A FORMAÇÃO DE UM LIDER
313 pág.

A FORMAÇÃO DE UM LIDER


DisciplinaR110 materiais261 seguidores
Pré-visualização50 páginas
curá-lo para 
seguirmos em frente. 
Na época do Antigo Testamento, se um sacerdote estivesse com uma ferida 
sangrando ou um machucado, não poderia ministrar.14 Acho que atualmente há 
muitos feridos curando. Ou seja, hoje existem muitas pessoas no Corpo de Cristo 
que têm o dom de curar e estão tentando curar os outros, mas eles próprios ainda 
têm feridas não curadas do passado. Ainda estão sangrando e se sentem 
magoados. 
Estou dizendo que não podem ministrar? Não, mas estou dizendo que 
precisam ser curadas. Jesus disse que um cego não pode guiar outro cego, 
porque, se tentar, ambos cairão no barranco.15 
Há uma mensagem nessa afirmação. De que vale tentar ministrar vitória na 
vida dos outros se não há vitórias na minha própria vida? Com posso ministrar cura 
emocional a outros se ainda tenho problemas emocionais não resolvidos do meu 
passado? Para ministrarmos adequadamente, precisamos, primeiro, nos aproximar 
de Deus e permitir que Ele nos cure. 
Descobri que quando estou magoada, quando alguém fere meus 
sentimentos ou quando Dave e eu temos um problema com o outro, não consigo 
ministrar adequadamente enquanto a situação não se resolve, pois o problema me 
enfraquece e afeta minha fé. Quando tenho um problema não resolvido em minha 
vida, não sou tão forte quanto deveria ou poderia ser se não o tivesse. 
Devemos acordar e entender que Deus não está procurando feridos que 
possam curar. Ele quer pessoas com feridas que Ele mesmo possa curar, para que 
então elas prossigam, levando cura a outros. Deus tem prazer em usar as pessoas 
que foram feridas e magoadas, pois ninguém melhor para ministrar a cura do que 
quem já teve o mesmo problema ou passou pela mesma situação de quem foi 
ferido. 
Nosso novo líder de louvor me disse que estava sentindo fortes dores num 
dos principais músculos das costas. Ele estava dirigindo cinco sessões de louvor 
sem intervalo, e não estava acostumado a ficar em pé tocando violão durante tanto 
tempo. 
Antes disso, durante um ano e três meses, eu havia sofrido com a mesma 
dor nas costas. No instante em que ele falou da dor, comecei a orar por ele, crendo 
que Deus iria curá-lo, pois eu sabia o que era ter uma dor como aquela. E Deus o 
curou daquele problema. 
Não estou dizendo que temos de ter todos os problemas das pessoas para 
podermos ministrar. A questão é que se ainda estamos sofrendo e sangrando com 
nossa própria ferida, não vamos poder enfrentar o problema dos outros com a 
mesma refirme que teríamos se já tivéssemos sido libertos do nosso problema. Em 
resumo, precisamos deixar que Deus nos cure para que Ele possa nos usar para 
levar cura a outras pessoas. 
 
13. Um coração desanimado 
Quando saíres à peleja contra os teus inimigos e vires cavalos, e carros, e 
povo maior em número do que tu, 
não os temerás; pois o Senhor, teu Deus, 
que te fez sair da terra do Egito, está contigo. 
Quando vos achegardes à peleja, 
o sacerdote se adiantará, e falará ao povo, e dir-lhe-á: 
Ouvi, ó Israel, hoje, vos achegais à peleja contra 
os vossos inimigos; que não desfaleça o vosso coração 
[e vossa mente]; não tenhais medo, não tremais, 
nem vos aterrorizeis diante deles, pois o Senhor, vosso Deus, 
é quem vai convosco a pelejar por vós contra 
os vossos inimigos, para vos salvar. 
Deuteronômio 20.1-4. 
 
