Resumo Atos administrativos
54 pág.

Resumo Atos administrativos


DisciplinaDireito Administrativo I54.722 materiais994.203 seguidores
Pré-visualização13 páginas
Q318403 O ato de nomeação de cinquenta candidatos habilitados em concurso público classifica-se, quanto a seus destinatários, como ato administrativo individual ou concreto
CORRETO. Cuidado pois o nome confunde- individual aqui é no sentido de que PODEMOS IDENTIFICAR quem são os destinatários (não importa quantos). Os atos gerais são aqueles que não possuem destinatários identificáveis.
2- Geral: Não possui destinatário determinado. (Ex: Resolução da % de álcool aceito pela lei seca, edital de um concurso).
Quanto as prerrogativas 
1- De império: São chamados também de atos de autoridade. Quando a administração impõe coercitivamente aos administrados, criando obrigações ou restrições de forma unilateral. 
Tem como fundamento o princípio da supremacia do interesse público \u2013 poder Extroverso.
São de direito público
Geralmente são praticados ex ofício pela administração e são de observância obrigatória.
Exemplos: desapropriações, interdição de estabelecimentos, apreensão de mercadorias, aplicação de multas
2- De gestão: Praticadas pela administração na qualidade de gestora de seus bens e serviços. Assemelham-se a atos praticados pelas pessoas privadas. 
NÃO SÃO baseados no princípio da supremacia do interesse público, mas nem por isso deixam de estar sob o regime jurídico-administrativo \u2013 pois ainda precisam se submeter ao princípio da indisponibilidade do interesse público.
Exemplos: Autorizações, permissões, licenças. 
CUIDADO: Se for um ato BILATERAL (Contratos) não será ato administrativo, mesmo que seja um contrato no interesse público)
Atos de locação são CONTRATOS, logo são atos bilaterais e não podem se classificar como atos administrativos. 
Q322534 O contrato de financiamento ou mútuo firmado pelo Estado constitui ato de direito privado, não sendo, portanto, considerado ato administrativo
Q353154 Se a FUNASA desejar alugar um edifício de apartamentos para acomodar novos servidores, o contrato de locação, em razão do evidente interesse público, será considerado ato administrativo, mesmo que o contrato seja regido pelo direito privado
FALSO. A visão é que contratos nunca serão atos administrativos, pois são atos bilaterais. Note a visão da banca que não importa que seja no interesse público, continua sendo um ato privado. 
Q675177 Situação hipotética: O TCE/PA alugou várias salas de aula de uma escola privada para a realização do curso de formação de seus novos servidores. Assertiva: Nessa situação, o ato de locação, ainda que seja regido pelo direito privado, é considerado um ato administrativo.
FALSO. A visão do CESPE é que contratos (Ato de locação é um contrato) não será ato administrativo (pois é bilateral).
Q392214 O aluguel, pelo TCDF, de espaço para ministrar cursos de especialização aos seus servidores constitui ato administrativo, ainda que regido pelo direito privado
FALSO. O aluguel nada mais é que celebrar um contrato regido por direito PRIVADO.
3- De expediente: são atos internos da administração, relacionados às rotinas dos variados serviços. 
Não possuem conteúdo decisório.
Exemplos: Encaminhamento de documentos, despachos, protocolos, cadastramentos.
Q676536 Considerando-se a prerrogativa com que atua a administração, o parecer solicitado é classificado como ato de gestão
FALSO. Parecer é um ato de EXPEDIENTE. 
QUANTO AO ALCANCE:
1- Interno: Produz efeitos predominantemente dentro da administração pública.
Por exemplo: portaria obrigando os servidores a usar crachá.
Q337445 Os atos administrativos internos produzem efeitos no órgão a que se destinam e dispensam a publicação na imprensa oficial como condição de eficácia
Q337445 Os atos administrativos internos produzem efeitos no órgão a que se destinam e dispensam a publicação na imprensa oficial como condição de eficácia
CORRETO. Atos internos dispensam publicação para serem eficazes.
2- Externo: Produz efeitos predominantemente fora da administração pública. 
