A FORMAÇÃO DE UM LIDER
313 pág.

A FORMAÇÃO DE UM LIDER


DisciplinaR110 materiais261 seguidores
Pré-visualização50 páginas
que eu saiba o que fazer nesta situação". 
Não devemos ter um coração questionador; nosso coração deve ser 
reflexivo para que possamos ficar em paz. 
 
14. Um coração perdoador 
Então, Pedro, aproximando-se, lhe perguntou: Senhor, 
até quantas vezes meu irmão pecará contra mim, 
que eu lhe perdoe? Até sete vezes? 
Respondeu-lhe Jesus: Não te digo que até 
sete vezes, mas até setenta vezes sete. 
Mateus 18.21-22. 
 
Como líderes, não vamos chegar a lugar algum se não estivermos prontos a 
perdoar os outros. Isso é algo que teremos de fazer com freqüência. O Senhor nos 
fala claramente na Bíblia que se não perdoarmos aos outros por seus erros contra 
nós, Deus não perdoará as nossas transgressões contra Ele.8 
Em que situação estaríamos se Deus se recusasse a nos perdoar? Não 
poderíamos ter um relacionamento com Ele. Tudo em nossa vida perderia a razão 
de ser. Às vezes achamos que podemos guardar rancor contra alguém e, ainda 
assim, irmos a Deus para receber perdão pelos nossos pecados. Mas o Senhor 
nos diz na Bíblia que isso não é possível. 
Jesus nos ensinou a orar desta forma: "Perdoa-nos as nossas dívidas, assim 
como nós temos perdoado aos nosso devedores".9 Deus é um Deus de 
misericórdia, e a questão do perdão é muito importante para Ele. Em sua Palavra, 
Ele nos diz várias vezes que se quisermos alcançar misericórdia, devemos 
demonstrar misericórdia. 
Em Mateus 18.21-22, Pedro pergunta a Jesus se devemos perdoar ao nosso 
irmão sete vezes. Jesus disse que devemos fazê-lo setenta vezes sete, e não sete 
vezes. 
Não sei se, como eu, você fica feliz porque Deus não impôs um limite sobre 
a quantidade de vezes em que Ele nos perdoará. Quantos de nós fazemos a 
mesma coisa errada pelo menos setenta vezes sete, e Deus, ainda assim, nos 
perdoa? Queremos receber o perdão de Deus vezes sem fim, mas é 
impressionante como quase nunca queremos perdoar os outros. Aceitamos 
alegremente a misericórdia, mas é surpreendente como podemos ser rígidos, 
legalistas e sem misericórdia para com os outros, principalmente se eles nos 
fizeram algum mal. Mas a Bíblia diz que a dívida que temos com Deus é muito 
maior do que qualquer dívida que alguém possa ter conosco. 
Em Mateus 18.23-35, Jesus conta a história de um servo que devia uma 
quantia enorme ao seu senhor e foi perdoado dessa dívida. Mas aquele servo saiu 
dali para pressionar outro servo que lhe devia uma quantia bem menor, 
ameaçando-o de mandá-lo para a prisão se ele não pagasse imediatamente o que 
devia. O outro servo começou a implorar para que tivesse mais tempo para pagar-
lhe, mas o homem o mandou para a prisão. Quando os outros servos ficaram 
sabendo o que havia acontecido, contaram ao seu senhor, que chamou o servo 
impiedoso e disse-lhe: "Como ousa sair daqui depois de ser perdoado de uma 
quantia tão grande e ir diretamente cobrar e ser tão impiedoso com alguém que lhe 
devia uma quantia tão irrisória?" 
Aprendemos na Palavra que há uma punição para esse tipo de 
comportamento. Creio que muito dos problemas que temos na vida resultam de 
uma atitude de falta de perdão para com os outros. 
Uma de minhas filhas disse: "Não é fácil entrar na equipe do Ministério Vida 
na Palavra, mas depois que se entra, é muito difícil sair dela!". É verdade. 
Avaliamos nossos candidatos cuidadosamente. Eles passam por uma inspeção 
rigorosa antes de serem convidados a fazer parte de nossa equipe. Mas, assim 
que entram, trabalhamos com eles, tratamos deles e os corrigimos várias vezes. 
Geralmente não tenho muito tempo para isso. Mas o Senhor sempre me 
lembra quanto tempo Ele fez isso por mim durante todos esses anos de ministério, 
principalmente no início, quando eu tinha tantos problemas. Ele não me dispensou 
quando não consegui fazer algumas coisas na primeira tentativa. Ao contrário, Ele 
acreditou em mim, me escolheu, trabalhou comigo, me aconselhou e me fez rodear 
as mesmas montanhas várias vezes. 
É assim que agimos com nossos funcionários. Contanto que a pessoa esteja 
aberta à correção, trabalhamos com ela. As únicas pessoas com quem não temos 
como trabalhar são as que estão tão cheias de orgulho que acham que não 
podemos lhes orientar em nada. A única coisa que não podemos suportar em 
nossa organização é a contenda, pois ela destrói a unção. Dave e eu trabalhamos 
muito para manter uma forte unção no ministério, portanto não podemos permitir 
que alguém venha e a destrua com contenda. 
Em resumo, se quisermos nos relacionar bem com as pessoas, teremos de 
perdoar inúmeras vezes. 
 
