A FORMAÇÃO DE UM LIDER
313 pág.

A FORMAÇÃO DE UM LIDER


DisciplinaR110 materiais261 seguidores
Pré-visualização50 páginas
mal-humorada, ele me diz: "Ah, estou 
vendo aquele antigo brilho novamente em seus olhos". Algum tempo atrás, ele me 
disse: "Uma coisa é certa, querida: não posso nunca reclamar que é um tédio ficar 
casado com você". 
Mas eu me sentia como se estivesse sendo esmagada. Eu estava casada 
com um homem que não fazia as coisas do modo que eu queria. Deus me dizia 
que eu tinha de me submeter a ele, mas nós nunca concordávamos em nada. Eu 
reagia dizendo a Deus: "Senhor, se tiver de me submeter a ele, nunca vou conse-
guir nada na vida!" 
Eu tinha uma amiga que era perfeccionista e tinha uma personalidade 
colérica, e as pessoas de personalidade colérica e perfeccionista são irritantes. 
Também havia uma pessoa em minha vida que era totalmente vaga em relação a 
tudo o que queria fazer, e eu sempre tive alvos definidos e sabia o queria fazer. 
Parecia que para onde quer que me virasse, esbarrava no "esmeril". 
Eu achava que todos eram problemáticos, exceto eu. Ficava resistindo a 
tudo o que agora sei que Deus colocou em minha vida. Então, finalmente, entendi 
que Deus coloca pessoas irritantes em nossa vida e não temos como fugir. Se 
tentarmos fugir de uma, esbarraremos com mais duas iguais a ela na próxima 
esquina. 
Eu costumava ficar cantando "Tudo, ó Cristo, a Ti entrego...". Porém, quando 
alguém não muito amável aparecia, eu ficava chateada novamente e queria fugir 
da pessoa. 
Mas precisamos aprender a amar os não amáveis. Da próxima vez que você 
deparar com alguém irritante, diga a si mesmo: "Não entre em pânico, carne. Isso 
é somente um teste". Sacuda a poeira e vá em frente. 
Em Gálatas 6.1-2, lemos: 
 
Irmãos, se alguém for surpreendido nalguma falta, 
vós, que sois espirituais [sensíveis à orientação do Espírito 
e controlados por ela], corrigi-o com espírito de brandura; 
e guarda-te para que não sejas também tentado. 
Levai (suportai, carregai) as cargas uns dos outros e, 
assim, cumprireis a lei de Cristo. 
 
O que Paulo está nos dizendo nesse texto? Ele está dizendo que teremos de 
aprender a conviver uns com os outros. Teremos de aprender a suportar algumas 
coisas de que não gostamos. Nem todos vão pensar, falar e agir da forma que 
queremos. Mas, como membros do Corpo de Cristo, o que devemos fazer é 
perdoar-lhes. Nem todos vão ser ou fazer o que queremos, mas podemos perdoar-
lhes e amá-los mesmo assim. 
 
 
 
7. O Teste do Tempo 
Há, todavia, uma coisa, amados, que não deveis esquecer: 
que, para o Senhor, um dia é como mil anos, 
e mil anos, como um dia. 
2 Pedro 3.8. 
 
