Seminário   Circulação vertical (Escadas e Elevadores)

Seminário Circulação vertical (Escadas e Elevadores)


DisciplinaProjeto Arquitetônico IV24 materiais108 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Elevadores, Escadas Rolantes, Escadas de Circulação Comum.
Elevadores
2
1918, Simples cabine, manivela e portas manuais. 
Atualmente, contrapeso ao fundo ou ao lado.
 Casa de Maquinas	 S/ Casa de Maquinas (motores menores)
 	
3
 	
4
Elevadores Residenciais 
Capacidade menor 
 	
5
Elevadores Comerciais
Capacidade Maior
 	
6
Elevadores Hospitalares
Para maca/leito
 	
7
Elevadores Carga
 	
8
 	
9
Variáveis
 	
10
A projeção externa varia conforme o contra peso ao lado ou ao fundo
 Contrapeso ao fundo Contrapeso lateral
O contrapeso, para ser dimensionado corretamente, deve ter um peso correspondente a, no mínimo, 40% do peso da cabine e da capacidade máxima do elevador. Se, por exemplo, um elevador cheio (com a cabine totalmente lotada) pesar 1.000 kg, o contrapeso deverá pesar 400 kg;
 	
Qual elevador/capacidade atende o meu uso?
Exemplo: Condomínio Residencial; 1 Torre; 2 Elevadores com capacidade para 12 passageiros cada. 
 	
11
População
Pessoas
Cap. Tráfego
Escritórios
1 \u2013 7m²
12%
Apartamentos
2 \u2013 1 Dormitório
10%
4 \u2013 2 Dormitórios
5 \u2013 3 Dormitórios
6 \u2013 4 Dormitórios
Hotéis
2 - Dormitório
10%
Hospitais
2,5 - Leito
8% - 12%
Restaurantes
1 \u2013 1,5m²
6%
Escolas
1 \u2013 2m² Sala de Aula
20%
1 \u2013 7m² Administração
Garagem
1,4 - Vaga
10%
Lojas
1 \u2013 4m²
10%
www.daikenelevadores.com.br/entenda-definitivamente-as-diferencas-entre-os-tipos-de-elevadores-e-faca-a-escolha-certa/
 https://ortobras.com.br/elevador/elevador-residencial/
https://www.schindler.com/content/dam/web/br/PDFs/NI/manual-transporte-vertical.pdf
http://www.rayselevadores.com.br/wp-content/themes/rayselevadores/images/downloads/arquivo_3_Medidas%20padrão%20(adaptado)_93.pdf
http://www.thyssenkruppelevadores.com.br/blog/voce-sabe-como-o-elevador-funciona/
https://alfabra.com/index.php
NBR 6556
12
Escadas Rolantes 
13
1897
Nos últimos 100 anos as escadas rolantes representou o elemento mais radical desse processo de mudança arquitetônica, e ainda hoje é a instalação mais popular de nossos ambientes de serviços e comerciais.
 	
14
Utiliza-se escadas rolantes em áreas comerciais e serviços para um grande fluxo de pessoas, como em shopping centers, supermercados, estacionamentos.
 Vantagens :
São convidativas, com seus degraus móveis. 
 Ajudam a canalizar os fluxos de passageiros. 
Exibem uma elevada capacidade de transporte. 
Estão sempre abertas e transportam as pessoas de 
modo contínuo.
 Asseguram que todos os andares sejam 
frequentados de modo uniforme
 	
15
As escadas rolantes são oferecidas com
 larguras de 60 cm, 80 cm e 1,00 m
 para os degraus. 
As velocidades são de 0,5 m/s; 0,6 m/s e 0,65 m/s, o número correto de degraus horizontais nas áreas de desembarque (ou seja, o chamado percurso final dos degraus) de escadas rolantes, de acordo com as normas ANSI, EN 115 e NM 195, depende do desnível, da inclinação e da velocidade nominal.
16
Área Livre: Desembarque superior
 e inferior. 
 	
 
Altura da balaustrada estão disponíveis em 
alturas de 90 cm, 1,00 m e 1,10 m. 
17
Vão livre superior
A distância entre o parapeito e o corrimão
 da escada rolante deve ser de 8 cm, no mínimo. 
O suporte para a escada rolante tem que ter 
uma distância mínima de 1,0 m em relação 
à borda do teto, para que a balaustrada não
 tenha que ser estendida.
 	