O PERDÃO LIBERA A UNÇÃO 
No versículo 34 de Mateus 18, Jesus disse que o senhor entregou o servo 
impiedoso aos torturadores, ou carcereiros, até que ele pagasse toda sua dívida. 
Creio que quando nos recusamos a perdoar outras pessoas, somos nós que 
acabamos numa prisão de tortura emocional. Magoamo-nos muito mais do que 
magoamos os outros, pois quando guardamos amargura, rancor e falta de perdão 
contra alguém, nos sentimos péssimos. 
No final da história, Jesus alerta seus ouvintes: Assim também meu Pai 
celeste vos fará, se do íntimo não perdoardes cada um a seu irmão. 
Se quisermos ser usados por Deus no ministério, devemos aprender a 
perdoar, porque essa é uma área na qual Satanás nos atacará constantemente. 
Ele quer que fiquemos encarcerados na amargura, na falta de perdão e no rancor, 
pois sabe que a contenda e a discórdia que essas coisas produzem podem destruir 
completamente um ministério. 
Lemos na Bíblia que onde há unidade há unção.10 Já vimos que a unção é o 
poder de Deus; é a capacitação que ele nos dá, ajudando-nos de forma que algo 
que poderia ser difícil de fazer torna-se fácil. É impossível ministrar sem unção. 
Sem unção pode-se praticar estelionato em nome de "Deus", mas é impossível ter 
um ministério verdadeiro. Se a unção não estiver sobre um ministério, as pessoas 
não virão. E se acaso vierem, não ficarão, porque a maioria sabe distinguir entre o 
engano e a unção. 
Preciso de unção em meu ministério porque ela é a coisa mais importante 
que tenho. Só o que possuo é o dom da comunicação. Tudo o que sei que preciso 
fazer é ficar diante do público e buscar ser obediente a Deus. Não faço nada muito 
rebuscado. Simplesmente me levanto e faço a obra, pela fé e em oração, crendo 
que é Deus quem está operando, e Ele sempre é fiel para fazê-lo. Aprendi que se 
deixar de perdoar, não terei unção. Também não posso permitir que haja contenda 
em meu ministério, em meu casamento, em minha casa e em meus 
relacionamentos com outros, pois deixaria de ter a unção sobre mim. 
Se quisermos ter a unção, temos de aprender a ser mais afetuosos, 
relacionando-nos mais facilmente com os outros e perdoando imediatamente os 
que nos fazem algum mal. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CAPÍTULO 10 
 
As CONDIÇÕES POSITIVAS DO CORAÇÃO 
- PARTE 3 
 
Neste capítulo, veremos várias outras condições positivas do coração, por 
meio das quais Deus nos ajuda a nos tornarmos líderes de êxito. 
Conforme você vai colocando-as em prática na sua vida, creio que elas o 
ajudarão a levá-lo de sua atual situação para a posição de liderança que Deus 
reservou para você. 
 
15. Um coração aberto 
Certa mulher, chamada Lídia, 
da cidade de Tiatira, vendedora de púrpura, 
[que já era] temente a Deus, nos escutava; 
o Senhor lhe abriu o coração para atender às coisas 
que Paulo dizia. Certa mulher, chamada Lídia, 
da cidade de Tiatira, vendedora de púrpura, 
temente a Deus, nos escutava; 
o Senhor lhe abriu o coração 
para atender às coisas que Paulo dizia. 
Atos 16.14. 
 
Na cidade de Filipo, para onde Deus enviou