Resumo Organização da administração
45 pág.

Resumo Organização da administração


DisciplinaDireito Administrativo I54.722 materiais994.207 seguidores
Pré-visualização9 páginas
da prestação de serviços públicos por meio de cooperação federativa;
É autorizado aos consórcios públicos
Podem firmar convênios, contratos, acordos para receber auxílios ou subvenções sociais e econômicas de outras entidades.
Nos termos do contrato, podem promover desapropriações e instituir servidões.
Emitir documentos de cobrança e arrecadar tarifas
Outorgar concessão, permissão e autorização de obras e serviços públicos 
Podem ser contratados pela administração direta ou indireta por DISPENSA de licitação. 
Quando for um convênio, não se cria uma pessoa jurídica, podendo envolver no acordo entes da administração indireta também, convênio também pode incluir particulares.
Consórcio público de DIREITO PRIVADO: A lei não diz se ela está incluída na administração indireta, a Doutrina também não concorda totalmente qual a posição. Apenas é sabido que consórcios públicos podem assumir direito privado também, regime de pessoal CLT. 
SOBRE AS RESPONSABILIDADES Q643297
Os entes da Federação consorciados respondem SUBSIDIARIAMENTE pelas obrigações do consórcio público.
Os dirigentes do consórcio público responderão PESSOALMENTE pelas obrigações por ele contraídas caso pratiquem atos em desconformidade com a lei, os estatutos ou decisão da assembleia-geral.\u201d
Para estatais (terceiro setor)
Teoria geral
De maneira geral , as para estatais se submetem ao regime de licitação , mas quase sempre não o fazem , seja por inexigibilidade seja por dispensa. 
Q323715 As organizações não governamentais são pessoas jurídicas de direito privado e fazem parte do segundo setor
FALSO. ONG não faz parte do terceiro setor.
Serviços Sociais Autônomos 
Q392222 O Serviço Social do Comércio, exemplo de entidade de direito privado que atua em colaboração com o Estado, apesar de ter sido criado por lei, não integra a administração indireta
CORRETO. Serviço Social do comercio = SESC. E de fato , a galera dos serviços sociais autônomos são todos criados por lei.
Q563840 Em consonância com o entendimento do STF, os serviços sociais autônomos estão sujeitos ao controle finalístico do TCU no que se refere à aplicação de recursos públicos recebidos.
Q849282 As entidades de cooperação governamental, às quais são destinados recursos oriundos de contribuições parafiscais, têm por finalidade desenvolver atividade social que represente a prestação de serviço de utilidade pública em benefício de certos grupamentos sociais ou profissionais
Q563734 Caso a administração pública promova a alienação de imóvel diretamente ao SESC, mediante dispensa de licitação, a venda será considerada irregular, por afrontar a regra da obrigatoriedade de licitação.
CORRETO. Aquela regra de dispensa de licitação para entidade pública alienar imóvel só vale para DENTRO DA ADM PÚBLICA 
I) Como os Serviços Sociais Autônomos não integram a administração pública , a regra é alienar VIA LICITAÇÃO. 
NATUREZA
São entidades que visam dar apoio às categorias profissionais, ministram assistência ou ensina certas categorias sociais ou grupos profissionais
NÃO INTEGRAM A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, por isso NÃO possuem subordinação hierárquica a qualquer entidade pública
Não possuem fins lucrativos, por isso são mantidas por vias de dotações orçamentárias e contribuições parafiscais. E por receberem contribuições parafiscais elas estão sujeitas ao controle do Tribunal de contas.
São criadas pelo poder executivo mediante AUTORIZAÇÃO legal (LEI)
São PJ direito privado com seus estatutos registrados em órgão competente
CARACTERÍSTICAS
- Não estão sujeitas a lei de licitações, devendo em seu regulamento interno estabelecer um processo competitivo
- Não celebram contrato de gestão com o poder público
- Não possuem obrigatoriedade de concurso público, sendo exigido apenas um processo objetivo, impessoal e com moralidade
Organizações Sociais (OS):
http://www.planalto.gov.br/CCivil_03/Leis/L9637.htm
Q842573 Uma pessoa jurídica qualificada como organização social pode, simultaneamente, ser qualificada como organização da sociedade civil de interesse público.
