Livro ''teorização do serviço social - documentos de araxa, teresopolis e sumaré (1)
123 pág.

Livro ''teorização do serviço social - documentos de araxa, teresopolis e sumaré (1)


DisciplinaFundamentos Teórico-metodológicos do Serviço Social81 materiais507 seguidores
Pré-visualização47 páginas
(lonhcgu ;i mais completa 
C( >LEÇAO DE SERVIÇO SOCIAL Grupos em Serviço Social \u2014 Margare t E . Har t ford 
História do Serviço Social \u2014 Balbina O. Vieira 
Metodologia do Serviço Social \u2014 Balbina O. Vieira 
Um Modelo Genérico para o Serviço Social \u2014 Maria da 
Glória Nin Fer re i ra 
Modelos de Supervisão em Serviço Social \u2014 Balbina O 
Vieira. 
Noções Básicas do Serviço Social \u2014 Elizabeth Nicholds 
Organização da Comunidade e Planejamento \u2014 Arthur 
Hi l lman 
Reformulação do Serviço Social \u2014 Alfred Khan 
Serviço Social Clínico \u2014 Transferência e Contratransfe-
rência \u2014 Verli Eyer de Araújo 
Serviço Social Clínico \u2014 Um Modelo de Prática \u2014 Helen 
Nor then 
Serviço Social \u2014 Precursores e Pioneiros \u2014 Balbina O 
Vieira 
Serviço Social \u2014 Processos e Técnicas \u2014 Balbina O. Vieira 
Serviço Social e a Revalorização de Grupos \u2014 Ruth Wilkes 
Serviço Social \u2014 Visão Internacional \u2014 Balbina O. Vieira 
Teoria e Prática do Serviço Social de Casos \u2014 Gordon 
Hami l ton 
Teorias de Serviço Social de Grupo \u2014 Rober t W. Rober ts 
e Helen Nor then 
O Voluntário a Serviço da Sociedade \u2014 John Huenefeld 
LIVRARIA AGIR EDITORA 
Rua Bráulio Comes, 125 (ao lado da Bib. Mun ) \u2014 Telefone: 25*-4470 
Caixa Postal 6040, São Paulo, SP, CEP01051 
Rua México, 98-B \u2014 Telefone: 240-1978 
Caixa Postal 3291, Rio de Janeiro, RJ, CEP 20001 
Rua Espírito Santo, 845, Loja 16 - Telefone: 222-3038 
Caixa Postal 733, Belo Horizonte, MC, CEP 30000 
Atendemos pelo Serviço de Reembolso Postal 
ISBN 85-220-0169-3 
lllllllillllllllllllllllll 
rsi 
CO 
CO 
00 
36.01 
C397t 
2.ed. 
J P B C M O N 
06665/99 
ARAXA 
TEF^ESÕPOLIS 
SUMARÉ 
CO 
AGIR - CBCISS 
Copyright © do Centro Brasileiro de Cooperação e Intercâmbio de Serviços 
Sociais (CBCISS) 
Direitos para edição em língua portuguesa reservados a 
ARTES GRÁFICAS INDÚSTRIAS REUNIDAS S.A. (AGIR) 
Capa de HELENA GEBARA DE MACEDO 
CIP-Brasil. Catalogação-na-fonte. 
Sindicato Nacional dos Editores de Livros, RJ. 
Centro Brasileiro de Cooperação e Intercâmbio de Serviços Sociais 
- CBCISS. 
C389t Teorização do serviço social / Centro Brasileiro de Cooperação 
2. ed. e Intercâmbio de Serviços Sociais. \u2014 2. ed. \u2014 Rio de Janeiro: 
Agir, 1986. 
Conteúdo: Documento de Araxá, 1967: teorização do serviço 
social. \u2014 Documento de Teresópolis, 1970: metodologia do serviço 
social. \u2014 Documento do Sumaré, 1978: cientificidade do serviço 
social. 
Bibliografia. 
ISBN 85-220-0169-3 
1. Serviço social \u2014 Teoria. I. Título. 
86-0604 CDD - 361.001 
CDU - 36.01 
LIVRARIA AGIR EDITORA 
Rua Bráulio Comes, 125 (ao lado da Bib. Mun.) \u2014 Telefone: 259-4470 
Caixa Postal 6040, São Paulo, SP, CEP01051 
Rua México, 98-B - Telefone: 240-1978 
Caixa Postal 3291, Rio de Janeiro, RJ, CEP 20001 
Rua Espírito Santo, 845, Loja 16 - Telefone: 222-3038 
Caixa Postal 733, Belo Horizonte, MC, CEP 30000 
Atendemos pelo Serviço de Reembolso Postal 
SUMÁRIO 
APRESENTAÇÃO 7 
DOCUMENTO DE ARAXA 11 
I n t r o d u ç ã o 19 
Capítulo I 23 
Capítulo I I 29 
Capítulo I I I 41 
Nota Final 44 
Relação dos Documentos Preparatórios 46? < 
DOCUMENTO DE TERESÓPOLIS 47 £ 
In t rodução 53 £ 
Relatório do Grupo A 57 *c 
Relatório do Grupo B 73 tá 
Relação dos Documentos Preparatórios 97 5 
DOCUMENTO DO SUMARÉ 101 § 
In t rodução 107- ca 
1 \u2014 O Serviço Social e a Cientificidade 113 
2 \u2014 O Serviço Social e a Fenomenologia 171 
3 \u2014 O Serviço Social e a Dialética 207 
APRESENTAÇÃO 
Os Documentos de Araxá, Teresdpolis e Sumaré cons t i tuem 
&quot; m a r c o s históricos&quot; do Serviço Social. São p r o d u t o dos 
es tudos de profissionais competentes reunidos e m Semi-
nários promovidos pelo Cent ro Brasi le iro de Cooperação 
e Intercâmbio d e Serviços Sociais (CBCISS) . /Espe lham 
a s i tuação d o Serviço Social e m dado m o m e n t o de sua 
história, e são o resul tado de seu desenvolvimento cientí-
fico, embora influenciado p o r acontecimentos sociais e 
políticos. De fato, desde o início, o Serviço Social preo-
cupou-se com de te rminadas ques tões que p õ e m e m jogo. 