Deus não se move no nosso ritmo. Ele nunca se atrasa, e também não 
costuma se adiantar. Geralmente Ele é o Deus da madrugada. Algumas vezes Ele 
espera até o último momento antes de nos dar aquilo de que precisamos. É como 
se estivéssemos nos afogando e, no último suspiro, Deus chegasse para nos 
resgatar. 
Devemos aprender a confiar no tempo de Deus. Mas, antes de 
conseguirmos fazer isso, precisamos chegar a um ponto em que estejamos 
quebrantados diante dEle. O que quero dizer é que nossa vontade própria e o 
nosso espírito de não dependência de Deus devem estar quebrantados diante de 
Deus, antes que Ele esteja livre para operar Sua vontade em nossa vida e 
circunstâncias. Antes de intervir em nosso favor, Ele precisa ter a certeza de que 
não vamos querer resolver o problema por nossas próprias forças e fazer algo fora 
de Seu tempo perfeito. 
Gálatas 6.9 diz: E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo 
ceifaremos, se não desfalecermos. É interessante notar que as Escrituras sempre 
nos encorajam. 
Ainda assim, Deus não nos fala muita coisa nesse versículo, pelo menos em 
relação ao tempo exato em que algo ira acontecer, porque a seu tempo não indica 
algo muito específico. Se começarmos a procurar referências sobre o tempo na 
Bíblia, encontraremos descrições como "a Seu tempo, no tempo determinado". 
Muitas vezes, quando estou esperando em Deus em relação a uma situação e 
sinto-me desencorajada em relação ao tempo que Ele leva para responder, alguém 
me cita algum versículo desse tipo. Eles me encorajam, mas continuo sem saber, 
porque "a Seu tempo" é, na verdade, o tempo que Deus sabe ser o melhor. 
O salmista Davi escreveu uma poderosa mensagem no Salmo 31.14-15: 
Quanto a mim, confio em ti, Senhor. Eu disse: tu és o meu Deus. Nas tuas mãos, 
estão os meus dias; livra-me das mãos dos meus inimigos e dos meus 
perseguidores. Como o salmista, devemos aprender a colocar nossa confiança no 
Senhor, crendo que Ele vai nos livrar de nossas circunstâncias difíceis a Seu 
tempo, que é perfeito. 
O salmista também diz no Salmo 34.19: Muitas são as aflições do justo, mas 
o Senhor de todas o livra. Mas ele não diz exatamente quando Deus livra o justo, 
nem diz por que às vezes há um período de espera antes do livramento. 
Creio que algumas vezes temos de esperar para que Deus nos livre e 
coloque compaixão em nós por aqueles a quem vamos ministrar. 
Há alguns anos, fiquei muito doente durante certo tempo. Lembro-me de 
estar deitada na cama, orando e clamando ao Senhor. Não entendia por que ele 
não me livrava daquela aflição. Tinha medo de como a doença poderia evoluir e a 
que ponto chegaria. 
De repente, Deus falou claramente comigo: "Essa doença não é para a 
morte, mas para a vida".1 Embora não soubesse, por mim mesma, o que Ele queria 
dizer, por intermédio de Seu Santo Espírito em mim eu sabia que Ele queria dizer 
que estava operando mais vida em mim, mais confiança nEle, uma proximidade 
maior com Ele. Eu sabia que não tinha de temer a morte porque Deus me livraria 
na hora certa. E assim foi. Ele sempre o faz. 
Em resumo, precisamos confiar no tempo de Deus, crendo que enquanto 
esperamos a cura, Ele trabalha em nós, pois tem um propósito para nós. 
 
CRESCENDO NA FÉ 
Em 2 Coríntios 12.7-9, Paulo fala do espinho na carne que lhe foi posto e diz 
que havia pedido a Deus três vezes que o livrasse desse espinho. Nós já 
imaginamos várias possibilidades quanto ao que seria esse espinho, por que ele foi 
colocado em Paulo e por que Deus se recusou a removê-lo. Creio que deixamos 
de compreender a verdadeira questão, pois o próprio Paulo respondeu a essas 
perguntas: 
 
E, para que não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, 
foi-me posto um espinho na carne, mensageiro de Satanás, 
para me esbofetear, afim de que não me exalte. 
Por causa disto, três vezes pedi ao Senhor 
que o afastasse de mim. Então, ele me disse: 
A minha graça te basta, 
porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, 
pois, mais me gloriarei nas fraquezas, 
para que sobre mim repouse o poder de Cristo. 
 
No versículo 9, Deus diz a Paulo: Minha graça é suficiente para você, pois o 
meu poder se aperfeiçoa na fraqueja (NVT). Enquanto Deus não nos cura, Ele nos 
dá graça, força e habilidade para passarmos pelo problema e continuarmos 
andando no fruto do Espírito, agindo da forma que devemos agir. 
Creio que há diferentes níveis de fé. Um nível da fé nos livra das 
tribulações, mas outro nos faz passar pelas tribulações e vencê-las. Algumas 
pessoas acham que a fé que nos livra das tribulações é maior. Não concordo. 
Creio que a mesma intensidade de fé é necessária tanto para orar por livramento 
quanto para orar para que continuemos a andar em fé, no poder libertador de 
Deus, quando ele não se manifesta. É no momento de teste que crescemos na fé. 
Há momentos em que Dave e eu oramos por algo e recebemos a resposta 
imediatamente. Em outras ocasiões, temos de andar em fé durante um certo tempo 
antes de recebermos a resposta. Nessas ocasiões, temos de crer na Palavra de 
Deus, e não em nossa experiência. Esse