18
-
Vão livre de segurança 
O vão livre horizontal entre a borda externa do corrimão e as paredes (ou outros obstáculos) deve ser sempre de 8 cm no mínimo. Esse vão livre deve ser mantido até uma altura de 2,1 m (no mínimo) acima da faixa de degraus.
No caso de aberturas no piso e escadas dispostas de forma cruzada, a distância horizontal entre o centro do corrimão e o obstáculo deve ser de 50 cm pelo menos.
 	
 Deve-se evitar distâncias superiores a 50 metros
19
Para determinar os requisitos de transporte (pessoas por hora), é preciso levar em conta os seguintes parâmetros:
 Tipo do edifício (tráfego em um só sentido, tráfego nos dois sentidos; edifícios com uma só atividade ou várias atividades diferentes)
Horários de pico de tráfego (horários de início e final de expediente)
Fator populacional com base na área útil
 Taxa de rotatividade dos clientes por andar em lojas de departamentos
Nível de conforto do transporte desejado em cada unidade (sem aglomeração, conveniente, com aglomeração)
 
Uma vez estipulados os requisitos de transporte, pode-se determinar então o número de escadas rolante necessárias.
20
Disposição
Unidade isolada Utiliza-se a unidade isolada
 para conectar dois níveis. Ela é adequada 
para edifícios nos quais o tráfego de passageiros 
flui principalmente em um só sentido.
Disposição contínua (tráfego em um só sentido) 
Utiliza-se essa disposição principalmente em 
lojas de departamentos menores, para unir três
 níveis de vendas. Ela requer mais espaço 
que a disposição interrompida.
 	
21
Disposição interrompida (tráfego em um 
só sentido) Embora relativamente
 inconveniente para o usuário, ela 
é vantajosa para o proprietário da loja 
 
 	
Disposição paralela interrompida (tráfego nos 
dois sentidos) Essa disposição é utilizada 
principalmente em lojas de departamentos
 e edifícios de transporte público com 
grandes volumes de tráfego. 
22
 Disposição cruzada e contínua (tráfego nos
 dois sentidos) Esse tipo de instalação é
 empregada frequentemente pois 
permite que os clientes subam até os
 andares superiores sem qualquer 
tempo de espera.
Inclinações de 30° e 35° representam o padrão
 internacional para escadas rolantes. Inclinação de 30°
 Essa inclinação proporciona o maior conforto de 
deslocamento e máxima segurança para o usuário. 
Inclinação de 35° A escada rolante de 35° é a 
solução mais eficiente, pois requer menos espaço
 e pode ser implementada de forma mais econômica. 
23
 
24
ABNT
ABNT NBR 16083:2012 - Manutenção de elevadores, escadas rolantes e esteiras rolantes 
ABNT NBR 10147:2001 - Escadas rolantes e esteiras rolantes - Inspeções e ensaios de aceitação, periódicos e de rotina. 
ABNT NBR 14364:1999 - Elevadores e escadas rolantes - Inspetores de elevadores e escadas rolantes
Bibliografia
https://www.schindler.com/content/dam/web/br/PDFs/NI/guia-planejamento-escadaesteira.pdf
http://abnt.org.br/paginampe/noticias/214-seguran%C3%A7a-de-escadas-rolantes-e-esteiras-rolantes
https://www.passeidireto.com/arquivo/37945648/calculo-elevadores-e-escadas-rolantes
 	
25
 	
26
Escadas de circulação comum
Definição:
Escada é o elemento de composição arquitetônica cuja função é proporcionar a possibilidade de circulação vertical entre dois ou mais pisos de diferentes níveis, por meio de uma sequência de degraus.
 	
27
28
Legislação e Normas Técnicas
 
Uso Privativo: Interior de apartamento, Residência unifamiliar e acesso a compartimentos de uso limitado das edificações em geral
 
Aplicam \u2013 se as regras do COE\u2013CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES do município no qual a obra será edificada.
 
 
Uso Público e/ou Coletivo, incluindo áreas comuns de edifícios
Residenciais multifamiliares: 
Aplicam-se as regras do COE \u2013 CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES do município no qual a obra será edificada.
 
Aplicam-se as recomendações da ABNT NBR 9050:2015, que trata da acessibilidade às edificações.
 
Aplicam-se as instruções técnicas do corpo de Bombeiros e ABNT NBR9077:2001 \u2013Saídas de emergências em edifícios.