FALSO. Nas vedações das entidades que não podem ser OSCIP , consta as OS.
Q694301 Organizações sociais são pessoas jurídicas de direito privado, sem fins lucrativos, cujas atividades sejam dirigidas ao ensino, à pesquisa científica, ao desenvolvimento tecnológico, à proteção e preservação do meio ambiente, à cultura e à saúde.
NATUREZA:
São entidades privadas sem fins lucrativos que desenvolvem atividades de interesse social. 
Ensino, pesquisa cientifica , desenvolvimento tecnológico , preservação do meio ambiente , saúde , cultura.
Não é um novo ente administrativo, é uma qualificação, um título, que a Administração outorga a uma entidade privada, sem fins lucrativos, para que ela possa receber determinados benefícios do Poder Público (dotações orçamentárias, isenções fiscais etc.) 
QUALIFICAÇÃO
É ATO DISCRICIONÁRIO 
O "poder executivo poderá apontar quem fará a qualificação", mas a lei não diz exatamente quem fará e como fará a qualificação
Pode perder a qualificação caso descumprir as disposições do contrato de gestão
O Poder Executivo também poderá desqualificar a entidade privada, retirando-lhe o título de organização social, mas esta providência há de estar baseada no descumprimento das disposições contidas no contrato de gestão e devidamente apurada em processo administrativo, assegurado o direito de defesa aos dirigentes da organização\u201d
Art. 2o São requisitos específicos para que as entidades privadas referidas no artigo anterior habilitem-se à qualificação como ORGANIZAÇÃO SOCIAL: 
II - haver APROVAÇÃO, quanto à conveniência e oportunidade de sua qualificação como organização social, do Ministro ou titular de órgão supervisor ou regulador da área de atividade correspondente ao seu objeto social e do Ministro de Estado da Administração Federal e Reforma do Estado.
Q586768 A qualificação de uma entidade como organização social resulta de critério discricionário do ministério competente para supervisionar ou regular a área de atividade correspondente ao objeto social.)
Q798506 Segundo STF o procedimento de qualificação de uma OS prescinde licitação
CARACTERÍSTICAS
Firmam contrato de gestão com o Estado
Não necessita de concurso público para pessoal
Possuem dispensa de licitação quando são contratadas para prestar atividade contemplada no seu contrato de gestão
Se forem adquirir bens ou serviços com recursos públicos, devem licitar utilizando licitação pregão
LEI EXIGE que elas possuam um conselho de administração formada por representantes públicos
O Dec. 5.504, de 5.8.2005, obriga as organizações sociais a se utilizarem da modalidade licitatória do PREGÃO, de preferência na sua forma eletrônica, na aquisição de bens ou serviços de interesse comum, adquiridos em decorrência de recursos repassados pela União.
Q834945 Se perguntar sobre os empregados contratos pelas OS: 
São empregados PRIVADOS, sendo as OS OBRIGADAS a pôr em prática um procedimento objetivo e impessoal para a seleção de seus servidores 
Os empregados das Organizações Sociais não são servidores públicos, mas sim empregados privados, por isso que sua remuneração não deve ter base em lei (CF, art. 37, X), mas nos contratos de trabalho firmados consensualmente. Por identidade de razões, também não se aplica às Organizações Sociais a exigência de concurso público (CF, art. 37, II), mas a seleção de pessoal, da mesma forma como a contratação de obras e serviços, deve ser posta em prática através de um procedimento objetivo e impessoal.
Organizações Sociais civis de interesse público (OSCIP): 
http://www.planalto.gov.br/CCivil_03/Leis/L9790.htm
Q377474 A qualificação de uma pessoa jurídica de direito privado como OSCIP ocorre por meio de ato de ministro de Estado ou titular de órgão supervisor, ou ainda pelo regulador da área de atividade correspondente ao seu objeto