Resumo agentes públicos
20 pág.

Resumo agentes públicos


DisciplinaDireito Administrativo I54.718 materiais994.041 seguidores
Pré-visualização4 páginas
extinto a qualquer tempo, haja vista sempre prevalecer o interesse da administração pública.
CORRETO. Não há qualquer óbice o Estado de extinguir cargos , mesmo que ocupados. O que ocorre é que depende de lei esta extinção se o cargo estiver ocupado. Estando vago o cargo basta um decreto autônomo do chefe do Executivo.
Criação de cargos
Art. 48. Cabe ao Congresso Nacional, com a sanção do Presidente da República, não exigida esta para o especificado nos arts. 49, 51 e 52, DISPOR sobre TODAS as matérias de competência da União, especialmente sobre:
X -  criação, transformação e extinção de cargos, empregos e funções públicas, observado o que estabelece o art. 84, VI, b;
Art. 96. Compete privativamente:
II -  ao Supremo Tribunal Federal, aos Tribunais Superiores e aos Tribunais de Justiça PROPOR ao Poder Legislativo respectivo, observado o disposto no art. 169:
b)  a criação e a extinção de CARGOS e a remuneração dos seus serviços auxiliares e dos juízos que lhes forem vinculados, bem como a fixação do SUBSÍDIO de seus membros e dos juízes, INCLUSIVE dos tribunais inferiores, onde houver;
§ 1º São de iniciativa PRIVATIVA do Presidente da República as leis que:
a) criação de cargos, funções ou empregos públicos na administração DIRETA E AUTÁRQUICA ou aumento de sua remuneração;
É desse dispositivo aqui que se diz que não precisa de lei para criar funções ou empregos públicos nas EP/SEM, pois a CF só diz \u201cna administração direta e AUTÁRQUICA\u201d. MAS Só responder que NÃO precisa de lei quando ele disser EXPRESSAMENTE empresas públicas e sociedades de econômica mista. Pois se falar de maneira geral \u201ccriação de cargos, funções ou empregos públicos\u201d a gente usa esse artigo do PR e diz que precisa de lei.
CUIDADO: Se perguntar quem tem competência para \u201cDISPOR\u201d sobre criação de cargos, empregos e funções e não disser em qual esfera ou Poder , respondemos que é o Congresso nacional. Somente dizemos que é competência dos Chefes do Executivo ou Judiciário quando for perguntando a INICIATIVA DE LEI para a criação destes cargos.
Q343457 Como regra, compete ao Congresso Nacional dispor sobre a criação, transformação ou extinção de cargos, empregos ou funções públicas, mesmo que a iniciativa para sua proposição seja do Poder Judiciário ou do chefe do Poder Executivo. 
CORRETO. Nota que ele diz corretamente que o CN \u201cDISPÕE\u201d sobre esses assuntos, pois é exatamente o que diz o caput.
I) Muito embora a INICIATIVA da lei para criar cargos no Judiciário seja dos Presidentes de Tribunais, e no Executivo seja dos Chefes do Executivo.
Q169255 Em decorrência do princípio da organização legal do serviço público, somente por meio de lei podem ser criados cargos, empregos e funções públicas
 CORRETO. Para responder em prova vai sempre pelo VIA DE REGRA. 
I) Cargos , funções ou empregos públicos na ADM direta e autárquica depende DE LEI privativa do PR. 
Q79200 De acordo com o princípio da legalidade e da impessoalidade, os empregos públicos das empresas públicas e sociedades de economia mista devem ser criados por lei, exigindo-se prévia aprovação em concurso público para o provimento inicial desses empregos
FALSO. Note que aqui ele cita EXPRESSAMENTE EP/SEM. Agora sim sabemos que a criação destes INDEPENDE de lei (embora para ser provido dependa de concurso).
Q409849 Dado o poder regulamentar da administração pública, é possível, mediante portaria, alterar-se as atribuições de cargo público.
FALSO. Como cargo se cria por lei, para alterar atribuição ou qualquer coisa inerente ao cargo SOMENTE POR LEI TAMBÉM!
Q338756 A criação de cargos públicos é competência do Congresso Nacional, que a exara por meio de lei. No entanto, a iniciativa desse tipo de lei é privativa do presidente da República.