sua própria existência ou sobrevivência./ 
E m vista dos numerosos es tudos feitos a pa r t i r desses 
t r ês documentos , esgotou-se a última das edições de cada 
u m deles. O CBCISS, depois de consul tar vários profis-
sionais , resolveu reuni-los n u m só volume, e m nova edição, 
pe rmi t indo , ass im, facilidade de manuse io p a r a es tudos 
e consul tas . 
/ No Brasi l , quando , n a década dos anos 30, a Igre ja 
desejava fo rmar agentes p a r a a Ação Social, surgiu u m 
&quot;mode lo franco-belga&quot;, de tendência assistencialista, e, ma i s 
t a rde , o &quot;modelo amer icano&quot; , o &quot;mode lo clínico&quot;, apoiado 
e m teor ias psicodinâmicas. Esses modelos não respond iam 
a o q u e a Igreja desejava, m a s encon t ravam aplicação e m 
n u m e r o s a s o b r a s sociais então existentes, o q u e to rnou 
a prática d a car idade menos empírica e mais racional . 
Ora, as mudanças que se e fe tuaram no Brasi l nos anos 
de pós-guerra \u2014 o desenvolvimento económico e político 
e o p rogresso das ciências sociais \u2014 c r i a r a m novas situa-
ções problemáticas e m todos os se tores da sociedade. 
8 CBCISS 
Apesar de absorvidos p o r in tensa at ividade vol tada p a r a 
o reconhecimento da prof issão e do ensino de Serviço 
Social, os ass is tentes sociais não pod iam deixar de cons-
ta ta r as dificuldades cr iadas , p a r a a melhor ia da qual idade 
de vida, p o r práticas sociais que, e m b o r a revelassem gran-
de dedicação, pouco contribuíam para a realização dos 
objet ivos desejados. 
/ Contes tadores mais entus ias tas , inspi rados p o r ideolo-
gias diversas, l evanta ram a bande i ra da &quot; reconcei tuação&quot; 
no início dos anos 60. Nisso, não faziam ou t r a coisa senão 
levar p a r a o Serviço Social os ques t ionamentos de ou t r a s 
disciplinas sociais, políticas e económicas, q u e se locali-
zavam pr inc ipa lmente na s univers idades .^ 
Es t e fenómeno quase universal manifestou-se, e m re-
lação ao Serviço Social, na Ing la te r ra e nos Es tados Unidos, 
m a s sob re tudo na América Latina, e, n o início, situava-se 
no c a m p o da abs t ração e da teoria . 
Foi nessa ocasião que, em 1966, o CBCISS propôs u m 
es tudo sério, e tão profundo quan to possível, do Serviço 
Social, a fim de esclarecer os conceitos aceitos, os valores 
de base e os conhecimentos necessários p a r a u m a prática 
eficiente. 
Assim sendo, realizaram-se, nos últimos quinze anos , 
t r ês Seminários: em 1967, na cidade mine i ra de Araxá, 
sobre &quot;Teorização do Serviço Social&quot;; e m 1970, e m Tere-
sópolis, E s t a d o do Rio de Jane i ro , sob re &quot;Metodologia do 
Serviço Social&quot; e, e m 1978, no Centro de Es tudos da 
Arquidiocese do Rio de Janei ro , no Sumaré, sobre &quot;Cienti-
ficidade do Serviço Social&quot;. 
Aos Seminários de Araxá e Teresópolis seguiram-se en-
cont ros regionais, que envolveram, respect ivamente , 741 
e 958 assis tentes sociais de todos os E s t a d o s do Brasi l 
na discussão e avaliação dos assun tos t r a t ados nos Semi-
nários. Ao Seminário do Sumaré n ã o houve encont ros sub-
sequentes . 
O Documento de Araxá \u2014 o pr imei ro a ser publ icado 
\u2014 teve grande repercussão , não apenas no Bras i l m a s 
também no estrangeiro, e foi t raduzido p a r a o inglês e o 
espanhol . O Documento de Teresópolis foi t raduz ido p a r a 
o espanhol . 
Os Documentos receberam elogios e sofreram críticas, 
o que não deixa de ser posit ivo. Muitos ar t igos de revis tas 
Teorização do Serv. Social 9 
e d isser tações de m e s t r a d o ana l i sa ram ou in t e rp re t a ram 
as posições e ideias, os es tudos e até a história do Serviço 
Social a pa r t i r dos referidos Documentos . Todos estes 
t r aba lhos t ê m o seu valor, pois sabemos que não há ciência 
&quot;constituída&quot;, m a s toda ciência se e labora aos poucos , 
ac rescentando
Bianca
Bianca fez um comentário
Muito bom ! Obrigada
6 aprovações
Carregar mais