Resumo lei 8112
134 pág.

Resumo lei 8112


DisciplinaDireito Administrativo I54.688 materiais993.526 seguidores
Pré-visualização27 páginas
etc. ai fez essa afirmação:
Q548087 Evidenciada a ausência de um dos requisitos para a investidura, Paulo deve ser demitido do cargo público em que fora empossado.
FALSO. Note que o cara nunca foi um servidor de verdade, ele era um mero agente de fato (tinha aparência de legalidade embora não era legal). 
I) Nesse caso, não há que se falar em demissão, pois ele nem servidor é. O correto seria ANULAR os atos de provimento e posse por ilegalidade.
Q298581 Considere que determinado servidor público, dentro de suas atribuições, tenha se afastado do interesse público e atuado abusivamente. Nessa situação hipotética, esta conduta estará sujeita à revisão judicial ou administrativa, podendo, inclusive, o servidor responder por ilícito penal.
CORRETO. Só para não levar tudo ao pé da letra. Revisão é no sentido de autotutela ou de controle \u2013 o superior tem o poder de revisão sobre a conduta dos subordinados, no sentido de apurar responsabilidade e punir.
Características gerais
Art. 127.  São penalidades disciplinares:
I - advertência;
II - suspensão;
III - demissão;
IV - cassação de aposentadoria ou disponibilidade;
V - destituição de cargo em comissão;
VI - destituição de função comissionada.
Art. 128.  Na aplicação das penalidades serão consideradas a natureza e a gravidade da infração cometida, os danos que dela provierem para o serviço público, as circunstâncias agravantes ou atenuantes e os antecedentes funcionais.
Q434060 Os antecedentes funcionais não devem ser considerados na aplicação de penalidades ao servidor público. 
FALSO. Vai considerar gravidade + danos + agravantes/atenuantes + antecedentes
Parágrafo único.  O ato de imposição da penalidade mencionará sempre o fundamento legal e a causa da sanção disciplinar. 
Art. 129.  A ADVERTÊNCIA será aplicada por escrito, nos casos de violação de proibição constante do art. 117, incisos I a VIII e XIX, e de inobservância de dever funcional previsto em lei, regulamentação ou norma interna, que não justifique imposição de penalidade mais grave. 
Art. 130.  A SUSPENSÃO será aplicada em caso de reincidência das faltas punidas com advertência e de violação das demais proibições que não tipifiquem infração sujeita a penalidade de demissão, não podendo exceder de 90 dias.
§ 1o Será punido com suspensão de até 15 dias o servidor que, injustificadamente, recusar-se a ser submetido a inspeção médica determinada pela autoridade competente, cessando os efeitos da penalidade uma vez cumprida a determinação.
§ 2o Quando houver conveniência para o serviço, a penalidade de suspensão poderá ser convertida em multa, na base de 50% por dia de vencimento ou remuneração, ficando o servidor obrigado a permanecer em serviço.
Art. 131.  As penalidades de advertência e de suspensão terão seus registros cancelados, após o decurso de 3 e 5 anos de efetivo exercício, respectivamente, se o servidor não houver, nesse período, praticado nova infração disciplinar.
Parágrafo único.  O cancelamento da penalidade não surtirá efeitos retroativos.
Demissão
Q380936 De acordo com a Lei n.º 8.112/1990, a demissão não é aplicável aos ocupantes de cargos em comissão.
Inicial veio Correto e final FALSO. Aqui tem duas respostas.
I) Realmente não se aplica demissão se ele for ocupante exclusivamente de cargo em comissão, pois neste caso a punição se chama \u201cDestituição\u201d. 
II) Mas se o servidor também é servidor efetivo, ele sofre também demissão, sendo neste caso \u201caplicável a pena de demissão aos ocupantes de cargo em comissão).
Q318358 O servidor que, já tendo sido advertido por diversas vezes por condutas antiéticas no trabalho, incorra em insubordinação grave em serviço poderá ser suspenso ou demitido
FALSO. Note que é IMPERATIVO aplicar a pena de demissão caso seja tipificada a hipótese prevista na lei. 
Q904989 Ser reincidente em suspensão NÃO ocasiona demissão.
