Resumo lei de licitação 8666
120 pág.

Resumo lei de licitação 8666


DisciplinaDireito Administrativo I54.722 materiais994.209 seguidores
Pré-visualização29 páginas
para as microempresas e empresas de pequeno porte. 
3- A Lei ainda estabelece que serão consideradas empatadas as propostas apresentadas pelas microempresas e empresas de pequeno porte que sejam iguais ou até 10% (dez por cento) superiores à proposta mais bem classificada (empate ficto), desde que esta última não seja também pequena empresa, já na modalidade pregão o intervalo percentual é de 5% (cinco por cento). Ocorrendo o chamado empate ficto, a microempresa ou empresa de pequeno porte poderá apresentar proposta de preço inferior àquela considerada vencedora do certame;
3 \u2013 Realizações de processos licitatórios em que a participação será exclusivamente de microempresas e empresas de pequeno porte, no caso de contratações cujo valor seja de até R$ 80.000,00.
4 - Nas licitações para a aquisição de bens de natureza divisível, e desde que não haja prejuízo para o conjunto ou o complexo do objeto, os órgãos e as entidades contratantes deverão reservar cota de até 25% do objeto para a contratação de microempresas e empresas de pequeno porte.
SOBRE AS DISPENSAS
Licitação dispensada (Art. 17) = Rol taxativo + alienação de bens + é obrigatório não haver a licitação
Licitação dispensável (Art. 24) = Rol taxativo + aquisição de bens e contratação de serviços + pode haver ou não a licitação (ato discricionário).
Licitação inexigível (Art. 25) = Rol exemplificativo + inviabilidade de competição + não há como realizar a licitação.
SOBRE SERVIÇOS PÚBLICOS:
1- Autorização: ato administrativo discricionário, unilateral, precário (pode revogar), e não há licitação. 
2- Permissão: Ato administrativo discricionário, unilateral e precário (revogável a qualquer tempo), formalizado por CONTRATO DE ADESÃO, precedido de licitação (lei não fala modalidade)
3- Concessão: É um CONTRATO ADMINISTRATIVO que exige licitação na modalidade de concorrência.
Contratos administrativos
Q861642 Nos contratos administrativos todas as cláusulas contratuais são fixadas unilateralmente pela Administração Pública contratante. 
CORRETO. Os contratos administrativos são contratos de adesão, isso quer dizer que não admitem rediscussão de cláusulas, vistos que estas já são impostas por uma das partes, que é a administração pública.
Q647300 O contrato administrativo é sempre consensual e, em regra, formal, oneroso, comutativo e realizado intuitu personae. 
Q567258 Um tipo de avença travada entre a Administração e terceiros na qual, por força de lei, de cláusulas pactuadas ou do tipo de objeto, a permanência do vínculo e as condições preestabelecidas assujeitam-se a cambiáveis imposições de interesse público, ressalvados os interesses patrimoniais do contratante privado.
A administração pública celebra dois tipos de contrato, os contratos administrativos (regidos predominantemente por direito público) e os contratos da administração (regidos por direito privado).
É competência privativa da união legislar sobre normas gerais de contratação e licitação.
1- Contrato administrativo
Podemos conceituar contrato administrativo como o ajuste entre a administração pública, atuando na qualidade de poder público, e particulares, firmando nos termos estipulados pela própria administração contratante, em conformidade com o interesse público, e sob regência predominante do direito público.
Uma característica marcante é a existência de prerrogativas que podem ser exercidas pela administração pública \u2013 cláusulas exorbitantes \u2013 que decorrem de normas de direito público, que colocam a administração numa posição de supremacia. 
ATRIBUTOS dos contratos administrativos
Formalidade: Quase suas totalidades devem ser formais e escritos. Salvo o contrato verbal para pequenas compras e de pronto pagamento até 4.000
Bilateralidade
Intuitu personae (pessoalidade)
Comutatividade
Onerosidade
Mutabilidade
Cláusulas exorbitantes
Contrato de adesão (mas ainda assim são consensuais): a autonomia da vontade da parte que adere ao contrato é limitada a aceitação ou não das condições impostas. 