As pessoas desanimadas desistem facilmente. 
O que acontece quando nosso coração desanima? Simplesmente desiste. 
Em nosso coração, dizemos: "Não consigo fazer isto. É difícil demais para mim". 
Todavia, se quisermos ocupar uma posição de liderança no reino de Deus, 
não podemos deixar que isso aconteça. Como líderes do povo de Deus, não 
podemos desistir facilmente. 
Você deve estar estranhando que, numa parte deste livro, digo que o líder 
deve ter um coração doce e, em outra parte, que deve ter um coração firme. Porém 
é possível ser firme e gentil ao mesmo tempo. O segredo consiste em saber 
quando ser gentil e quando ser firme. Devemos ser gentis em relação às pessoas e 
firmes em relação ao diabo. 
Antes de aprender essa diferença, eu costumava ter muitos problemas com 
dois textos da Bíblia que aparentemente se contradiziam. Parecia-me que um dizia 
que eu deveria ser gentil como o cordeiro, enquanto o outro dizia que eu deveria 
ser ousada como um leão.16 Eu não tinha problema algum com a parte que falava 
do leão, mas tinha problema com a parte relacionada ao cordeiro. Eu tinha muito 
de leão em minha natureza, mas o aspecto do cordeiro precisava ser desenvolvido. 
Parece que a maioria das pessoas é propensa a ser mais como um ou o 
outro. Talvez você seja assim: tímido, gentil e manso como um cordeiro, preferindo 
evitar ter de lidar com alguma coisa difícil ou controversa. Então, Deus tem de pôr 
um pouco da natureza do leão em você. Ou talvez você seja interiormente parecido 
com o leão, como era o meu caso, e precise desenvolver algumas qualidades do 
cordeiro. 
Na verdade, eu estava desesperada para desenvolver uma natureza de 
cordeiro. Ser dócil não era algo natural para mim, em parte porque eu não fora 
criada num clima de ternura, e era parte porque minha natureza não era dócil. 
Em Mateus 11.28-30, Jesus diz: 
 
Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, 
e eu vos aliviarei [darei descanso e refrigério às vossas almas]. 
Tomais sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, 
porque sou manso (dócil) e humilde coração; 
e acabareis descanso (alívio, repouso, tranqüilidade) 
para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave 
(útil, bom; não opressivo e difícil, mas confortável, 
gracioso e agradável) e meu fardo é leve. 
 
Jesus é humilde, gentil, manso e tranqüilo, e não áspero, rude, brusco e 
opressivo. Eu não era como Jesus, mas queria ser. Então, para isso, cheguei ao 
extremo de colecionar pequenos cordeiros de pelúcia, colocando-os por toda a 
casa. Eu tinha fotos de cordeiro, quadros de cordeiro e gravuras de Jesus 
segurando cordeiros, de Jesus no meio dos cordeiros, carregando cordeiros em 
seus ombros. Eu tinha tantos cordeiros em casa que comecei a parecer ridícula. 
Então me desfiz de muitos deles e só deixei aqueles de que mais gostava. 
Assim como versículos colados na porta da geladeira, aqueles cordeiros 
serviam para me lembrar de que eu deveria ser mais dócil. Isso é o que 
precisamos fazer para nos lembrar de que não devemos ser desanimados. Se 
formos parecidos demais com o cordeiro, precisamos nos tornar mais parecidos 
com o leão, e vice-versa. 
Finalmente, fiz uma série de estudos intitulada "O Cordeiro com Coração de 
Leão", porque comecei a ter revelações de Deus no sentido de que, se eu não 
tivesse uma natureza como a do cordeiro, o poder do Espírito Santo não se 
manifestaria era meu ministério. Mas, ao mesmo tempo, eu sabia que o justo 
deveria ser ousado como o leão. Então, compreendi que precisava ser mansa, 
doce e gentil com as pessoas, porém ousada, dura e agressiva com o diabo, pois é 
assim que ele age conosco. 
Vez por outra precisamos ser resolutos, bater o pé e dizer: "Não 
desanimarei. Não vou desistir nem abandonar a obra de Deus, não importa o 
quanto for difícil e nem quanto tempo leve". 
Em Deuteronômio 20.8, lemos: E continuarão os oficiais a falar ao povo, 
dizendo: Qual o homem medroso e de coração tímido? Vá, torne-se para casa, 
para que [por sua causa] o coração [e mente] de seus irmãos se não derreta como 
o seu coração. 
Aqui o Senhor está nos dizendo: "Se alguns de vocês desanimam 
facilmente, não serão capazes de se posicionar contra o inimigo". 
Uma pessoa desanimada não suporta muito. Precisa que as coisas saiam 
como ela espera, senão desiste. Ela se desencoraja ou fica deprimida 
rapidamente.