Resumo lei de Improbidade 8429
32 pág.

Resumo lei de Improbidade 8429


DisciplinaDireito Administrativo I54.684 materiais993.362 seguidores
Pré-visualização8 páginas
ato de improbidade administrativa que enseja enriquecimento ilícito do agente público e prejuízo ao erário. 
FALSO. Somente prejuízo ao erário. 
XX - LIBERAR RECURSOS de parcerias firmadas pela administração pública com entidades privadas sem a estrita observância das normas pertinentes OU influir de qualquer forma para a sua aplicação irregular.    
Concessão ou aplicação indevida de benefício financeiro ou tributário
Art. 10-A.  Constitui ato de improbidade administrativa qualquer ação ou omissão para CONCEDER, APLICAR ou MANTER benefício financeiro ou tributário contrário ao que dispõem o caput e o § 1º do art. 8º-A da Lei Complementar nº 116, de 31 de julho de 2003.  
Atenta à administração
Art. 11. Constitui ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da administração pública qualquer ação ou omissão que viole os deveres de honestidade, imparcialidade, legalidade, e lealdade às instituições, e notadamente:
O dever de imparcialidade, quando violado por servidor público, configura prejuízo ao interesse público, passível de punição como ato de improbidade administrativa. 
CORRETO. Note que imparcialidade ESTÁ NO CAPUT , mas é algo que se for violado enseja improbidade do mesmo jeito.
I - PRATICAR ATO visando fim PROIBIDO em lei ou regulamento ou DIVERSO daquele previsto, na regra de competência;
II - RETARDAR ou DEIXAR de praticar, indevidamente, ato de ofício;
Q327960 O servidor público que, em virtude de ideologia política ou religiosa, deixa de realizar atividades previstas para o cargo que ocupa, comete ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da administração pública
III - REVELAR fato ou circunstância de que tem ciência em razão das atribuições e que deva permanecer em SEGREDO;
IV - negar publicidade aos atos oficiais;
Q392202 Servidor público que omitir ou negar a publicidade de qualquer ato oficial incorre em improbidade administrativa. 
FALSO. Por mais que aqui a lei seja SECA , sabemos que existem atos sigilosos , então alguns não podem ser públicos.
V - frustrar a licitude de CONCURSO PÚBLICO;
Frustrar concurso público é ato que atenta contra ADM. Frustrar licitação é prejuízo ao erário.
VI - deixar de prestar contas quando esteja obrigado a fazê-lo;
VII - REVELAR ou PERMITIR que chegue ao conhecimento de terceiro, antes da respectiva divulgação oficial, teor de medida política ou econômica capaz de afetar o preço de mercadoria, bem ou serviço.
VIII - descumprir as normas relativas à celebração, fiscalização e aprovação DE CONTAS de parcerias firmadas pela administração pública com entidades privadas.
CUIDADO que o LIBERAR RECURSO sem observar as normas ou Influenciar que os RECURSOS das parcerias firmadas sejam utilizados indevidamente causa prejuízo ao Erário.
IX - deixar de cumprir a exigência de requisitos de ACESSIBILIDADE previstos na legislação.        
X - TRANSFERIR RECURSO a entidade privada, em razão da prestação de serviços na área de saúde sem a prévia celebração de contrato, convênio ou instrumento congênere, nos termos do parágrafo único do art. 24 da Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990.         
Os que geram prejuízo ao erário é CELEBRAR CONTRATO sem observar as formalidades legais. Aqui é transferir recurso PARA A SAÚDE sem celebrar NADA.
Das penas
LEMBRAR: A pena de \u201cproibição de contratar\u201d tem mais coisa, é proibição também de receber benefício ou incentivo, fiscal ou creditício ...
Natureza CÍVEL: Ressarcimento ao erário / Perda de bens / Proibição de receber incentivos.
Natureza ADM: Perda da função pública / Proibição de Contratar / Proibição de receber incentivos.
Natureza política: Suspensão dos direitos políticos.
Art. 12.  Independentemente das sanções penais, civis e administrativas previstas na legislação específica, está o responsável pelo ato de improbidade sujeito às seguintes cominações, que PODEM ser aplicadas isolada ou cumulativamente, de acordo com a gravidade do fato:
Parágrafo único. Na fixação das penas previstas nesta lei o juiz levará em conta a extensão do dano causado, assim como o proveito patrimonial obtido pelo agente.
Pena para Enriquecimento ilícito.
I - na hipótese do art. 9°
Perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio
Ressarcimento integral do dano, quando houver (no prejuízo ao erário aqui não tem esse quanto)
 Perda da função pública
 Suspensão dos direitos políticos de 8 a 10 anos
 Pagamento de multa civil de até três vezes o valor do acréscimo patrimonial 
Proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de dez anos;
Prejuízo ao erário
II - na hipótese do art. 10
Perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio, se concorrer esta circunstância (no enriquecimento não tem essa ressalva)
Ressarcimento integral do dano
Perda da função pública
suspensão dos direitos políticos de cinco a oito anos
pagamento de multa civil de até duas vezes o valor do dano 
proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de cinco anos;
Atenta aos princípios da ADM
III - na hipótese do art. 11
Não tem perda de bens e valores acrescidos
Ressarcimento integral do dano, se houver
Perda da função pública,
Suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos
Pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente 
Proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de 
três anos.
Benefício tributário indevido
IV - na hipótese prevista no art. 10-A
Perda da função pública
Suspensão dos direitos políticos de 5 (cinco) a 8 (oito) anos 
 Multa civil de até 3 (três) vezes o valor do benefício financeiro ou tributário concedido. 
Parágrafo único. Na fixação das penas previstas nesta lei o juiz levará em conta a extensão do dano causado, assim como o proveito patrimonial obtido pelo agente.
RESUMO PENAS
	 
	Suspensão Direitos Pol.
	Multa
	Proibição de contratar
	Enriquecimento
	8 a 10 anos
	3x o acréscimo
	10 anos
	Dano ao Erário
	5 a 8 anos
	2x o dano (dica: Double damage)
	5 anos
	Atentado
	3 a 5 anos
	100x remuneração
	3 anos
	Benefício Indevido
	5 a 8 anos
	3x o benefício
	0
Lembrar que perda da função pública APLICA PARA TODOS!
Declaração de bens
Art. 13. A posse e o exercício de agente público ficam condicionados à apresentação de declaração dos bens e valores que compõem o seu patrimônio privado, a fim de ser arquivada no serviço de pessoal competente.
§ 1° A declaração compreenderá imóveis, móveis, semoventes, dinheiro, títulos, ações, e qualquer outra espécie de bens e valores patrimoniais, localizado no País ou no exterior, e, QUANDO FOR O CASO, abrangerá os bens e valores patrimoniais do cônjuge ou companheiro, dos filhos e de outras pessoas que vivam sob a dependência econômica do declarante, excluídos apenas os objetos e utensílios de uso doméstico.
§ 2º A declaração de bens será ANUALMENTE atualizada e na data em que o agente público deixar o exercício do mandato, cargo, emprego ou função.
§ 3º Será punido com a pena de DEMISSÃO, a bem do serviço público, sem prejuízo de outras sanções cabíveis, o agente público que se recusar a prestar declaração dos bens, dentro do prazo determinado, ou que a prestar falsa.
§ 4º O declarante, a seu critério, poderá entregar cópia da declaração anual de bens apresentada à Delegacia da Receita Federal na conformidade da