AULA 1 CUIDAR III
68 pág.

AULA 1 CUIDAR III


DisciplinaProcesso de Cuidar III16 materiais114 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Profª Érika Sales
1
PROCESSO DE ENFERMAGEM
CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO DO CEARÁ 
CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM
DEFINIÇÃO
\u2756 Sequência organizada de etapas, utilizada
pelos enfermeiros para identificar e controlar
os problemas de saúde dos pacientes;
\u2756 É um modelo para o cuidado à saúde
estabelecidos;
\u2756 É um método utilizado para se implantar, na
prática profissional, uma teoria de
enfermagem.
2
PROCESSO DE ENFERMAGEM
ASPECTO LEGAL
\u2756 O Conselho Federal de Enfermagem
(COFEN), por meio da Resolução 358/2009,
tem preconizado que a assistência de
enfermagem deve ser sistematizada
implantando-se o processo de enfermagem
(PE).
3
CARACTERÍSTICAS DO PROCESSO 
DE ENFERMAGEM
4
Sistemático Dinâmico
Humanizado
Dirigido a 
resultados
ETAPAS DO PROCESSO DE 
ENFERMAGEM
INVESTIGAÇÃO
DIAGNÓSTICO DE 
ENFERMAGEM
PLANEJAMENTO
IMPLEMENTAÇÃO
AVALIAÇÃO
5
6
INVESTIGAÇÃO
INVESTIGAÇÃO
\u2756 Etapa inicial do processo de enfermagem;
\u25aa Também chamada de Histórico de enfermagem;
\u25aa É a coleta sistemática de informações ou dados;
\u25aa É o primeiro contato do enfermeiro com o
indivíduo;
\u2756 Objetivo: Identificar as necessidades, os
problemas, as preocupações e as reações
humanas desse cliente;
7
INVESTIGAÇÃO
\u2756 TIPOS DE DADOS:
1. Diretos: Aqueles coletados diretamente com o
paciente, por meio da anamnese e do exame físico;
2. Indiretos: Aqueles obtidos por outras fontes como,
por exemplo, família e amigos, prontuários de saúde,
registros de outros profissionais, resultados de
exames laboratoriais, entre outras fontes.
3. Objetivos: O que é observável e mensurável
4. Subjetivos: Aquilo que apenas o paciente sente e
pode descrever;
8
INVESTIGAÇÃO
9
OBJETIVOS
\u2022Peso
\u2022Altura
\u2022 Temperatura
\u2022Sangramento
\u2022Cor da pele
SUBJETIVOS
\u2022Dor
\u2022Náusea
\u2022Depressão
\u2022Fadiga
\u2022Ansiedade
\u2022Solidão
INVESTIGAÇÃO
\u2756 FASES:
\u25aa Coleta de dados (dados diretos e indiretos);
\u25aa Identificação de indícios (dados anormais) e realização
de inferências (conclusões iniciais;
\u25aa Validação dos dados (dados objetivos, subjetivos);
\u25aa Agrupamento dos dados relacionados;
\u25aa Identificação de padrões (Ex: Perda de peso
acentuada x hábitos alimentares insatisfatórios);
\u25aa Comunicação e registro dos dados;
10
- Coleta de dados
- Identificação de indícios e realização de inferências 
- Validação dos dados 
- Agrupamento dos dados relacionados
- Identificação de padrões 
- Comunicação e registro dos dados;
RACIOCÍNIO CLÍNICO
(análise, síntese, reflexão, conclusão)
DIAGNÓSTICO
11
INVESTIGAÇÃO
12
Visão geral do conteúdo e dos métodos de levantamento. Fonte: WILKINSON, 2010.
13
DIAGNÓSTICO DE 
ENFERMAGEM
DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM
\u2756 Definição: Julgamento clínico a respeito de
respostas de indivíduos, famílias ou comunidades
a problemas de saúde ou processos vitais reais
ou potenciais (NANDA International, 2018).
\u2756 Classifica os problemas de saúde no domínio
da enfermagem;
\u2756 Fornecem a base para seleção de intervenções
de enfermagem para a obtenção de resultados
pelos quais o enfermeiro é responsável;
14
TAXONOMIA II: Sistema de nomear e 
organizar coisas em grupos que compartilham 
qualidades similares;
7 eixos
13 Domínios 
47 classes 
244 diagnósticos de enfermagem
NANDA \u2013 I, PÁG. 96-97
NANDA \u2013 I, PÁG. 97-104
Eixos que devem ser considerados no processo 
diagnóstico
16
Eixo 1
\u2022 Foco do Diagnóstico
Eixo 2
\u2022 Sujeito do diagnóstico (Indivíduo, Família, Grupo, etc.) 