IX - valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem, em detrimento da dignidade da função pública; (DEMISSÃO)
X - participar de gerência ou administração de sociedade privada, personificada ou não personificada, exercer o comércio, exceto na qualidade de acionista, cotista ou comanditário; (DEMISSÃO)
Parágrafo único.  A vedação de que trata o inciso X do caput deste artigo NÃO SE APLICA nos seguintes casos: 
I - participação nos conselhos de administração e fiscal de empresas ou entidades em que a União detenha, direta ou indiretamente, participação no capital social ou em sociedade cooperativa constituída para prestar serviços a seus membros; e
II - gozo de licença para o trato de interesses particulares, na forma do art. 91 desta Lei, observada a legislação sobre conflito de interesses. 
Note que o servidor pode sim participar de gerencia ou administração de sociedade privada, mesmo não sendo acionista, cotista ou comanditário, DESDE QUE a união detenha participação no capital social por exemplo.
Q385437 Em licença particular ele vai poder OS DOIS: 
Tanto participar da gerencia QUANTO exercer o comércio.
XI - atuar, como procurador ou intermediário, junto a repartições públicas, salvo quando se tratar de benefícios previdenciários ou assistenciais de parentes até o segundo grau, e de cônjuge ou companheiro; (DEMISSÃO)
Q605912 O servidor não pode atuar como procurador junto a repartições públicas, para tratar de benefício previdenciário de seu irmão. 
FALSO. Se for parente até 2º grau ele pode atuar , mas somente para benefício previdenciário. 
XII - receber propina, comissão, presente ou vantagem de qualquer espécie, em razão de suas atribuições; (DEMISSÃO)
XIII - aceitar comissão, emprego ou pensão de estado estrangeiro; (DEMISSÃO)
Q402017 Age em consonância com a Lei n.º 8.112/1990 servidor público brasileiro, em exercício, que recusa pensão oferecida pelos Estados Unidos da América.
XIV - praticar usura sob qualquer de suas formas; (DEMISSÃO)
Q411126 Considere que, a pessoa sem qualquer relação com as funções do seu cargo, um servidor público tenha emprestado dinheiro a juros muito superiores aos praticados pelas instituições financeiras. Nesse caso, o servidor praticou a usura, conduta proibida na Lei n.° 8.112/1990.
XV - proceder de forma desidiosa; (DEMISSÃO)
Q489109 Atrasos constantes no cumprimento da jornada de trabalho podem caracterizar conduta desidiosa, procedimento que, de acordo com o estatuto dos servidores públicos civis da União, pode resultar em demissão.
XVI - utilizar pessoal ou recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares; (DEMISSÃO)
Art. 132.  A DEMISSÃO será aplicada nos seguintes casos:
I - crime contra a administração pública;
II - abandono de cargo; (faltar por 30 dias consecutivos)
III - inassiduidade habitual; (faltar por 60 dias no ano)
Q434059 Inassiduidade eventual configura motivo para demissão do servidor público. 
FALSO. É habitual.
IV - improbidade administrativa;
V - incontinência pública e conduta escandalosa, na repartição;
VI - insubordinação grave em serviço;
VII - ofensa física, em serviço, a servidor ou a particular, salvo em legítima defesa própria ou de outrem;
VIII - aplicação irregular de dinheiros públicos;
IX - revelação de segredo do qual se apropriou em razão do cargo;
X - lesão aos cofres públicos e dilapidação do patrimônio nacional;
XI - corrupção;
XII - acumulação ilegal de cargos, empregos ou funções públicas;
XIII - transgressão dos incisos IX a XVI do art. 117.
Art. 134.  Será CASSADA a aposentadoria ou a disponibilidade DO INATIVO que houver praticado, na atividade, falta punível com a demissão.
Art. 135.  A DESTITUIÇÃO DE CARGO em comissão exercido por NÃO OCUPANTE DE CARGO EFETIVO será aplicada nos casos de infração sujeita às penalidades de suspensão e de demissão.
Parágrafo único.  Constatada a hipótese de que trata este artigo, a exoneração efetuada nos termos do art. 35 será convertida em destituição de cargo em comissão.
Art. 35.  A exoneração de cargo em comissão e a dispensa de função de confiança
João Paulo
João Paulo fez um comentário
muito bom
0 aprovações
Carregar mais