A FORMAÇÃO DE UM LIDER
313 pág.

A FORMAÇÃO DE UM LIDER


DisciplinaR110 materiais261 seguidores
Pré-visualização50 páginas
valor para Deus. 
Uma das coisas que mais mudaram minha vida como líder no Corpo de 
Cristo foi quando Deus me ensinou sobre a vida interior, o homem interior. O que 
se passa dentro de nós? Que tipo de coração temos? Como realmente somos por 
dentro? Como é a nossa mentalidade? Que tipo de atitude temos? O que se passa 
conosco nos bastidores? Se quisermos ser bons líderes, temos de avaliar com 
mais profundidade aquelas coisas que ninguém mais, além de nós mesmos e 
Deus, sabe sobre nós mesmos. 
Muitos anos atrás, Deus começou a tratar comigo em relação à importância 
da vida interior. Leva algum tempo para entendermos essa importância, pois 
damos muito valor às aparências. Passamos a vida tentando nos equiparar aos 
outros na aparência externa, esquecendo-nos de que há todo um outro lado em 
nós que não pode ser visto, mas trata-se de um lado que Deus vê e com o qual 
está em contato direto. Enquanto o mundo está ocupado tentando conquistar "o 
espaço sideral", devemos lutar para conquistar o "espaço interior". 
Quando Deus começou a tratar comigo em relação a esse assunto, comecei 
a estudá-lo. Naquela época, publiquei uma série de estudos sobre ele. Foi um 
tanto frustrante para mim, pois as vendas da série foram baixas. As pessoas 
compravam avidamente as fitas sobre cura, prosperidade e sucesso, mas não 
sobre maturidade, humildade e obediência. 
Certa vez, produzi uma série de fitas sobre obediência, mas tive de lhe dar 
um título que aparentemente não tinha a ver com o assunto: "Como ser total e 
grandemente abençoado". As vendas dessa série foram ótimas, pois as pessoas 
querem, sobretudo, ser abençoadas. Mas se eu a tivesse chamado de "Como ser 
total e grandemente obediente," poucos teriam comprado as fitas. A verdade, 
porém, é que se quisermos ser total e grandemente abençoados, temos de ser 
total e grandemente obedientes. 
Na verdade, queremos obter bons resultados, mas não queremos fazer o 
que é preciso para alcançá-los. Por isso, muitos passam a vida inteira andando em 
círculos em torno da mesma montanha e nunca chegam a lugar algum. 
Em 1 Pedro 3, o apóstolo Pedro usa o exemplo das jóias, roupas e 
maquiagem, mas a questão central não é realmente essa. Ali, a mensagem 
principal é no sentido de que não devemos nos preocupar tanto com o modo como 
os outros nos vêem, mas com o que há realmente em nosso interior. Devemos 
aprender a dar mais importância à nossa vida interior em vez de nos preocuparmos 
somente com a aparência superficial e exterior. 
Em Lucas 5, lemos que Pedro e seus companheiros estiveram pescando 
toda a noite, mas não apanharam nada. Então voltaram com os barcos e 
começaram a limpar as redes para guardá-las. Jesus vinha andando pela areia e, 
quando os viu, aproximou-se e disse: Vão para onde as águas são mais fundas [...] 
lancem as redes para a pesca (v. 4, NVT). Muitas pessoas na igreja estão 
"pescando" mas não "pegam" nada, por assim dizer, porque não lançam a "rede" 
em águas profundas. Como resultado, não estão satisfeitas com a vida porque não 
a vivem com a profundidade com que deveriam. 
 