Eixo 3
\u2022 Julgamento (ineficaz, prejudicado, etc)
Eixo 4
\u2022 Localização (partes/regiões do corpo e funções)
Eixo 5
\u2022 Idade (do lactente ao idoso)
Eixo 6
\u2022 Tempo (agudo, crônico, intermitente)
Eixo 7
\u2022 Categoria do diagnóstico (com foco no problema, de risco, 
de promoção da saúde)
EIXOS
Domínios em que são distribuídos os 
Diagnósticos de Enfermagem da NANDA - I
Domínio 1 Promoção da Saúde
Domínio 2 Nutrição
Domínio 3 Eliminação e troca
Domínio 4 Atividade/repouso
Domínio 5 Percepção/cognição
Domínio 6 Autopercepção
Domínio 7 Papéis e relacionamento
Domínio 8 Sexualidade
Domínio 9 Enfrentamento/tolerância ao estresse
Domínio 10 Princípios de vida
Domínio 11 Segurança/proteção
Domínio 12 Conforto
Domínio 13 Crescimento/desenvolvimento
18
19
1 2 3 4 5 6
20
7 8 9 10 11 12 13 
RESUMINDO
21
DOMÍNIO
CLASSE
DIAGNÓSTICO
\u25aa [diagnóstico de enfermagem] relacionado a 
[causas/fatores relacionados] evidenciado 
por/caracterizado por [sintomas/característica 
definidoras]
\u25aa EXEMPLO: tensão do papel de cuidador relacionado 
a responsabilidades de cuidados 24 horas por dia, 
complexidade das atividades de cuidado evidenciado 
por/caracterizado por dificuldade para realizar as 
atividades necessárias, preocupação com a rotina dos 
cuidados.
COMPONENTES ESTRUTURAIS DO 
DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
NANDA \u2013 I, PÁG. 40
Termos-chave
TERMO DESCRIÇÃO BREVE
Diagnóstico de Enfermagem Problema, potencialmente ou risco 
identificado em indivíduo, família, grupo ou 
comunidade
Característica definidora Sinal ou sintoma (indicadores objetivos ou 
subjetivos)
Fator relacionado Causas ou fatores contribuintes (fatores 
etiológicos)
Fator de Risco Determinante (aumenta o risco)
População em risco* Grupos de pessoas que partilham alguma 
característica que faz cada membro ser 
suscetível a determinada resposta humana. 
Essas características não são modificáveis 
pelo enfermeiro.
Condição Associada* Diagnósticos médicos, lesões, procedimentos, 
dispositivos médicos ou agentes 
farmacêuticos
LEGENDA: * são novidades nos DE 
23
COMPONENTES ESTRUTURAIS DO 
DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
\u2756 Enunciado diagnóstico: descrição concisa do
problema (Diz o que é);
\u2756 Inclui a reação da pessoa avaliada durante a
primeira etapa do PE e determina os resultados
esperados (prevenção, minimização ou alívio do
problema do paciente).
\u2756 Exemplo: Deglutição prejudicada relacionada a
problema de comportamento alimentar,
evidenciada por/caracterizado por dificuldade
para deglutir.
24NANDA \u2013 I, PÁG. 38
COMPONENTES ESTRUTURAIS DO 
DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
\u2756 Fatores relacionados: Constituem a etiologia do
problema; podem ser de natureza fisiológica,
psicológica, sociocultural, ambiental e espiritual.
\u2756 Podem ser descritas como \u201crelacionados a\u201d ou
\u201cassociado a\u201d.
\u2756 Ex: Deglutição prejudicada relacionada a
problema de comportamento alimentar,
evidenciada por/caracterizado por dificuldade
para deglutir.
25
COMPONENTES ESTRUTURAIS DO 
DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
\u2756 Característica Definidoras: agrupamento de
sinais e sintomas (manifestações clínica)
comumente associados ao diagnóstico.
\u2756 Podem ser descritas como \u201cevidenciadas por\u201d
ou \u201ccaracterizado por\u201d.
\u2756 Ex: Deglutição prejudicada relacionada a
problema de comportamento alimentar,
evidenciada por/caracterizado por dificuldade
para deglutir.
26
Exemplos
\u27a2 Integridade tissular prejudicada relacionada a
estado nutricional desequilibrado,
evidenciada por tecido destruído.
\u27a2 Síndrome do idoso frágil relacionada a
problema de comportamento alimentar,
evidenciada por/caracterizado por dificuldade
para deglutir.
27
COMPONENTES ESTRUTURAIS DO 
DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
\u2756 Fatores de risco: fatores ambientais e elementos
fisiológicos, psicológicos, genéticos ou químicos
que aumentam a vulnerabilidade de um indivíduo,