FALSO. Nem todo cargo público é iniciativa privativa do PR. Apenas os cargos públicos da ADM FEDERAL que serão dele. O resto cada poder tem sua iniciativa.
Servidores
Definições
Servidor: Art. 2o Para os efeitos desta Lei, SERVIDOR é a pessoa legalmente investida em cargo PÚBLICO.
Agente público (Lei 8429/92): Reputa-se agente público, para os efeitos desta lei, todo aquele que exerce, ainda que transitoriamente ou sem remuneração, por eleição, nomeação, designação, contratação ou qualquer outra forma de investidura ou vínculo, mandato, cargo, emprego ou função nas entidades mencionadas no artigo anterior.
Agente público seria qualquer pessoa FÍSICA, caráter definitivo ou transitório, com ou sem remuneração, sob qualquer formula de investidura e vinculo, que exerce uma FUNÇÃO pública.
Sobre os temporários: Para a doutrina majoritária, os servidores temporários não titularizam cargos nem ocupam empregos públicos. Desempenham, apenas, função temporária para o atendimento de necessidade temporária de excepcional interesse público. 
As contratações temporárias para suprir os serviços públicos estão no âmbito de relação jurídico-administrativa, Não há vínculo estatutário.
 A relação é contratual, mas não celetista, pois é regrada pela Lei 8.745/9
Q558536 Se tiver de contratar pessoal por tempo determinado para prestar assistência em situações de calamidade pública, a administração pública federal, estadual, distrital ou municipal poderá fazê-lo mediante processo seletivo simplificado, pois estará caracterizada a necessidade temporária de excepcional interesse público.
Q855722 A Constituição Federal prevê a possibilidade de contratação de servidor por tempo determinado para atender necessidade temporária de excepcional interesse público
CORRETO. Note que aqui ele usa \u201cSERVIDOR\u201d para falar sobre a galera temporária, o correto seria agente público. Mas era questão de constitucional, então não precisamos passar o pente fino na questão.
Q70919 Os servidores temporários, ao serem contratados por tempo determinado para atender à necessidade temporária de excepcional interesse público, exercem função pública e, portanto, passam a estar vinculados a emprego público
FALSO. Exercem uma função pública, mas NÃO ocupam nem cargos nem empregos públicos.
Q82173 O servidor temporário, contratado por tempo determinado para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público, exerce função, sem estar vinculado a cargo ou emprego público, e se submete a regime jurídico especial a ser disciplinado em lei de cada unidade da Federação
CORRETO. Agora sim: eles não se vinculam nem a cargo nem a emprego público, sendo submetidos a regime jurídico especial disciplinado em lei.
Agentes De fato
AGENTE DE FATO X USURPADOR DE FUNÇÃO (CARVALHO FILHO)
1- Agentes de Fato É O GÊNERO, que engloba os putativos e os necessários:
 Agentes Necessários são aqueles que praticam atos e executam atividades em situações excepcionais, como, por exemplo, as de emergência, em colaboração com o Poder Público e como se fossem agentes de direito.
 Agentes Putativos são os que desempenham uma atividade pública na presunção de que há legitimidade, embora não tenha havido investidura dentro do procedimento legalmente exigido. É o caso, por exemplo, do servidor que pratica inúmeros atos de administração, tendo sido investido sem aprovação em concurso público.
2- Usurpador de função: seria quando a administração não pudesse supor que determinada pessoa estava se passando por agente público, não tendo como evitar nem contribuir, nesse caso é o chamado usurpador de função, e a responsabilidade NÃO É IMPUTADA ao estado.
Q39458 Um agente de fato necessário pratica atos e executa atividades em colaboração com o poder público, em situações excepcionais, como se fosse um agente público de direito, sendo suas ações, de regra, confirmadas pelo poder público
CORRETO. Na doutrina diz que os atos praticados por agentes NECESSÁRIOS devem ser convalidados.
Q19791 Agente putativo é aquele que, em estado de necessidade pública, assume o encargo de desempenhar certas funções públicas, que de outra forma não seriam executadas, agindo como um servidor regularmente provido
FALSO.