CONSEQUÊNCIAS DO JEJUM INTERMITENTE SOBRE
9 pág.

CONSEQUÊNCIAS DO JEJUM INTERMITENTE SOBRE


DisciplinaNutrição e Atividade Física134 materiais501 seguidores
Pré-visualização6 páginas
Ana Kelly Morais dos Santos1 
Anderson Rennan Pereira Muniz Pinheiro2 
Cynthia Lossio de Brito² 
Francisca Gracielly Reinaldo Galvão² 
Francisca Ítala Feitosa Macêdo² 
Talita Leite Beserra² 
Maria Algeni Tavares Landim 3 
Edna Mori4 
RESUMO 
O jejum intermitente caracterizado por períodos alternados de privação alimentar e realimentação ad libitum começou a ser 
estudado em muçulmanos durante o Ramadã e vem se destacando como prática de controle alimentar. Objetivou-se caracterizar 
as consequências do jejum intermitente sobre as alterações na composição corporal. Para tanto, foi efetuada uma revisão 
integrativa da literatura, selecionando artigos disponíveis nas bases de dados: Medical Literature Analysis and Retrieval System 
Online \u2013 MEDLINE, Nacional Center for Biotechnology Information \u2013 NCBI, Science Direct, Cambridge Core, ResearchGate, 
periódicos da CAPES \u2013 Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal, utilizando como descritores jejum intermitente, jejum de 
dia alternado, restrição calórica, restrição de energia, alimentação com restrição de tempo e como critérios de inclusão estudos 
que encontravam-se dentro do período de 2012 a 2017, nos idiomas Inglês, Espanhol e Português, e de exclusão artigos não 
disponíveis na íntegra. Foram encontrados um total de 61 artigos, dentre os quais 17 cumpriram os critérios pré-estabelecidos. 
O jejum intermitente tem efeito metabólico superior a restrição calórica, e, quando associado com exercício pode apresentar um 
efeito mais intenso se comparado ao não associado. Além disso, pode-se dizer que ele desempenha proteção contra os danos 
cardiovasculares, por diminuir o percentual de gordura, e em pessoas eutróficas demonstrou efeitos mínimos, enquanto obesos 
se adaptam melhor a estratégia. Apesar dos estudos disponíveis apresentarem populações muito reduzidas em relação ao 
montante de pessoas acometidas por doenças crônico-degenerativas ou praticantes de esportes, observaram-se resultados 
benéficos com esta intervenção. 
Palavras chaves: Emagrecimento. Doenças crônicas. Desempenho físico. 
ABSTRACT 
Intermittent fasting characterized by alternating periods of food deprivation and ad libitum feedback began to be studied in 
Muslims during Ramadan and has emerged as a food control practice. The objective was to characterize the consequences of 
intermittent fasting on changes in body composition. Therefore, an integrative review of the literature was carried out, selecting 
articles available in the databases: Medical Literature Analysis and Retrieval System Online \u2013 MEDLINE, National Center for 
Biotechnology Information \u2013 NCBI, Science Direct, Cambridge Core, ResearchGate, CAPES \u2013 Personnel Improvement 
Coordination, using as descriptors intermittent fasting, alternating day fasting, calorie restriction, energy restriction, time 
restricted feeding and inclusion criteria for studies that ranged from 2012 to 2017 in the English, Spanish and Portuguese 
languages, and exclude articles not available in full. A total of 61 articles were found, of which 17 met the pre-established criteria. 
Intermittent fasting has a metabolic effect superior to caloric restriction, and when associated with exercise may have a more 
intense effect when compared to non-associated. In addition, it can be said that it protects against cardiovascular damage by 
lowering the percentage of fat, and in eutrophic persons demonstrated minimal effects, while obese adapt better to the strategy. 
Although the available studies present very small populations in relation to the number of people affected by chronic-degenerative 
diseases or sportsmen, we observed beneficial results with this intervention. 
Key words: Weight loss. Chronic diseases. Physical performance. 
 
