Resumo lei de licitação 8666
120 pág.

Resumo lei de licitação 8666


DisciplinaDireito Administrativo I54.722 materiais994.209 seguidores
Pré-visualização29 páginas
na alínea g do inciso I do caput deste artigo, até o limite previsto no inciso II deste parágrafo. (Incluído pela Lei nº 11.196, de 2005)
§ 3o Entende-se por investidura, para os fins desta lei:                
I - a alienação aos proprietários de imóveis lindeiros de área remanescente ou resultante de obra pública, área esta que se tornar inaproveitável isoladamente, por preço nunca inferior ao da avaliação e desde que esse não ultrapasse a 50% do valor constante da alínea "a" do inciso II do art. 23 desta lei;          
II - a alienação, aos legítimos possuidores diretos ou, na falta destes, ao Poder Público, de imóveis para fins residenciais construídos em núcleos urbanos anexos a usinas hidrelétricas, desde que considerados dispensáveis na fase de operação dessas unidades e não integrem a categoria de bens reversíveis ao final da concessão.                 
§ 4o  A doação com encargo será licitada e de seu instrumento constarão, obrigatoriamente os encargos, o prazo de seu cumprimento e cláusula de reversão, sob pena de nulidade do ato, sendo dispensada a licitação no caso de interesse público devidamente justificado;               
§ 5o  Na hipótese do parágrafo anterior, caso o donatário necessite oferecer o imóvel em garantia de financiamento, a cláusula de reversão e demais obrigações serão garantidas por hipoteca em segundo grau em favor do doador.         
§ 6o  Para a venda de bens móveis avaliados, isolada ou globalmente, em quantia não superior ao limite previsto no art. 23, inciso II, alínea "b" desta Lei, a Administração poderá permitir o leilão
Alienação Imóveis LEILÃO
Art. 18.  Na concorrência para a venda de bens imóveis, a fase de habilitação limitar-se-á à comprovação do recolhimento de quantia correspondente a 5% da avaliação.
Art. 19.  Os bens imóveis da Administração Pública, cuja AQUISIÇÃO haja derivado de procedimentos judiciais ou de dação em pagamento, poderão ser alienados por ato da autoridade competente, observadas as seguintes regras:
CUIDADO que são duas hipóteses, pode tanto vir de procedimento judicial quanto de dação em pagamento.
I - avaliação dos bens alienáveis;
II - comprovação da necessidade ou utilidade da alienação;
III - adoção do procedimento licitatório, sob a modalidade de concorrência OU LEILÃO.        
Q346809 Deve ser adotada a modalidade de licitação leilão para a alienação de bens imóveis da administração pública cuja aquisição haja derivado de procedimentos administrativos ou de dação em pagamento
FALSO. Não \u201cdeve\u201d ser leilão não , pois comporta TANTO concorrência quanto leilão.
Modalidades e limites
Art. 20.  As licitações serão efetuadas no local onde se situar a repartição interessada, salvo por motivo de interesse público, devidamente justificado.
Parágrafo único.  O disposto neste artigo não impedirá a habilitação de interessados residentes ou sediados em outros locais.
Avisos e editais
Q912717 O convite é a única modalidade de licitação que dispensa publicação de edital. 
CORRETO.
Q327538 Toda modalidade de licitação deverá ser precedida pelo respectivo edital, que especificará as normas e os procedimentos do respectivo certame
FALSO. Convite dispensa edital. O edital seria a própria carta convite.
Após feito o convite, é feita a afixação da carta-convite no átrio da repartição que está promovendo a licitação, em um local visível ao público
Art. 21.  Os avisos contendo os resumos dos editais das concorrências, das tomadas de preços, dos concursos e dos leilões, embora realizados no local da repartição interessada, deverão ser publicados com antecedência, no mínimo, por 1 vez:                 
Note que não se publica aviso contendo resumo de edital de CONVITE.
I - no Diário Oficial da União, quando se tratar de licitação feita por órgão ou entidade da Administração Pública Federal e, ainda, quando se tratar de obras financiadas parcial ou totalmente com recursos federais ou garantidas por instituições federais;              