Por exemplo: resolução fixando o máximo % de álcool para a lei seca.
QUANTO AOS EFEITOS:
1- Ato constitutivo: é aquele que cria uma nova situação jurídica individual para seus destinatários, em relação à administração. Essa situação jurídica poderá ser o reconhecimento de um direito ou a imposição de uma obrigação ao administrado. O que importa é que o ato crie uma situação jurídica nova.
Como ocorre na concessão de uma licença, na nomeação de servidores, na aplicação de sanções administrativas etc. 
Q13152 A permissão, que não se confunde com a concessão ou a autorização, é o ato administrativo por meio do qual a administração pública consente que o particular se utilize privativamente de um bem público ou execute um serviço de utilidade pública. Tal ato é classificado como declaratório, na medida em que o poder público apenas reconhece um direito do particular previamente existente
FALSO. Licenças são atos CONSTITUTIVOS, porquanto criam direitos para a pessoa. 
Q511924 Caso uma sociedade empresária solicite à administração uma autorização para a exploração de jazida e essa autorização seja-lhe concedida, este ato administrativo será considerado, quanto aos efeitos, como declaratório
FALSO. Quanto aos efeitos, permissões/autorizações/concessões são classificados como constitutivos.
2- Ato extintivo ou desconstitutivo: é aquele que põe fim a situações jurídicas individuais existentes. 
São exemplos a cassação de uma autorização de uso de bem público, a demissão de um servidor, a decretação de caducidade de uma concessão de serviço público etc. 
3- Ato modificativo: é o que tem por fim alterar situações preexistentes, SEM PROVOCAR A SUA EXTINÇÃO. O ato modifica uma determinada situação jurídica a ele anterior, mas não suprime direitos ou obrigações.
São exemplos a alteração de horários numa dada repartição, a mudança de local da realização de uma reunião, etc. 
4- Ato declaratório: é aquele que apenas afirma a existência de um fato ou de uma situação jurídica anterior a ele. O ato declaratório atesta um fato, ou reconhece um direito ou uma obrigação preexistente; confere, assim, certeza jurídica quanto à existência do fato ou situação nele declarada. Essa espécie de ato, frise-se, não cria situação Jurídica nova, tampouco modifica ou extingue uma situação existente.
Expedição de CERTIDÕES, DECLARAÇÕES, etc. 
5- Atos enunciativos: Na acepção restrita por tais autores adotada, atos administrativos enunciativos seriam tão somente os atos que contêm um juízo de valor, uma opinião, uma sugestão ou uma recomendação de atuação administrativa. O que caracteriza os atos enunciativos assim descritos é não produzirem eles, por si sós, efeitos jurídicos quaisquer, dependendo sempre de um outro ato, de conteúdo decisório, que eventualmente adote como razão de decidir a fundamentação expendida no ato enunciativo.
 São exemplo típico de atos com esse conteúdo os PARECERES. 
Q676538 CUIDADO: A pegadinha do declaratório e enunciativo É BOA!
I) Parecer é um ato ENUNCIATIVO: Pois é um ato que emite um juízo de valor , opinião , recomendação \u2013 TANTO QUE parecer é sempre usado para fundamentar alguma tomada de decisão.
OUTRAS:
1- Atos-regra: os que criam situações gerais, abstratas e impessoais e por isso mesmo a qualquer tempo modificáveis pela vontade de quem os produziu, sem que se possa opor direito adquirido a persistência destas regras. 
Exemplo: o regulamento. 
2 - Atos subjetivos: os que criam situações particulares, concretas e pessoais, produzidas quanto à formação e efeitos pela vontade das partes, sendo imodificáveis pela vontade de uma só delas e gerando, então, direitos assegurados à persistência do que dispuseram. 
Exemplo: o contrato. 
3 - Atos-condição: os que alguém pratica incluindo-se, isoladamente ou mediante acordo com outrem, debaixo de situações criadas pelos atos-regra, pelo quê sujeitam-se às eventuais alterações unilaterais delas. 
Exemplo: o ato de aceitação de cargo público; o acordo na concessão de serviço público.