A FORMAÇÃO DE UM LIDER
313 pág.

A FORMAÇÃO DE UM LIDER


DisciplinaR110 materiais261 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Seus sentimentos são facilmente magoados. Tudo a incomoda. Ela é 
demasiadamente sensível. Se essa descrição se aplica a você, quero que saiba 
que não precisa continuar assim. O poder de Deus está disponível para que você 
seja liberto desse espírito de desânimo em sua vida. 
Nesse versículo, os desanimados precisam ir para casa antes do início da 
batalha porque seu desânimo pode fazer com que os outros também desanimem 
diante do inimigo. 
Provérbios 24.10 diz: Se te mostras fraco no dia da angústia, a tua força é 
pequena. A Bíblia não promete que não passaremos por adversidades, mas 
promete que receberemos a força necessária para superar as adversidades.17 Com 
a força dada por Deus, não ficaremos desanimados nem desistiremos, não importa 
que tipo de adversidade estejamos enfrentando. 
Temos de resistir ao cansaço e à vontade de desistir, que são causados 
pelos incômodos do diabo. Não tenho medo do diabo, mas respeito seu poder. Já 
me acostumei a lutar contra ele. Percebi que isso faz parte da vida cristã. 
Talvez você esteja pensando: Mas quando é que não vou ter mais de 
fazer isso? 
A resposta é: "Nunca". Sempre haverá desafios em nossa vida. A 
intensidade de nossa reação a eles determinará a força que terão sobre nós. A 
melhor maneira de lutar contra o diabo, principalmente nos momentos de desafio e 
estresse, é acalmar-se para manter um coração pacífico e dócil, que não se 
perturbe ou fique ansioso aos olhos de Deus. É isso que irá nos ajudar a derrotar o 
diabo, como vemos era Filipenses 1.28: Em nada [nem por um instante] estais 
intimidados pelos adversários. Pois o que é para eles prova evidente de [sua 
iminente] perdição [vossa firmeza e destemor] é, para vós outros, [prova cabal] de 
salvação, e isto da parte de Deus. 
Então, quando o diabo começar a provocá-lo, permaneça firme. Não tenha 
medo. Esse será o sinal de que ele será destruído. Isso lhe mostrará que os dias 
dele estão contados, e será um sinal para Deus operar em seu favor e trazer-lhe 
livramento. 
Em Hebreus 12.3 lemos: Considerai, pois, atentamente, aquele que suportou 
tamanha oposição dos pecadores contra si mesmo [relembrando tudo e 
comparando-o com vossas próprias tubulações], para que não vos fatigueis, 
desmaiando em vossa alma. 
Decida agora mesmo que não irá desanimar! 
O versículo 5 de Hebreus 12 diz: E estais [completamente] esquecidos da 
exortação que, como filhos, discorre convosco: Filho meu, não menosprezes a 
correção que vem do Senhor, nem desmaies quando por ele és reprovado. 
Outro momento em que não devemos desanimar é quando Deus nos 
corrige, quando está tratando conosco, nos disciplinando. Há casos em que Ele 
precisa repetir a disciplina inúmeras vezes. Nesses momentos, sentimos que 
nunca mudaremos e, então, somos tentados a desistir de vez. 
Eu me lembro de quando o Senhor teve de me disciplinar várias vezes em 
relação ao meu orgulho, à minha boca e ao meu gênio difícil. Eu ficava tão 
desanimada que Dave me dizia: "Por que você não pára com isso? Você passa a 
maior parte do tempo desanimada ou consigo mesma ou com nossas 
circunstâncias". 
No início de nosso ministério, quando o dinheiro não entrava como pensei 
que fosse entrar, Dave me dizia: "Joyce, o dinheiro não vai entrar enquanto você 
não se tranqüilizar em relação a ele". 
Nessa época, Dave estava trabalhando como engenheiro e recebia uma 
gratificação de Natal todo final de ano, e nós a depositávamos no banco. Aquele 
dinheiro deveria ser usado para as eventualidades que poderíamos ter durante o 
ano seguinte, como ter de comprar pneus novos para o carro. 
Eu me preocupava muito com aquele dinheiro, tentando mantê-lo no banco, 
porque ele era minha tábua de salvação. No início do ano até que era fácil, quando 
aquele montante não havia sido mexido. Mas quando chegava o meio do ano e só 
nos restavam uns duzentos ou trezentos dólares, sempre que algo acontecia e 
éramos forçados a tirar um pouco do que restava, eu ficava terrivelmente chateada 
e começava a reclamar: "Isso sempre acontece! Sempre que conseguimos 
economizar algum dinheiro, algo acontece e temos de gastá-lo! Não suporto mais 
ver esse diabo nojento e estúpido roubando nosso dinheiro!". Eu falava sem parar, 
resistindo ao diabo e repreendendo-o. 
Por fim, um dia Dave me disse: "Vou lhe dizer quando nossa vida financeira 
vai mudar: quando você não precisar mais do dinheiro no banco para se apoiar, 
porque você vai se apoiar em Deus e confiar nEle, e não numa conta bancária". 
A verdade nos deixa irados às vezes, e fiquei com muita raiva porque sabia 
que, no fundo, aquilo era verdade. Mas não era o que eu queria ouvir, e se tivesse 
de ouvir, não queria ouvi-lo de Dave. 
Então, tirei o dinheiro do banco e disse a Dave: "Pronto! Espero que agora 
você e Deus estejam satisfeitos. Agora não temos nenhum recurso financeiro a 
que recorrer!" Depois disso, Deus começou a cuidar de nossas necessidades 
financeiras. 
Hoje essa situação pode parecer engraçada, mas não tinha graça nenhuma 
quando aconteceu. Eu tinha sérios problemas. Eu não era um bom exemplo de 
liderança nessa área, mas sou um ótimo exemplo do fato de que Deus pode fazer 
uma obra maravilhosa em nós se confiarmos sem reservas nEle e não desistirmos. 
Mas devemos enfrentar a verdade. E ter a solução para a situação de outros não 
vai resolver o nosso problema. 
Os líderes não nascem prontos; creio que são preparados aos poucos. 
Podemos nascer com certo potencial, mas ele tem de ser desenvolvido. A carne 
precisa ser crucificada. Temos de ser moldados à imagem do Senhor, como lemos 
em Romanos 8.29, que nos fala que Deus nos predestinou desde o princípio para 
nos moldar à imagem e semelhança de seu Filho Jesus. 
Submetermo-nos ao processo de moldagem não é algo divertido. Na 
verdade, dói muito. Mas, quando termina, o resultado é maravilhoso. Então, 
devemos fazer como Gálatas 6.9 nos instrui: Não nos cansemos [...], porque a seu 
tempo ceifaremos, se não desfalecermos. Em outras palavras, se nos recusarmos 
a ficar desanimados, colheremos frutos bons. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CAPÍTULO 7 
 
