A FORMAÇÃO DE UM LIDER
313 pág.

A FORMAÇÃO DE UM LIDER


DisciplinaR110 materiais261 seguidores
Pré-visualização50 páginas
a usar as pessoas de bom coração que tenham 
alguns problemas do que uma pessoa cuja vida pareça estar totalmente em ordem, 
mas que tenha um coração mau. 
É importante estarmos em contato com nosso mundo interior, observando 
como nos sentimos e pensamos com relação a tudo. É preciso mantermos esse 
contato com o que a Bíblia chama de "homem interior", como vimos, se quisermos 
ser usados por Deus como líderes em seu reino ou ter uma vida cristã bem-
sucedida 
Nos capítulos anteriores, vimos algumas condições negativas do coração 
que impedem que a pessoa seja o tipo de líder que Deus deseja. Agora vamos 
refletir sobre algumas das condições positivas do coração que Deus quer que os 
líderes tenham. 
 
1. Um coração disposto 
Disse o Senhor a Moisés: Fala aos filhos de Israel que me tragam oferta; de todo 
homem cujo coração o mover para isso, dele recebereis a minha oferta. 
Êxodo 25.1-2. 
 
Quando falamos de um coração disposto, nos referimos, basicamente, ao 
"querer". Sem isso, nunca faremos nada. 
Nesses muitos anos de meu ministério, tive de me esforçar para superar 
muitas coisas negativas. Sim, havia um chamado de Deus para minha vida, mas 
eu precisava de algo mais além do chamado. Eu precisava de muito "querer". 
Quando observo a mim mesma e às outras pessoas, chego à conclusão de 
que acabamos fazendo aquilo que queremos. Se há algo que queremos muito 
fazer, acabamos achando um modo de fazê-lo. 
O "querer" é algo poderoso. Com ele podemos perder peso, manter a casa 
limpa, economizar dinheiro, quitar as dívidas ou alcançar qualquer outro objetivo a 
que nos propusermos na vida. Não gostamos muito quanto temos de enfrentar o 
fato de que nossa vitória ou derrota tem muito a ver com o nosso "querer". 
Preferimos culpar algo ou alguém. Mas creio que precisamos nos sentar e fazer 
um bom inventário de nosso "querer". Devemos, pelo menos, ser honestos e dizer: 
"Senhor, não obtive aquela vitória porque eu não a queria. Não orei ou li a Bíblia 
porque não queria. Não passei tempo meditando em Sua Palavra ou falando com o 
Senhor porque não queria. Ao contrário, fiquei a noite toda no sofá vendo 
televisão, porque eu queria". 
Não há problema algum com o descanso e o lazer, mas precisamos definir 
as nossas prioridades. Como eu disse, preferimos colocar a culpa de nossos 
fracassos em alguém ou algo, e não em nós mesmos. Gostamos de culpar o diabo, 
outras pessoas, o passado, e assim por diante, quando a verdade é que, na 
maioria das vezes, não temos o tipo certo de "querer". 
Se quisermos servir a Deus sendo líderes, precisamos "querer". Devemos 
ter um coração disposto. Na verdade, Deus não está interessado em nossas boas 
obras se não as fizermos com o coração disposto. 
Muitos anos atrás, Deus teve de trabalhar nisso comigo porque eu vivia sob 
a lei. Era muito legalista e insegura por causa das minhas muitas feridas do 
passado. Eu estava fazendo o que era certo, mas com todas as motivações 
erradas. Eu o fazia porque tinha medo de que, se não fizesse, Deus iria ficar irado 
comigo ou não se agradaria de mim. 
Tantas vezes orei porque achei que tinha de orar, mas meu coração estava 
longe. Eu fazia isso movida por um sentimento de obrigação. Lia a Bíblia 
religiosamente, cobrindo muitos capítulos todos os dias; seguia rigidamente meu 
horário de oração porque sentia que, agindo assim, estava cumprindo a lei. 
Lembro-me de um dia em que Deus falou comigo muito claramente: "Joyce, 
não quero que você me dê nada ou faça nada por mim que não sinta vontade". 
Recordo-me de ter pensado: Não é possível que seja Deus! 
Não estou dizendo que não haverá dias em que teremos de nos disciplinar. 
Mas até nisso temos de ter vontade, e não fazê-lo por obrigação. Temos realmente 
de disciplinar nossa carne para fazer o que está em nosso coração, porque "a 
carne milita contra o Espírito". Nem sempre temos vontade de fazer o que quere-
mos, mas não é necessário sentir vontade de fazê-lo; basta querer fazer o que 
devemos. A determinação é que tem de assumir o comando, e não os 
sentimentos. 
Há muitas ocasiões em que não sinto vontade de viajar pelo país fazendo 
conferências. Mas continuo viajando porque, no fundo, quero fazer isso. Minha 
carne nem sempre o quer, mas meu espírito sim; então vou, apesar de meus 
sentimentos, porque tenho um coração disposto. Isso é o que Deus quer que seu 
povo tenha, como observamos em sua Palavra: 
 
