Resumo Organização da administração
45 pág.

Resumo Organização da administração


DisciplinaDireito Administrativo I54.688 materiais993.425 seguidores
Pré-visualização9 páginas
agencia reguladora de \u201cAgência Autárquica reguladora\u201d
Q547900 As agências reguladoras constituem instrumento de intervenção estatal direta no domínio econômico, uma vez que impõem comportamentos definidos pela autoridade do Estado.
FALSO. As agências reguladoras constituem instrumento de intervenção estatal sobre o domínio econômico de forma INDIRETA, ou seja, não compete com a iniciativa privada, somente atuando como agente normativo e regulador da atividade econômica, conforme art. 174 da CF/88.
SOBRE A INDEPENDÊNCIA DAS AGÊNCIAS REGULADORAS
VISÃO DO CESPE: Elas possuem autonomia e independência (SECO). Mas não possuem \u201cindependência em relação aos três poderes\u201d.
Q910511 As agências reguladoras são autarquias em regime especial, o que lhes confere maior autonomia administrativa e financeira, contudo, não possuem independência em relação aos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.
CORRETO. Para o CESPE , independência em relação aos poderes NÃO!
Q840659 Para que as agências reguladoras atuem de maneira eficiente e efetiva, de modo a atender interesses e direitos dos usuários, é fundamental a sua independência.
CORRETO. Aqui ele usa \u201cindependência\u201d seco e amplo , vem como correto.
Q470119 As agências reguladoras possuem autonomia para realização dos seus atos, mas não independência.
FALSO. Sempre que fala \u201cindependência\u201d SECO é para marcar correto , elas realmente possuem uma \u201crelativa independência de atuação\u201d. 
Teoria
São autarquias em regime especial, que possuem mais autonomia que uma autarquia comum. 
As agências reguladoras \u2014 autarquias de regime especial com ESTABILIDADE e INDEPENDÊNCIA em relação ao ente que as criou \u2014 são responsáveis pela:
Regulamentação
Controle 
Fiscalização de serviços públicos, atividades e bens transferidos ao setor privado.
Segundo Hely Lopes, elas são criadas por lei, e a lei já lhes confere o regime especial. 
CUIDADO: 
Agência Executivo é uma mera qualificação de uma entidade já existente. 
Agencia Reguladora é uma entidade nova criada , que possui regime especial previsto na sua lei de criação. 
CARACTERÍSTICAS:
Mandato fixo dos dirigentes: Agora os dirigentes têm mandato fixo, o prazo de mandato e a hipótese da sua perda estará na lei de cada autarquia (na lei de criação da autarquia).
CUIDADO: PRAZO FIXO quer dizer que é um mandato por prazo determinado, onde o dirigente só perde o mandato se cometer alguma infração prevista em lei. (Não tem nada a ver com mandato fixo de = para sempre).
Dirigentes no caso da união são nomeados pelo Presidente da república, depois de aprovado o nome no Senado.
Somente duas agências reguladoras são mencionadas na constituição: ANATEL E ANP.
As regras impostas pelas agências reguladoras, possuem natureza impositiva com relação as demais entidades atuantes no setor regulado.
Investidura dos dirigentes: agora depende de aprovação do chefe do legislativo. O chefe do executivo ainda pode nomear os dirigentes, mas agora o legislativo (senado federal) precisa aprovar.
Introdução da quarentena: Se um dirigente sair de uma agencia reguladora, tem que esperar 4 meses para ingressar em outro cargo de dirigente em outra agencia reguladora. (Hely Lopes diz até 1 ano).
Resumo rápido agências
AGÊNCIAS EXECUTIVAS
Qualificação dada a uma AUTARQUIA OU FUNDAÇÃO que celebrou contrato de gestão com o ministério supervisor
Não são entidades novas criadas, é apenas uma qualificação
Criação
São "criadas" (qualificadas) por decreto do chefe do executivo
A qualificação é ato discricionário: Decreto do chefe do executivo da esfera da agência
Todas as prerrogativas conferidas pela qualificação deverão constar do decreto que a qualificou
Atividade:
São as originais da autarquia/fundação , apenas agora é com mais autonomia
Contrato de gestão
Já ter em andamento (ou ter concluído) um plano estratégico de reestruturação e desenvolvimento institucional
O plano estratégico definirá as diretrizes, políticas e medidas voltadas para o fortalecimento institucional da entidade e ampliação de sua autonomia, cujos aspectos deverão constar do contrato de gestão.
