FICHAMENTO GESTAO OPER PROD
7 pág.

FICHAMENTO GESTAO OPER PROD


DisciplinaAnálise Organizacional2.760 materiais50.693 seguidores
Pré-visualização2 páginas
ser composta por ingredientes naturais, uma mudança significativa nas preferencias de gosto dos consumidores começou a despontar junto com o novo milênio em meio a chamados para um estilo de vida saudável. Essa mudança sinalizou para a Coca um novo mercado, lançando os produtos com zero de caloria dirigido ao mercado jovem adulto. Bebidas sem gás, em geral, representaram uma nova e excitante oportunidade de crescimento, gerando alta demanda em lojas de conveniência, postos de gasolina, desencadeando o consumo imediato de compras por impulso. 
CCE em 2010
Devido ter que injetar uma grande parte de seu capital para comprar engarrafadores da Coca o nível da divida da CCE aumentou drasticamente e impactou a vontade e habilidade deles de investir no negocio. Por outro lado, engarrafadores menores com cargas de dividas mais leves estavam fazendo novos investimentos em busca de maiores inovações como melhorar e automatizar seu sistema de pedidos. 
Concorrência 
A Pepsi sempre foi a maior concorrente da Coca, grandes batalhas comerciais sempre foi travada entre as duas empresas e grandes aquisições e investimentos também sempre fizeram parte da historia de ambas empresas. Assim como acertaram muito também eram 
muito nos negócios com investimentos inoportunos e publicidades que não correspondia as expectativas. 
Reversão de Táticas 
Em 25 de fevereiro de 2010, a Coca anunciou a maior mudança em seu modelo de negócios desde 1986, assumindo novamente o controle do negocio de engarrafamento comprado as operações norte-americanas da CCE. Foi uma transação sem dinheiro onde a Coca assumiu as dividas da CCE e abriu mão de seus 34% de participação na CCE. Enquanto isso, a CCE assumiu as operações de engarrafamento da própria Coca na Noruega e Suécia. Mas em termo de receitas, a Coca dependeria agora da América do Norte para gerar quase metade de suas vendas. A Coca citou dados do censo americano projetando que 11 estados sulinos seriam responsáveis por 80% de crescimento da população até 2020. Sistemas de tecnologia da informática e operações administrativas poderiam ser também coordenados representando um ganho adicional na poupança de custos. Para gerar melhor eficiência estrutural a Coca abriu uma nova unidade integrada: CCR que consistia nas operações da CCE e concentrava a representação todo o portfólio de produtos. 
O próximo modelo dos negócios 
As opiniões se divergiam entre os executivos da Coca, uns defendendo as aquisições de engarrafadoras nos EUA, apesar das vendas lentas dos últimos anos ainda representavam o maior mercado para os produtos não alcoólicos. Outra decisão focou a criação de uma nova plataforma de produção que pudesse atender o mercado da maneira mais eficiente e eficaz. Outros executivos acrescentaram que a marca popular Coca-Cola precisava permanecer mais local, pois tinha giro rápido e requeria menos tempo de produção. Baseado na alta velocidade das marcas, alguns executivos da Coca argumentavam que fazia mais sentido manter a produção perto dos clientes. Outros já se inclinavam por modelo de negócios diferente: manter a produção em casa, mas terceirizar a distribuição. Alguns executivos argumentaram que uma entidade tinha que gerir o escopo e a escala das 500 marcas da Coca. Um sistema gerencial centralizado poderia negociar com grandes clientes nacionais.
O que vem agora ?
O desempenho da Coca em 2010 e inicio de 2011sinalizou que Kent estava dirigindo a empresa pelo caminho certo. O sucesso do lançamento da Coca Diet foi sua maior vitória por assumir a posição numero dois entre os refrigerantes mais populares, desbancando seu maior concorrente a Pepsi que ocupava essa posição a mais de duas décadas. 
Seu esforço e investimento em marketing foram reconhecidos por diversos observadores do mercado. Evoluir, sim, mas definitivamente formar parceiros nos negócios norte-americanos. Como promover uma nova década de crescimento e prosperidade?
 
	
\ufffd