Q839070 CUIDADO: Não se aplicam aos contratos DA administração: 
Prazos de vigência contratual; (art. 57)
Prestação de garantia. (art. 56)
Cláusulas exorbitantes
Art. 62 § 3o Aplica-se o disposto nos arts. 55 e 58 a 61 desta Lei e demais normas gerais, no que couber:
I - aos contratos de seguro, de financiamento, de locação em que o Poder Público seja locatário, e aos demais cujo conteúdo seja regido, predominantemente, por norma de direito PRIVADO
Disposições inicias
Aplicabilidade
CF Art. 37 XXI -  ressalvados os casos especificados na legislação, as obras, serviços, compras e alienações serão contratados mediante processo de licitação pública que assegure igualdade de condições a todos os concorrentes, com cláusulas que estabeleçam obrigações de pagamento, mantidas as condições efetivas da proposta, nos termos da lei, o qual somente permitirá as exigências de qualificação técnica e econômica indispensáveis à garantia do cumprimento das obrigações
Art. 1º   Esta Lei estabelece normas gerais sobre licitações e contratos administrativos pertinentes a obras, serviços, INCLUSIVE de publicidade, compras, alienações e locações no âmbito dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.
Parágrafo único.  Subordinam-se ao regime desta Lei, além dos órgãos da administração direta, os fundos especiais, as autarquias, as fundações públicas, as empresas públicas, as sociedades de economia mista e demais entidades controladas direta ou indiretamente pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios.
Q349181 O dever de realizar procedimento licitatório estende-se às instituições privadas quando suas compras, aquisições, serviços ou alienações envolverem recursos repassados voluntariamente pela União.
CORRETO. Isso veio do decreto 5504. Note que é algo bem específico para a União. Pois a regra geral é que a maioria destas não precise nem licitar em algumas condições (como as OS/OSCIP/ Sistema S)
Art. 1o Os instrumentos de formalização, renovação ou aditamento de convênios, instrumentos congêneres ou de consórcios públicos que envolvam repasse voluntário de recursos públicos da União deverão conter cláusula que determine que as obras, compras, serviços e alienações a serem realizadas por entes públicos ou privados, com os recursos ou bens repassados voluntariamente pela União, sejam contratadas mediante processo de licitação pública, de acordo com o estabelecido na legislação federal pertinente
Q315904 Os permissionários e concessionários de serviços públicos estão sujeitos ao dever de licitar
FALSO. Só até a administração indireta. Galera de fora da administração pública não está obrigada não. Nem mesmo o terceiro setor está obrigado.
Art. 2º   As obras, serviços, inclusive de publicidade, compras, alienações, concessões, permissões e locações da Administração Pública, quando contratadas com terceiros, serão necessariamente precedidas de licitação, ressalvadas as hipóteses previstas nesta Lei.
Q435187 A alienação e a concessão incluem-se entre os objetos de licitação
CORRETO. Note que a 8.666 já diz que concessões e permissões serão licitadas, nada diz sobre autorizações (que realmente dispensam licitação). 
Parágrafo único.  Para os fins desta Lei, considera-se CONTRATO todo e qualquer ajuste entre órgãos ou entidades da Administração Pública e particulares, em que haja um acordo de vontades para a formação de vínculo e a estipulação de obrigações recíprocas, seja qual for a denominação utilizada.
Objetivos e princípios
Art. 3º   A licitação destina-se a garantir a observância do princípio constitucional da isonomia, a seleção da proposta mais vantajosa para a administração e a promoção do desenvolvimento nacional sustentável e será processada e julgada em estrita conformidade com os princípios básicos da legalidade, da impessoalidade, da moralidade, da igualdade, da publicidade, da probidade administrativa, da vinculação ao instrumento convocatório, do julgamento