A FORMAÇÃO DE UM LIDER
313 pág.

A FORMAÇÃO DE UM LIDER


DisciplinaR110 materiais261 seguidores
Pré-visualização50 páginas
grande estardalhaço para entregá-lo à enfermeira. Como eu previra, as 
mulheres no salão admiraram-se com minha generosidade, falando sem parar de 
como eu era generosa por dar-lhe o broche. Quando saí do salão pensando em 
minha generosidade, o Espírito Santo falou ao meu coração: "Bem, espero que 
você tenha apreciado os elogios, porque essa foi toda a sua recompensa. Quanto 
à recompensa que eu iria lhe dar, você acaba de trocá-la pelo que aconteceu lá 
dentro". 
Com freqüência fico tentando imaginar o que Deus teria feito por mim se eu 
tivesse sido obediente e feito o que ele havia me dito para fazer, dando-Lhe a 
glória e o mérito. 
Todos temos oportunidades semelhantes de ser abençoados, mas trocamos 
a bênção por um pouco de admiração humana que nos faça sentir importantes por 
um momento. Por exemplo, quando um pregador, num culto, diz às pessoas que 
abram a Bíblia em certa passagem, temos um enorme prazer em abrir nossa Bíblia 
e nos orgulhar de como ela está toda marcada com marca-textos coloridos. Muitas 
vezes temos versículo s sublinhados, com notas manuscritas ao lado deles. Bem 
no íntimo, desejamos que os que estão próximos a nós notem isso e pensem bem 
de nós, pois damos a impressão de que estudamos muito a Bíblia. Queremos que 
os outros pensem que somos espirituais, mas devemos nos lembrar de que Deus 
não se impressiona com a quantidade de textos sublinhados que há em nossa 
Bíblia. 
Todos esses tipos de glória humana nada são para Deus. O que Ele busca 
são pessoas com um coração reto, para que as possa abençoar. Nosso grau de 
maturidade espiritual não é medido pelo número de versículos que sublinhamos, e 
nem mesmo pela quantidade de tempo que passamos lendo a Bíblia, e sim pela 
nossa obediência imediata à Palavra de Deus e pela maneira como tratamos os 
outros. 
Assim que começamos a nos sentir orgulhosos de nós mesmos e de nossas 
realizações, Deus é obrigado a nos mostrar nossas falhas. Ele não faz isso para 
nos envergonhar ou para nos fazer sentir mal, mas para nos manter numa atitude 
de total dependência dEle e para que sejamos misericordiosos com os outros, que 
também têm falhas. 
 
