Resumo Organização da administração
45 pág.

Resumo Organização da administração


DisciplinaDireito Administrativo I54.717 materiais994.023 seguidores
Pré-visualização9 páginas
e naquela não, a assembleia geral, como órgão pelo qual se manifesta a vontade do Estado. Na primeira, essa vontade é externa e, na segunda, é interna ou imanente.
Q911386 Cabe mandado de segurança contra ato praticado em licitação promovida por sociedade de economia mista ou empresa pública.
CORRETO. Vai caber MS porque será um ato administrativo. Mas nos atos de gestão comercial não cabe MS.
Q620663 A composição do capital das sociedades de economia mista é o resultado da conjugação de recursos públicos e privados, sendo os recursos privados inadmitidos na composição do capital das empresas públicas.
CORRETO. Sociedade de economia mista realmente pode ter recurso público e privado , entretanto as empresas públicas somente capital 100% público. 
Teoria
PREVISÃO LEGAL
Art. 37 XIX -  somente por lei específica poderá ser criada autarquia e autorizada a instituição de empresa pública, de sociedade de economia mista e de fundação, cabendo à lei complementar, neste último caso, definir as áreas de sua atuação;
XX -  depende de autorização legislativa, em cada caso, a criação de subsidiárias das entidades mencionadas no inciso anterior, assim como a participação de qualquer delas em empresa privada;
Art. 173. Ressalvados os casos previstos nesta Constituição, a exploração direta de atividade ECONÔMICA pelo Estado SÓ SERÁ PERMITIDA QUANDO necessária aos imperativos da segurança nacional ou a relevante interesse coletivo, conforme definidos em lei.
§ 1º A lei estabelecerá o estatuto jurídico da empresa pública, da sociedade de economia mista e de suas subsidiárias que explorem atividade econômica de produção ou comercialização de bens ou de prestação de serviços, dispondo sobre:
 I -  sua função social e formas de fiscalização pelo Estado e pela sociedade;
II -  a sujeição ao regime jurídico próprio das empresas privadas, inclusive quanto aos direitos e obrigações civis, comerciais, trabalhistas e tributários;
III -  licitação e contratação de obras, serviços, compras e alienações, observados os princípios da administração pública;
IV -  a constituição e o funcionamento dos conselhos de administração e fiscal, com a participação de acionistas minoritários;
 V -  os mandatos, a avaliação de desempenho e a responsabilidade dos administradores.
§ 2º As empresas públicas e as sociedades de economia mista NÃO PODERÃO gozar de privilégios fiscais não extensivos às do setor privado.
§ 3º A lei regulamentará as relações da empresa pública com o Estado e a sociedade.
§ 4º A lei reprimirá o abuso do poder econômico que vise à dominação dos mercados, à eliminação da concorrência e ao aumento arbitrário dos lucros.
§ 5º A lei, sem prejuízo da responsabilidade individual dos dirigentes da pessoa jurídica, estabelecerá a responsabilidade desta, sujeitando-a às punições compatíveis com sua natureza, nos atos praticados contra a ordem econômica e financeira e contra a economia popular.
NATUREZA JURÍDICA
Direito privado com regime misto (híbrido).
Regime Híbrido: O regime jurídico de direito privado das empresas públicas é parcialmente derrogado por normas de direito público, cenário este que a doutrina denomina de regime jurídico híbrido
Q548106 Tanto na empresa pública, quanto na sociedade de economia mista, há derrogação apenas parcial do regime de direito público pelo regime de direito privado.
Obs.: Já vi as duas formas sendo dada correto: tanto dizer público derrogado pelo privado ou privado derrogado pelo público. 
Mas se perguntar quem é predominante \u2013 o direito PRIVADO CERTAMENTE domina o direito público.
EMPRESAS PÚBLICAS
Podem assumir qualquer forma jurídica (S.A / LTDA / etc.). 
Por exemplo, LTDA é divisão por cotas
Capital 100% Estatal
S.E.M
Somente podem ser S.A. (Sociedade Anônima), dividida por ações.
VAI SER SEMPRE POR AÇÕES!
DICA = S.A / A-ções.
Maioria do capital social com direito a voto pertencente ao Estado
Q593256 A criação, pela União, de sociedade de economia mista depende de autorização legislativa. Autorizada, a sociedade deverá assumir a forma de sociedade anônima, e a maioria de suas ações com direito a voto pertencerão à União ou a entidade da administração indireta.