1 Graduação em Nutrição pela Faculdade de Juazeiro do Norte \u2013 FJN. Autor para correspondência e-mail: kellymoraissantos@hotmail.com 
2 Graduação em Nutrição pela Faculdade de Juazeiro do Norte \u2013 FJN. 
3 Pós-Graduação em Bioquímica e Biologia Molecular pela Universidade Leão Sampaio \u2013 UNILEÃO; Graduação em Biomedicina pela Universidade Leão 
Sampaio \u2013 UNILEÃO. 
4 Mestrado em Tecnologia de Alimentos pela Universidade Federal do Ceará \u2013 UFC; Graduação em Engenharia de Alimentos pela Universidade de 
Campinas \u2013 UNICAMP. 
REVISÃO/REVIEW 
CONSEQUÊNCIAS DO JEJUM INTERMITENTE SOBRE 
AS ALTERAÇÕES NA COMPOSIÇÃO CORPORAL: Uma 
revisão integrativa 
CONSEQUENCES OF INTERMITTENT FASTING ON 
CHANGES IN BODY COMPOSITION: An integrative 
review 
DOI: dx.doi.org/10.19095/rec.v5i1.209 
A. K. M. DOS SANTOS 
Rev. e-ciência, 5(1): 29-37, 2017 
 
 
DOI: dx.doi.org/10.19095/rec.v5i1.209 
30 
INTRODUÇÃO 
Estratégias de emagrecimento são bastante 
utilizadas na prevenção e tratamento de doenças 
crônicas degenerativas, como também visando aumento 
do rendimento na prática esportiva, tendo como base o 
controle alimentar. O jejum intermitente vem se 
destacando como prática de controle alimentar 
(MORAES, 2016). 
O jejum intermitente é uma modalidade de 
intervenção nutricional caracterizada pela diminuição da 
frequência alimentar que começou a ser estudado em 
muçulmanos, durante o período do Ramadã, sendo 
obrigatória a permanência em jejum durante o dia e 
alimentando-se apenas do pôr do sol ao amanhecer, por 
30 dias consecutivos. Ao final do período, observou-se 
modificação do perfil metabólico como melhoras no 
perfil lipídico, diminuição da frequência cardíaca e da 
massa gorda (SALEH et al., 2005), levando à hipótese de 
que poderia trazer benefícios à saúde (MORAES, 2016), 
incluindo melhora da sensibilidade à insulina (HALBERG 
et al., 2005; CARLSON et al., 2007), efeito cardioprotetor 
(VARADY et al., 2009), e maior utilização de lipídios como 
combustível metabólico (HEILBRONN et al., 2005; 
VARADY et al., 2007). 
Os estudos de jejum intermitente consistem na 
avaliação do efeito de períodos alternados de privação 
alimentar e realimentação ad libitum, de geralmente 12 
a 24 horas (HALBERG et al., 2005; CARLSON et al., 
2007). 
Evidências de que o aumento da frequência 
alimentar não é determinante para o sucesso da dieta, e 
que menos refeições diárias também podem resultar em 
efeitos metabólicos favoráveis ao emagrecimento vem 
se intensificando (HUTCHISON; HEILBRONN, 2015). 
Entendido como uma intervenção estressora do 
metabolismo (WASSELIN et al., 2014), sugere-se que o 
jejum intermitente, possa ter efeitos metabólicos 
adaptativos semelhantes ao de um treinamento físico 
(VAN PRAAG et al., 2014). 
Infelizmente, várias dietas de moda em jejum 
surgiram na imprensa popular, e as linhas entre estas e 
pesquisas válidas tornaram-se desfocadas (MATTSON et 
al., 2014). Jejum intermitente, jejum em dias alternados 
e outras formas de desistência calórica periódica estão 
ganhando popularidade na mídia e entre cientistas 
(HORNE; MUHLESTEIN; ANDERSON, 2015). 
Diante disso, surgiram questionamentos sobre 
qual seria o impacto desse protocolo dietético em 
diferentes aspectos do metabolismo, se ele é capaz de 
estender a vida útil e atenuar o progresso e a gravidade 
das anormalidades metabólicas, como obesidade, 
síndrome metabólica e diabetes mellitus tipo 2 e se 
existem riscos para o organismo em casos de uso 
indiscriminado dessa estratégia. 
Como hipótese, pelo fato de haver a indução da 
restrição energética é bem provável que ocorra aumento 
no metabolismo, influenciando na longevidade, 
atenuando as anormalidades metabólicas, contudo seu 
uso de forma indiscriminada pode acarretar disfunções. 
O presente estudo se justifica por apresentar uma 
alternativa não medicamentosa no tratamento de 
doenças crônico-degenerativas,