8. Um coração desdenhoso 
E digas: Como aborreci o ensino! 
 E desprezou o meu coração a disciplina! 
Provérbios 5.12 
 
Como líderes, devemos estar abertos ao aprendizado. Se chegarmos algum 
dia a nos acharmos conhecedores de tudo, será uma prova de que não sabemos 
nada. Precisamos parar de desprezar as coisas. Temos de parar de desprezar até 
mesmo as pequenas coisas dizendo algo como: "Detesto fazer compras no 
mercado. Odeio dirigir nesse trânsito. Detesto meu emprego". Com exceção do 
pecado, não devemos detestar nada. 
Como líderes, devemos agir movidos pelo amor de Deus, mas ainda assim 
passamos pela vida com ódio de muitas coisas misturando-o com o amor de Deus. 
Mas se há alguma coisa na vida que devemos abandonar são misturas assim. E 
preciso que de nós flua algo puro. 
Paulo nos diz que, para um coração puro, tudo é puro.15 Em Mateus 5.8, 
Jesus disse que os puros de coração verão a Deus. Creio que isso significa que os 
puros de coração terão conhecimento de revelações. Saberão o que Deus quer 
deles. 
Terão uma direção clara. Ouvirão a Deus muito claramente porque têm o 
coração puro. 
Todos somos tentados a odiar certas coisas, do mesmo modo como temos a 
tendência de ter medo de certas coisas. Deus me ensinou que o ódio é parente 
próximo do medo. Não precisamos detestar lavar os pratos, detestar acordar cedo, 
detestar ir para cama, detestar lavar roupa, etc. Satanás usa nosso ódio e nosso 
medo para nos enganar e nos colocar em situações difíceis. Essa é outra condição 
incorreta do coração que devemos abandonar. 
Não devemos ter um coração desdenhoso. Não devemos desdenhar as 
pessoas, mas também não devemos desdenhar as coisas. Não despreze seu 
emprego; seja grato por ele. Agradeça a Deus por não estar numa fila de "sopão" 
ou por não morar embaixo da ponte. Deus abençoa aqueles que têm um coração 
grato. 
Em Filipenses 4.6, lemos: Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, 
porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela 
súplica, com ações de graças. Alguns anos atrás, eu disse era uma mensagem 
que, quando pedimos a Deus que nos dê algo, devemos agradecer 
antecipadamente pelo que iremos receber, pois isso nos ajudará a liberar nossa 
manifestação de gratidão. Creio nisso. Penso que o texto em Filipenses 4.6 
significa que, quando oro por algo, devo começar a agradecer a Deus pelo que irei 
receber. 
Mas um dia Deus me revelou um âmbito mais abrangente desse versículo. 
Ele disse: "Não, o que realmente estou dizendo é que, quando você ora pedindo 
algumas coisas, tenha certeza de que está fazendo isso baseada no alicerce de 
um coração grato". E continuou: "Se você não for grata pelo que já possui, por que 
eu lhe daria mais? Pois quanto mais lhe desse, mais você reclamaria!" 
Naquela época, em meu coração eu vivia reclamando, murmurando, 
criticando e me queixando. Conseguiria encontrar milhares de coisas sobre as 
quais reclamar, mas Deus não quer que tenhamos um coração que murmura. 
Como vimos anteriormente, ele quer que venhamos a ser cartas vivas, lidas por 
todos. Observando nosso estilo de vida, as pessoas deverão perceber que há algo 
diferente em nós: "Por que você é tão feliz? Por que tem tanta paz? Por que você é 
tão amoroso?" Devemos ser sal e luz para o mundo.16 Nossa vida deve fazer com 
que as pessoas queiram ser semelhantes a nós. 
É a condição do nosso coração que, por fim, vai revelar quem realmente 
somos. Podemos usar uma camiseta com um versículo. Podemos ir à igreja e agir 
como santos. Podemos parar nosso carro num estacionamento com um adesivo 
escrito "Eu amo Jesus" colado no pára-choque. Podemos entrar e sair do templo 
com um broche escrito "Jesus" na lapela, carregando uma grande Bíblia debaixo 
do braço e fitas de estudo na bolsa. Assim que o culto começa, podemos pular, 
gritar e fazer todo tipo de coisa "correta" em público. Mas é o que acontece nos 
bastidores que realmente revela a verdadeira atitude de nosso coração. 
Há muitos anos, ouvi um famoso professor de teologia dizer: "Se você quiser 
encontrar uma pessoa espiritual, não procure na igreja". Ele disse isso porque na 
igreja é impossível identificarmos quem é autêntico e quem está encenando. 
Ele continuou dizendo: "Se você quer encontrar alguém realmente espiritual, 
vá até a casa dessa pessoa. Veja como age pela manhã quando se levanta. Veja 
como age com sua família quando as coisas dão errado. Veja como trata as 
pessoas que não lhe fazem bem". 
Isso tudo é muito importante para mim. Não quero ser uma farsa. Não desejo 
ser uma pregadora famosa, a senhora que tem um ministério de televisão de que 
todos falam bem. Quero ser autêntica. Quero ajudar as pessoas. Quero que Deus 
se alegre com minha vida. E quero que Ele se alegre com a sua também. Tudo 
isso depende da atitude de nosso coração. Devemos guardar nosso coração com 
toda diligência. No Salmo 26.2, Davi disse a Deus: examina-me, Senhor, e prova-
me; sonda-me o coração e os pensamentos. Devemos ser ousados o suficiente 
para nos achegar-mos a Deus em confiança e dizer: "Examina-me, Senhor. Se 
houver alguma coisa em mim que não esteja correta, ilumina-a com a Tua luz, 
revelando-a a mim e ajudando-me a abandoná-la". Precisamos começar a orar 
com relação a isso diariamente. Devemos pedir sempre a Deus que remova de 
nosso coração tudo o que nos impede de sermos como Ele quer. E um dos sinais 
de que estamos prontos para exercer a liderança é o fato de nos dispor-mos a 
cooperar com Deus para mantermos o coração