VIVA UMA VIDA RETA 
O texto de Lucas 5 é uma das passagens bíblicas que Deus usou para 
começar a realmente mudar minha vida. Ele me fez entender que não está nem um 
pouco preocupado com as coisas externas, como títulos importantes ou com a 
quantidade de convites que recebemos para pregar seja onde for. O que Ele quer 
são líderes que tenham um coração reto. Ele quer que estejamos no ministério 
porque desejamos ajudar outros, e não porque queremos ficar famosos. Os líderes 
não são chamados para ser famosos, mas para enfrentar o trabalho árduo, o 
serviço, o sacrifício, etc. Veja como se soletra corretamente a palavra "ministério": 
T-R-A-B-A-L-H-O. 
Sim, há grandes benefícios que fazem parte desse nosso ofício, como Paulo 
fala na carta à igreja de Corinto.2 Mas todas as nossas obras precisam passar pelo 
fogo,3 porque não importa o que fazemos, mas por que o fazemos. 
Quando deixarmos esta terra e passarmos diante dos olhos de fogo de 
Jesus, creio que todas as obras serão julgadas em relação à pureza delas; isto é, o 
que será examinado é se a nossa motivação estava correta ou não. Portanto, 
devemos deixar que o Espírito Santo examine nosso coração, revele-nos qualquer 
atitude errada em nós e a arranque pela raiz, para que possamos ser 
transformados.4 
Mas transformados para quê? Ora, para vivermos corretamente, podendo 
bendizer ao Senhor e agradar-lhe. Se não vivermos assim, tudo o mais que 
fizermos será puro desperdício. 
Quando nos recusamos a permitir que Deus corrija nossas falhas, abrimos 
as portas para o inimigo. É por meio das nossas falhas que Satanás entra em 
nossa vida. Deus, porém, não quer que Satanás tenha parte alguma em nossa 
vida, e para isso Ele precisa de nossa cooperação. Quando Jesus disse, em João 
14.30, que Satanás não tinha parte com Ele, quis dizer que Satanás não tinha a 
chance de entrar em Sua vida por meio de falhas não corrigidas. Afinal, Jesus 
sempre obedeceu ao Pai de modo imediato e integral. 
Encontramos um bom exemplo relacionado a esse assunto em Efésios 4.26-
27. Ali, somos instruídos a não deixar o sol se pôr sobre nossa ira; se permitirmos 
que isso aconteça, daremos lugar ao diabo. Aqueles que vivem pelas emoções irão 
permanecer com raiva até sentirem vontade de superá-la. Porém, aqueles que 
vivem pela Palavra de Deus irão se recusar a permanecer com raiva simplesmente 
porque Deus, em sua Palavra, lhes falou para agir assim. Não é muito difícil 
observar por que uns têm vitória constante na vida, enquanto outros têm pouca ou 
nenhuma. 
 
UM ESPÍRITO MANSO E TRANQÜILO 
Pedro disse que Deus quer que tenhamos um espírito manso e tranqüilo, e 
não um espírito tenso e ansioso (cf. 1 Pedro 3.4). Isso significa que Ele não quer 
que fiquemos chateados o tempo todo. Ele quer que tenhamos uma paz interior 
constante; que andemos sempre em paz. Conseguir viver assim no mundo de hoje 
é um trabalho árduo. Mas é possível fazê-lo quando temos um coração em sintonia 
com Deus; quando Lhe pedimos que coloque Seu coração e Seu Espírito em nós, 
para que sintamos o que Ele sente, queiramos o que Ele quer e odiemos o que Ele 
odeia. Ele odeia o pecado, mas ama a pessoa que o comete. 
Em Atos 13.22, lemos que Davi era um homem segundo o coração de Deus. 
Sabemos que Davi cometeu alguns erros muito graves.5 Ele pecou, mas 
arrependeu-se e se reconciliou com Deus. Sofreu as conseqüências dos seus 
pecados, mas continuou a ter um coração em harmonia com Deus. 
Particularmente, não desejo ser conhecida como uma prega-dora famosa, 
mas como alguém que anda em amor e que tem o coração em harmonia com 
Deus. 
Na verdade, é somente isso que todos precisamos ter. É imprescindível que 
a condição do coração do líder seja correta, porque o líder ministra com o coração. 
E o coração é o centro da pessoa, do espírito, da mente e do homem interior. 
Não temos de ser ministros perfeitos, mas não podemos dar a outros aquilo 
que não temos. 
Como poderemos ministrar vitória a outros se não tivermos nenhuma vitória 
em nossa vida? Como poderemos ministrar paz se não tivermos paz interior? Nem 
sempre nossas circunstâncias serão de paz, mas com a ajuda de Deus podemos 
aprender a ter paz enquanto passamos por elas. 
 
PAZ DURANTE A TEMPESTADE 
Em Marcos 4.35-41, lemos que uma tempestade surgiu quando Jesus e 
seus discípulos estavam num barco, cruzando o Mar da Galiléia. Os discípulos 
ficaram totalmente perturbados, mas Jesus serenamente repreendeu a 
tempestade, falando tranqüilamente, e a acalmou. 
Sabem por que ele foi capaz de acalmar a tempestade? Porque ele não 
permitiu que a