Voltado para melhoria da qualidade de gestão e redução de custos
AGÊNCIAS REGULADORAS
São autarquias em regime especial com estabilidade e independência com relação ao ente criador
Criação
São criadas por lei , e a própria lei já lhes confere o seu regime especial
Não há qualificação , é a criação de uma nova entidade
Atividade:
Regulamentação, controle e fiscalização de serviços públicos , atividades e bens públicos transferidos ao setor privado
Suas regras possuem natureza impositiva com relação às demais empresas atuantes no setor regulado
Características
Mandato fixo dos dirigentes , nomeados pelo P.R após aprovação do nome no Senado
Quarentena de 4 meses após o dirigente sair da Agência reguladora e quiser ir para outra
POSSUEM expressão de poder de polícia
Privilégios
Autonomia administrativa
Mandato fixo e ausência de subordinação hierárquica
Estabilidade de seus dirigentes
Autonomia financeira
Renda própria e liberdade de aplicação
Possuem poder normativo
Regulam a matéria de sua competência
Consórcios públicos.
Coisas de prova
Q868524 Mesmo sendo um consórcio somente de entes públicos ele ainda pode se organizar como PJ de direito privado.
Q840708 Consórcios públicos são uma forma de associação entre entes públicos e privados que permite uma gestão associada de recursos humanos, financeiros e materiais.
Parte superior do formulário
FALSO. Consórcio Público (esse nome) designa somente reunião de ENTES POLÍTICOS (Somente PJ públicas) reunidos para uma finalidade comum.
Q586465 Existe a possibilidade de o consórcio público ser instituído com personalidade jurídica de direito privado, hipótese em que possuirá natureza jurídica de associação.
CORRETO. Falaram que Consórcio PJ pública se chama Associação Pública , Consórcio PJ privada se chama Associação civil (mas os dois possuem natureza de associação!)
Q866687 Por meio da contratação de consórcios públicos, poderão ser constituídas associações públicas para a realização de objetivos de interesse comum, adquirindo tais entidades personalidade jurídica de direito público e passando a integrar a administração indireta de todos os entes federativos consorciados. 
CORRETO
Teoria
Trata-se de gestão associada ou cooperação associativa de entes federativos, para a reunião de recursos financeiros, técnicos e administrativos - que cada um deles, isoladamente, não teria -, para executar o empreendimento desejado e de utilidade geral para todos.
OBSERVAÇÕES:
Se for consórcio público só pode participar entes da federação SOMENTE (é criada uma \u201cassociação pública\u201d, que é uma pessoa jurídica que irá administrar o consórcio, integrando a administração indireta).
Cria-se uma pessoa jurídica exclusivamente para o consórcio
Cada um dos entes participantes deve ter sua respectiva lei autorizando a participação no consórcio
A União somente participará de consórcios públicos em que também façam parte todos os Estados em cujos territórios estejam situados os Municípios consorciados
ADQUIRE PERSONALIDADE JURÍDICA QUANDO: 
1- Direito público: no caso de constituir associação pública, mediante a vigência das leis de ratificação do protocolo de intenções;
2- Direito privado: mediante o atendimento dos requisitos da legislação civil. 
OU SEJA, somente consórcio privado que precisa registrar estatuto no cartório.
A entrega de recursos ao consórcio público é efetivada mediante CONTRATO DE RATEIO
1- Contrato de rateio: contrato por meio do qual os entes consorciados comprometem-se a FORNECER RECURSOS financeiros para a realização das despesas do consórcio público;
2- Contrato de programa: instrumento pelo qual devem ser constituídas e reguladas as OBRIGAÇÕES que um ente da Federação, inclusive sua administração indireta, tenha para com outro ente da Federação, ou para com consórcio público, no âmbito