As CONDIÇÕES NEGATIVAS DO CORAÇÃO 
- PARTE 3 
 
Aprender sobre as condições negativas do coração pode não ser tão 
agradável para nós, mas há um propósito. Na verdade, esse aprendizado nos 
mostra nossas áreas problemáticas para que possamos cooperar com o Espírito 
Santo na superação dos nossos problemas. Se você percebe que algumas das 
condições negativas mencionadas neste livro existem em sua vida, saiba que você 
não é o único, por isso quero encorajá-lo. Todos temos áreas de nossa vida que 
precisamos corrigir. 
Nem sempre podemos evitar as circunstâncias que nos levam a ter atitudes 
incorretas, mas podemos aprender a evitar essas atitudes. E, como crentes, 
sabemos que Deus está conosco e que, à medida que vamos passando mais 
tempo a sós com Ele, em oração e lendo Sua Palavra, Ele nos fortalece 
diariamente para que possamos fazer o que é preciso para que seus bons planos 
para nossa vida se cumpram. 
Antes de falarmos das condições positivas do coração na liderança, há ainda 
outras condições negativas que precisamos abordar. 
 
14. Um coração malicioso 
Quando cair o teu inimigo, não te alegres, 
e não se regozije o teu coração quando ele tropeçar; 
para que o Senhor não veja isso, e lhe desagrade, 
e desvie dele a sua ira [e recaia sobre ti um ofensor pior]. 
Provérbios 24.17-18. 
 
Ter um coração malicioso significa simplesmente desejar que quem nos fez 
algum mal pague por aquilo. 
O autor dessa passagem está dizendo que se alguém nos faz algum mal e 
mais tarde ficamos contentes porque