Tomai, do que tendes, uma oferta para o Senhor; 
cada um, de coração disposto, voluntariamente a trará 
por oferta ao Senhor: ouro, prata, bronze, ... 
Vieram homens e mulheres, todos dispostos de coração; 
trouxeram fivelas, pendentes, anéis, braceletes, 
todos os objetos de ouro; todo homem fazia oferta 
de ouro ao Senhor;... Os filhos de Israel trouxeram 
oferta voluntária ao Senhor, a saber, 
todo homem e mulher cujo coração os dispôs para trazerem 
uma oferta para toda a obra que o Senhor tinha ordenado 
se fizesse por intermédio de Moisés. 
Êxodo 35.5, 22, 29. 
 
Você sabe o que um forte "querer" faz na área relativa à oferta? Ele nos faz 
dar de modo sacrificial. Se o quisermos intensamente, de algum modo acharemos 
algo para dar. 
Lembro-me de quando Dave e eu tínhamos pouco dinheiro. Ele pegava os 
quadros da parede e as colchas da cama e os ofertava. São impressionantes os 
sacrifícios que fazemos quando realmente nosso "querer" é forte. 
 
VONTADE DE ESTAR DISPOSTOS 
O povo se alegrou com tudo o que se fez voluntariamente; 
porque de coração íntegro deram eles liberalmente ao Senhor; 
também o rei Davi se alegrou com grande júbilo. 
1 Crônicas 29.9. 
 
Você gosta quando as pessoas fazem algo por você, mas você sabe que, no 
fundo, não queriam fazer? Tenho aversão a esse tipo de coisa. Creio que seja 
parte da minha criação. Parece-me que até mesmo quando meu pai me deixava 
fazer algo, na verdade não queria que eu fizesse. Até hoje, quando as pessoas 
não querem fazer algo para mim, prefiro deixar para lá. 
Se nós somos assim, quanto mais Deus! Conseguimos esconder nossos 
sentimentos verdadeiros das pessoas de forma até razoável, mas não podemos 
esconder nosso coração de Deus. Temos de começar a ser honestos quanto aos 
nossos sentimentos e fazer as coisas com um coração desejoso, ou, pelo menos, 
começar a orar a Deus para que Ele nos dê um coração disposto, para que 
possamos fazer tudo com as motivações certas. 
Algumas vezes teremos de orar assim: "Senhor, me dê a vontade de ter 
disposição". E em outras ocasiões teremos de orar assim: "Senhor, dê-me a 
vontade de ter disposição, pois não estou disposto a ter nenhuma disposição!" 
Deus examina a atitude do nosso coração, e o que quer que façamos para 
Ele devemos fazer de boa vontade: 
 
Bem sei, meu Deus, que tu provas os corações e 
que da sinceridade te agradas; eu também, 
na sinceridade de meu coração, dei voluntariamente 
todas estas coisas; acabo de ver com alegria que o teu povo, 
que se acha aqui, te faz ofertas voluntariamente. 
1 Crônicas 29.17. 
 
Deus não se agrada daquilo que fazemos por obrigação ou em obediência 
rígida à lei: 
 
Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, 
não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama 
(sente prazer, valoriza acima de qualquer coisa, não abre mão) 
a quem dá com alegria (cujo coração é dadivoso). 
2 Coríntios 9.7. 
 
Gosto da tradução que a Versão Amplificada da Bíblia fez desse versículo, 
pois ressalta o fato de que o Pai se deleita naqueles que Lhe fazem ofertas 
voluntariamente, com disposição, alegria e júbilo, mas Ele não se agrada daqueles 
que dão por terem sido coagidos ou persuadidos pelo