II - no Diário Oficial do Estado, ou do Distrito Federal quando se tratar, respectivamente, de licitação feita por órgão ou entidade da Administração Pública Estadual ou Municipal, ou do Distrito Federal;    
III - em jornal diário de grande circulação no Estado e também, se houver, em jornal de circulação no Município ou na região onde será realizada a obra, prestado o serviço, fornecido, alienado ou alugado o bem, podendo ainda a Administração, conforme o vulto da licitação, utilizar-se de outros meios de divulgação para ampliar a área de competição.                    
§ 1o  O aviso publicado conterá a indicação do local em que os interessados poderão ler e obter o texto integral do edital e todas as informações sobre a licitação.
Prazo mínimo propostas
§ 2o O prazo mínimo até o recebimento das propostas ou da realização do evento será:
I \u2013 45 DIAS PARA                
a) concurso;                   
b) concorrência, quando o contrato a ser celebrado contemplar o regime de empreitada integral ou quando a licitação for do tipo "melhor técnica" ou "técnica e preço";           
II \u2013 30 DIAS PARA                   
a) concorrência, nos casos não especificados na alínea "b" do inciso anterior;
b) tomada de preços, quando a licitação for do tipo "melhor técnica" ou "técnica e preço"; 
III \u2013 15 DIAS PARA 
a) tomada de preços, nos casos não especificados na alínea "b" do inciso anterior, 
b) leilão;            
IV \u2013 5 DIAS PARA: Convite         
§ 3o  Os prazos estabelecidos no parágrafo anterior serão contados a partir da última publicação do edital resumido ou da expedição do convite, ou ainda da efetiva disponibilidade do edital ou do convite e respectivos anexos, prevalecendo a data que ocorrer MAIS TARDE.       
Modificação edital 
§ 4o Qualquer modificação no edital exige divulgação pela mesma forma que se deu o texto original, reabrindo-se o prazo inicialmente estabelecido, EXCETO QUANDO, inquestionavelmente, a alteração não afetar a formulação das propostas.
Via de regra: Vai divulgar na mesma forma do texto original e reabrir SIM o prazo das propostas. 
SÓ NÃO REABRE o prazo quando inquestionavelmente a alteração não afetar a formulação das propostas.
REPUBLICAR SEMPRE, reabrir o prazo só se precisar. 
Q912285 No curso de uma licitação, é vedado alterar os critérios e as exigências fixadas no instrumento convocatório.
CORRETO. Mas lembrar que na fase de publicação do edital PODE ALTERAR O EDITAL SIM, mas desde que antes de receber as propostas, etc.
Q589621 Qualquer modificação no edital torna necessária a divulgação pela mesma forma que se deu o texto original, devendo, nesse caso, ser reaberto o prazo inicialmente estabelecido em lei.
FALSA. A explicação que ele deu está errada. Ele diz: \u201cdevendo neste caso ser reaberto o prazo\u201d. Não é sempre que o prazo deve ser reaberto, pois se a alteração não afetar a formulação das propostas o prazo não precisa ser reaberto. 
MODALIDADES
(CESPE/EMAP/2018) Modalidade de licitação corresponde ao procedimento utilizado para conduzir o certame; tipo de licitação é o critério de julgamento que será utilizado para selecionar a proposta mais vantajosa para a administração. 
CORRETO.
	
Q483983 A modalidade de licitação adequada deve ser definida de acordo com o objeto a ser adquirido ou obra a ser contratada, decisão que deve ser seguida pela apuração do valor total do objeto a ser licitado
FALSO. A modalidade adequada aqui na lei é escolhida de acordo COM O VALOR. 
I) O objeto ou obra a ser contratada não influencia. Nota que não há restrição de \u201cobras\u2019 por exemplo como a questão diz.
Q380940 Convite e tomada de preços são modalidades de licitação que podem ser adotadas pela administração pública para a contratação de obras
CORRETO. Só mesmo concurso e leilão que não servem: concurso por ser para trabalhos intelectuais, leilão por ser somente para vender (e não para comprar).
Art. 22.  São modalidades de licitação: