resumo responsabilidade civil do estado
22 pág.

resumo responsabilidade civil do estado


DisciplinaDireito Administrativo I54.688 materiais993.440 seguidores
Pré-visualização5 páginas
Coisas de prova 
EP/SEM
- Se prestar serviços públicos: vai responder objetivamente perante o particular. 
- Se somente prestar atividade econômica: vai responder subjetivamente perante o particular
- Em qualquer caso: o Estado só é responsável subsidiário pelo pagamento caso a EP/SEM não tenha como pagar o que deve.
Q911393 Na hipótese de uma empresa pública prestadora de serviços públicos não dispor de recursos financeiros para arcar com indenização decorrente de sua responsabilidade civil, o ente político instituidor dessa entidade deverá responder, de maneira subsidiária, pela indenização.
 CORRETO. Via de regra é a própria EP/SEM quem vai arcar com os prejuízos, entretanto, se não dispuser de dinheiro, quem se responsabiliza (subsidiariamente) é o ente político instituidor dessa EP/SEM
Q842190 É objetiva a responsabilidade das pessoas jurídicas de direito privado prestadoras de serviços públicos em relação a terceiros, usuários ou não do serviço, podendo, ainda, o poder concedente responder subsidiariamente quando o concessionário causar prejuízos e não possuir meios de arcar com indenizações. 
 CORRETO. Isso sempre cai: responsabilidade de PJ prestadora de serviço público é objetiva não importa se o cara que sofreu o dano era usuário ou não.
Q410498 A empresa pública que, no exercício de sua atividade econômica, causar prejuízo a terceiro deverá responder objetivamente pelo dano.
 FALSO. Atividade econômica entra junto com a regra geral das pessoas PRIVADAS \u2013 respondem subjetivamente.
I) Só responde objetivo PJ públicas ou PJ privada no exercício de função pública.
SOBRE CONCESSIONÁRIAS 
I) Concessionaria pública vai responder OBJETIVAMENTE EM TUDO: tanto perante o terceiro que ela prejudicar quanto perante ao ente que lhe concedeu a concessão.
Q643001 A concessionária de serviço público responde objetivamente pelos prejuízos causados aos usuários ou terceiros e subjetivamente pelos prejuízos causados ao poder concedente.
 FALSO. Concessionaria pública vai responder OBJETIVAMENTE EM TUDO: Perante o terceiro que ela prejudicou é objetiva, perante o Estado caso ela prejudique o Estado é objetiva também.
Q248554 À concessionária cabe a execução do serviço concedido, incumbindo-lhe a responsabilidade por todos os prejuízos causados ao poder concedente, aos usuários ou a terceiros, não admitindo a lei que a fiscalização exercida pelo órgão competente exclua ou atenue tal responsabilidade.
Q622475 Mas no caso da concessionaria causar dano a terceiro, se a questão perguntar como fica o ESTADO: 
 Ele responde OBJETIVAMENTE mas de maneira SUBSIDIÁRIA (Só paga se a concessionaria não tiver como pagar. (o mesmo vale para todos as PJ prestadoras de serviço público \u2013 quem responde mesmo são elas , o Estado só responde se for subsidiariamente).
 