CORRETO. Esse \u201cou a entidade da administração indireta\u201d ESTÁ CORRETO.
Lei 13.303 Art. 4o Sociedade de economia mista é a entidade dotada de personalidade jurídica de direito privado, com criação autorizada por lei, sob a forma de sociedade anônima, cujas ações com direito a voto pertençam em sua maioria à União, aos Estados, ao Distrito Federal, aos Municípios ou a entidade da administração indireta. 
CRIAÇÃO / EXTINÇÃO
Autorizadas a ser criadas por lei específica
Extinção somente por lei, é vedado extinguir EP/SEM por decreto.
NÃO estão sujeitas ao regime falimentar
Q350112 Sociedades de economia mista e empresas públicas não estão sujeitas a falência
FUNCIONAMENTO
Estabelecido por lei: Seu estatuto, Sua função social, Entre outros.
ATIVIDADES
Podem explorar atividade econômica SOMENTE SE: Segurança nacional ou Relevante interesse coletivo.
NÃO tem restrição nenhuma quanto à atividade.
AMBAS podem explorar atividades econômicas e AMBAS podem explorar atividades públicas
Para alterar o objeto de atuação da EP/SEM SOMENTE POR LEI, é vedado ato do executivo para alterar o objeto de atuação definido na lei que autorizou a instituição da referida entidade.
REGIME DE PESSOAL
Funcionários são CLT ingresso via concurso público , com a prerrogativa de Demissão SOMENTE SE MOTIVADA
REGIME DE BENS
Via de regra são bens privados, logo podem ser alienados, são prescritíveis e penhoráveis
Obs.: Caso seja E.P. prestadora de serviço público: pode gozar de imunidade tributária e pagamento por meio de precatórios. Somente se: Prestar serviço público, não concorrer com empresa privada, e não dividir lucros.
PRIVILÉGIOS
Não seguem lei de licitações (8666), possuem regulamento próprio mais flexível, que não obriga licitar na atividade fim por exemplo.
FORO PROCESSUAL:
E.P: depende de qual ente está vinculada (pode ser estadual ou federal)
S.E.M: Sempre será justiça estadual
EXCEÇÃO: Se a UNIÃO figurar como assistente ou opoente na causa, vai para a justiça FEDERAL. 
Competência de Juiz federal para julgar.
Súmula 517 do STF: \u201cas sociedades de economia mista só tem foro na Justiça Federal, quando a União intervém como assistente ou opoente\u201d
Art. 109. Aos juízes federais compete processar e julgar:
I -  as causas em que a União, entidade autárquica ou empresa pública federal forem interessadas na condição de autoras, rés, assistentes ou oponentes, exceto as de falência, as de acidentes de trabalho e as sujeitas à Justiça Eleitoral e à Justiça do Trabalho;
OBRIGAÇÕES
Sujeitas ao regime próprio das empresas privadas. 
Mesmas obrigações CCTT (Civil/Comercial/Trabalhista/Tributário) 
Via de regra não poderão gozar de privilégios fiscais não extensíveis ao setor privado
SALVO se for E.P. que preste serviço público, aí poderá gozar de privilégios quanto ao seu patrimônio.
OBSERVAÇÕES GERAIS
Mesmo sendo direito privado estão sujeitas aos princípios básicos da administração pública
As E.P. ou S.E.M. DEPENDENTES estão sujeitas ao teto remuneratório da C.F.
As INDEPENDENTES NÃO estão sujeitas ao teto
Criação de subsidiárias via de regra com autorização legislativa, salvo se já constar da lei de autorização de criação o regime de responsabilidade extracontratual dessas pessoas depende da atividade fim desenvolvida
Q323680 Não é necessária a autorização legislativa para a criação de empresa pública subsidiária se houver previsão para esse fim na própria lei que instituiu a empresa matriz
CORRETO. 
[STF ADI 1.649] É dispensável a autorização legislativa para a criação de empresas subsidiárias, desde que haja previsão para esse fim na própria lei que instituiu a empresa de economia mista matriz, tendo em vista que a lei criadora é a própria medida autorizadora.
Q785465 A criação da subsidiária depende de autorização legislativa