da desemulsibilidade de emulsões asfálticas. Rio de Janeiro, 
1971.
. P-MB 609: determinação da peneiração de emulsões asfálticas. Rio de Janeiro, 1971.
. P-MB 826: determinação da viscosidade cinemática de asfaltos. Rio de Janeiro, 
1973.
. NBR 13121: asfalto elastomérico para impermeabilização. Rio de Janeiro, 1994.
. NBR 6576: materiais betuminosos: determinação da penetração. Rio de Janeiro, 
1998.
. NBR 9619: produtos de petróleo: determinação das propriedades de destilação. Rio 
de Janeiro, 1998.
. NBR 6299: determinação do pH de emulsões asfálticas. Rio de Janeiro, 1999.
. NBR 14249: emulsões asfálticas catiônicas: determinação expedita da resistência à 
água (adesividade) sobre agregados graúdos. Rio de Janeiro, 1999.
. NBR 14376: emulsões asfálticas: determinação do resíduo asfáltico por evaporação: 
método expedito. Rio de Janeiro, 1999.
. NBR 14393: emulsões asfálticas: determinação da peneiração. Rio de Janeiro, 1999.
. NBR 6302: emulsões asfálticas: determinação da ruptura: método de mistura com fíler 
silícico. Rio de Janeiro, 2000.
. NBR 6560: materiais betuminosos: determinação do ponto de amolecimento: método 
do anel e bola. Rio de Janeiro, 2000.
. NBR 6567: emulsões asfálticas: determinação da carga da partícula. Rio de Janeiro, 
2000.
. NBR 6569: emulsões asfálticas catiônicas: determinação da desemulsibilidade. Rio de 
Janeiro, 2000.
. NBR 6570: emulsões asfálticas: determinação de sedimentação. Rio de Janeiro, 
2000.
. NBR 14491: emulsões asfálticas: determinação da viscosidade Saybolt-Furol. Rio de 
Janeiro, 2000.
. NBR 14594: emulsões asfálticas catiônicas: especificação. Rio de Janeiro, 2000.
. NBR 5847: materiais asfálticos: determinação da viscosidade absoluta. Rio de Janeiro, 
2001.
. NBR 6293: materiais betuminosos: determinação da ductilidade. Rio de Janeiro, 
2001.
. NBR 6300: emulsões asfálticas catiônicas: determinação da resistência à água (ade-
sividade). Rio de Janeiro, 2001.
111Ligantes asfálticos
. NBR 14736: materiais asfálticos: determinação do efeito do calor e do ar: método da 
película delgada. Rio de Janeiro, 2001.
. NBR 14756: materiais betuminosos: determinação da viscosidade cinemática. Rio de 
Janeiro, 2001.
. NBR 14855: materiais betuminosos: determinação da solubilidade em tricloroetileno. 
Rio de Janeiro, 2002.
. NBR 14856: asfaltos diluídos: ensaio de destilação. Rio de Janeiro, 2002.
. NBR 6297: emulsão asfáltica de ruptura lenta: determinação da ruptura: método da 
mistura com cimento. Rio de Janeiro, 2003.
. NBR 14950: materiais betuminosos: determinação da viscosidade Saybolt-Furol. Rio 
de Janeiro, 2003.
. NBR 5765: asfalto diluído: determinação do ponto de fulgor: Vaso aberto Tag. Rio de 
Janeiro, 2004.
. NBR 6296: produtos betuminosos semi-sólidos: determinação da massa específica e 
da densidade relativa. Rio de Janeiro, 2004.
. NBR 11341: derivados de petróleo: determinação dos pontos de fulgor e de combus-
tão em vaso aberto Cleveland. Rio de Janeiro, 2004.
. NBR 14896: emulsões asfálticas modificadas com polímero: determinação do resíduo 
seco por evaporação. Rio de Janeiro, 2004.
. NBR 15166: asfalto modificado: ensaio de separação de fase. Rio de Janeiro, 2004.
. NBR 15184: materiais betuminosos: determinação da viscosidade em temperatura 
elevada usando um viscosímetro rotacional. Rio de Janeiro, 2004.
. NBR 6568: emulsões asfálticas: determinação do resíduo de destilação. Rio de Ja-
neiro, 2005.
. NBR 15235: materiais asfálticos: determinação do efeito do calor e do ar em uma 
película delgada rotacional. Rio de Janeiro, 2005.
ASTM \u2013 AMERICAN SOCIETY FOR TESTING AND MATERIALS. D 270-64: methods of sam-
pling petroleum and petroleum products. USA, 1980.
. D 36: softening point of bitumen: ring-and-ball apparatus. USA, 1995.
. D 5: standard test method for penetration of bituminous materials. USA, 1997.
. D 2872: effect of heat and air on a moving film of asphalt (rolling thin-film oven test). 
USA, 1997.
. D 88-94: standard test method for Saybolt viscosity. USA, 1999.
. D 95: standard test method for water in petroleum products. USA, 1999.
. D 113: ductility of bituminous materials. USA, 1999.
. D 244: standard test methods for emulsified asphalts. USA, 2000.
. D 5840: standard specification for type II polymer modified asphalt cement for use in 
pavement construction. USA, 2000.
. D 5841: standard specification for type III polymer modified asphalt cement for use in 
pavement construction. USA, 2000.
. D 5976: standard specification for type I polymer modified asphalt cement for use in 
pavement construction. USA, 2000.
. D 6521: standard practice for accelerated aging of asphalt binder using a pressurized 
aging vessel (PAV). USA, 2000.
. D 2007: standard test method for characteristic groups in rubber extender and pro-
cessing oils and other petroleum-derived oils by the clay-gel absorption chromatographic 
method. USA, 2001.
. D 2042: solubility of asphalt materials in trichloroethylene. USA, 2001.
112 Pavimentação asfáltica: formação básica para engenheiros
. D 2170: standard test method for kinematic viscosity of asphalts (bitumens). USA, 
2001.
. D 2171: standard test method for viscosity of asphalts by vacuum capillary viscometer. 
USA, 2001.
. D 4124: standard test methods for separation of asphalt into four fractions. USA, 
2001.
. D 5801: standard test method for toughness and tenacity of bituminous materials. 
USA, 2001.
. D 6648: standard test method for determining the flexural creep stiffness of asphalt 
binder using the bending beam rheometer (BBR). USA, 2001.
. D 402: standard test method for distillation of cut-back asphaltic (bituminous) pro-
ducts. USA, 2002.
. D 1754-97: standard test method for effect of heat and air on asphaltic materials (thin-
film oven test). USA, 2002.
. D 4402: viscosity determination of asphalt at elevated temperatures using a rotational 
viscometer. USA, 2002.
. D 6723: standard test method for determining the fracture properties of asphalt binder 
in direct tension (DT). USA, 2002.
. D 6816: standard practice for determining low-temperature performance grade (PG) of 
asphalt binders. USA, 2002.
. E 102: standard test method for Saybolt-Furol viscosity of bituminous materials at high 
temperatures.