Q621331 A responsabilidade civil objetiva das concessionárias e permissionárias de serviços públicos abrange somente as relações jurídicas entre elas e os usuários dos serviços públicos.
 FALSO. Concessionária responde de igual maneira se for usuário ou não de seus serviços (devido ao princípio da isonomia).
Q369530 Considere que, durante uma operação policial, uma viatura do DPF colida com um carro de propriedade particular estacionado em via pública. Nessa situação, a administração responderá pelos danos causados ao veículo particular, ainda que se comprove que o motorista da viatura policial dirigia de forma diligente e prudente
CORRETO. Cespe SEMPRE faz essa mesma pegadinha, coloca um dano da administração , mas que o agente público não teve culpa nem dolo. 
I) Ora, a ADM continua sendo responsável por indenizar, pois sua responsabilidade é objetiva (independe de dolo ou culpa do agente), o que vai mudar é que ela não poderá cobrar do seu agente em regresso.
Q489055 As autarquias responderão objetivamente pelos danos provocados por seus agentes a terceiros, ainda que se comprove que esses agentes tenham agido com prudência, perícia e cuidados exigidos.
CORRETO. Mesma pegadinha da questão anterior.
I) O que vai acontecer é que em havendo conduta estatal + nexo causal + dano o Estado vai ter de se responsabilizar \u2013 o que muda é que não havendo dolo/culpa o Estado não terá como cobrar o servidor em ação de regresso, pois ele responde subjetivamente.
Q432995 Caso seja impossível a identificação do agente público responsável por um dano, o Estado será obrigado a reparar o dano provocado por atividade estatal, mas ficará inviabilizado de exercer o direito de regresso contra qualquer agente
CORRETO. Só para gravar aqui que nesse caso o Estado vai se responsabilizar sim.
Q675111 Situação hipotética: O motorista de determinado veículo particular, não tendo respeitado o sinal vermelho do semáforo, provocou a colisão entre o veículo que dirigia e um veículo oficial do TCE/PA que estava estacionado em local proibido. Assertiva: Nessa situação, o valor da indenização a ser paga pelo Estado será atenuado ante a existência de culpa concorrente, já que o Brasil adota a teoria da responsabilidade objetiva do tipo risco administrativo.
CORRETO. Já vi várias vezes essas situações do CESPE: Ele vem primeiro dizendo que o particular causou danos ao patrimônio público, mas ai depois ele diz que o agente público também estava errado = culpa recíproca. 
I) E de fato, por usar a teoria do risco administrativo (e não risco integral) aceita-se que a responsabilidade do Estado seja atenuada ou até mesmo excluída
Q774626 Se um agente público, nessa qualidade, causar dano a terceiro, a responsabilidade civil do Estado será objetiva.
CORRETO. Note que é o via de regra, é o texto frio da CF. 
I) Ficou meio confuso, pois \u201cagente público\u201d é uma definição bastante ampla, poderíamos estar falando de um agente público de uma EP/SEM que presta atividade econômica, o que não seria objetiva.
II) Mas pela letra fria da CF Art. 37 § 6º As pessoas jurídicas de direito público e as de direito privado prestadoras de serviços públicos responderão pelos danos que seus agentes, nessa qualidade, causarem a terceiros, assegurado o direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa.
COISAS DE LICITAÇÃO:
1- Encargos Trabalhistas: Vai responder SUBJETIVAMENTE, só se comprovada omissão culposa na fiscalização do contrato.
2- Encargos Previdenciários: ai ela responde OBJETIVAMENTE.
Q868640 Empresa pública responderá pelos danos que seu empregado, atuando como seu agente, ocasionar, assegurado o direito de regresso nos casos de dolo ou culpa.
CORRETO. Note que INDEPENDENTEMENTE de ser prestadora ou não de serviço público, responder pelos danos ela sempre responde. Ou seja, se responsabilizar ela SEMPRE VAI, o que muda é a modalidade.
I) Estaria FALSA caso ela fosse taxativa no sentido de ser sempre responsabilidade objetiva , uma vez que se a EP prestasse atividade econômica ela responderia apenas subjetivamente.)
Teoria utilizada
Introdução
CF Art. 37 As pessoas jurídicas de direito público e as de direito privado prestadoras de serviços públicos responderão pelos danos que seus agentes, nessa qualidade, causarem a terceiros, assegurado o direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa.
NÃO CONFUNDIR: 
I) Se estivermos falando de entidade da ADM indireta, é a própria entidade que responde objetivamente, o ente federativo (a qual a entidade se vincula) não responde \u2013 a não ser subsidiariamente
II) Se estivermos falando de um órgão, será a PJ detentora do órgão que responde objetivamente. 
Q872063 No direito brasileiro, constitui objeto do direito administrativo a responsabilidade civil das pessoas jurídicas que causam danos à administração.
Q853027 A CF é exemplificativa quanto a responsabilidade do Estado. É CONSTITUCIONAL leis caracterizarem novas hipóteses de responsabilização do Estado.
Q382040 No exercício da função administrativa, o Estado responde objetivamente tanto no caso de danos morais quanto no de danos materiais causados a terceiros por