A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
33 pág.
AULA 2 - PSICOLOGIA COMUNITÁRIA - RELAÇOES COMUNITÁRIAS

Pré-visualização | Página 1 de 3

PSICOLOGIA COMUNITÁRIA
AULA 2
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
O que é relação?
É comunicação ?
É união ?
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
Filosofia – relação – é uma ordenação intrínseca de uma coisa em direção a outra.
Relação é um conceito que se aplica a uma realidade que não pode ser ela mesma, sem que haja uma outra coisa, que fica sendo parte essencial dessa relação.
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
Maria é uma pessoa = um ser
Maria é mãe – implica numa relação
Maria é uma pessoa
Mãe implica em três pessoas
Então, relação se aplica a uma realidade que não pode ser ela mesma , sem que haja uma outra coisa.
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
Relação é algo que une ?
Relação é algo que liga as pessoas ?
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
E o conflito ?
E a exclusão ? 
Não são relações ?
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
Conflito e exclusão são relações
Ninguém pode brigar sozinho
Na exclusão , há alguém que exclui e alguém que é excluído.
Percepção da relação é dialética; algumas coisas necessitam de outras para serem elas mesmas.
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
Como as pessoas se definem ?
Como as pessoas se veem a elas mesmas ?
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
Alguns que se veem e veem os outros como indivíduos.
Indivíduos são entidades que não tem nada a ver com os outros, isolados e suficientes em si mesmos . Entidade como individualidade, ser, é aquilo que constitui a essência de algo.
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
Outros entendem o ser humano como uma máquina, parte de um todo.
O todo seria o Estado, a instituição.
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
Há os que veem os demais e se consideram como pessoas.
Seres que em si mesmos implicam outros = relação
Seres que ao se definirem incluem outras pessoas.
Não se explicam e nem se definem a partir deles e neles.
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
O que seria um grupo ?
O que constitui essencial em um grupo ? É o número de pessoas ?Tipo de pessoas ? O sexo ? A cor ? A etnia? A religião ? A distância ? O contato físico ?
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
O que constitui um grupo é a existência ou não de relações.
Se não há relações entre as pessoas não se pode falar de grupo.
Elas tem de ter algo em comum (relação que perpassa todas as pessoas)
Relações de vários tipos :
Fluidas (baseadas apenas em um aspecto) – ser brasileiro, ser homem...
De grande coesão – o que atinge um membro do grupo atingirá a todos ou todos se sentirão atingidos
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
Para mudar ou transformar um grupo – comece a transformar as relações.
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
CONCEITO DE GRUPO A PARTIR DE RELAÇÃO 
Enfoque dinâmico
Relação vem da palavra relativo
Relativo – incompleto, em construção em transformação
Não se pode saber tudo sobre um grupo.
Relações são dinâmicas e mutáveis, podendo mudar o grupo a qualquer momento.
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
CONCEITO DE GRUPO A PARTIR DE RELAÇÃO
Visão de grupo estática – o grupo tem estratificações; as pessoas possuem posições e desempenham papéis em função destas.
Possibilidade de mudança diminuída , a partir desta visão.
Qual a forma mais adequada para se compreender um grupo , de forma mais completa ? 
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
MASSA OU MULTIDÃO E PÚBLICO
Massa ou multidão – pessoas que estão em um mesmo local e não chegam, em geral, a se conhecer. Por exemplo, pessoas que vão aos estádios de futebol.
As relações entre as pessoas, praticamente, inexistem. São estabelecidas a partir de um chefe, um dirigente.
Chefe ou dirigente pode usar a emoção e o calor do contato físico entre as pessoas para manipular a multidão e levá-las a fazer coisas que um grupo que reflete não faria.
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
MASSA OU MULTIDÃO E PÚBLICO
Multidões – são sempre perigosas
Multidões para Le Bon (1895) – no contágio das multidões as pessoas liberam o id e se guiam pelas emoções. A certeza da impunidade aumenta a irresponsabilidade. 
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
MASSA OU MULTIDÃO E PÚBLICO
Público – são multidões , mas sem proximidade física. Estão espalhados por milhares de locais.
Não se conhecem e nem se relacionam.
Estabelecem relações unidirecionais, de mão única, sem possibilidade de retorno.
Por exemplo, os meios de comunicação que apresentam grande possibilidade de manipulação e condicionamento de pessoas.
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
RELAÇÕES
Vários tipos diferentes
Exigência – sempre implica outros. Para detectar relações – instrumentos de pesquisa – entrevistas, questionários, pesquisa participante, entre outros.
Relações podem ser diferentes, contraditórias, dependendo do momento.
Impossível quantificar as relações: mais ou menos intensas, mais ou menos gerais, mais ou menos fixas...
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
DISTINÇÃO ENTRE PODER E DOMINAÇÃO
Poder – capacidade de uma pessoa, de um grupo , para executar uma ação qualquer ou para desempenhar qualquer prática. Todas as pessoas têm poder.
Dominação – é definida como uma relação entre as pessoas, entre grupos, ou entre pessoas e grupos, onde uma parte se apropria do poder (capacidade) dos outros.
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
DOMINAÇÃO
É uma relação onde alguém, com o pretexto do outro possuir alguma qualidade ou característica se apropria de seus poderes e passa a trata-lo de maneira desigual.
É uma relação assimétrica, desigual e injusta.
Todos tem poder até mesmo os que não exercem ou não ocupam posições de poder. 
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
ORIGEM DA DOMINAÇÃO
Ideologia – uso ou emprego de formas simbólicas para criar, sustentar e reproduzir certos tipos de relações.
É o que dá sentido e significado às coisas. 
Pode criar e sustentar relações justas e éticas , como também relações assimétricas, desiguais e injustas.
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
ORIGEM DA DOMINAÇÃO
Ideologia – cria significados, sentidos e definições de realidades que podem ter valor positivo ou negativo.
Vão sendo criados juízos de valor, discriminações, estereótipos e preconceitos.
Estereótipos negativos criam e sustentam relações de dominação.
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
FORMAS DE DOMINAÇÃO
Econômica – é a forma mais geral, acontece quando alguém rouba, expropria a capacidade de trabalho de outra pessoa.
Política – é o conjunto de relações que são estabelecidas entre o Estado, o governo e os cidadãos. Existe dominação política quando as relações entre pessoas e grupos, entre grupos ou entre pessoas, grupos, governo e Estado não forem justas, democráticas e desrespeitosas aos direitos dos sujeitos.
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
FORMAS DE DOMINAÇÃO
Cultural – mais difícil de detectar – conjunto de relações entre pessoas ou grupos que se sedimentaram, se cristalizaram e passam a ser pensadas e tratadas como se fizessem parte da natureza das pessoas e das coisas. Muitas vezes, as relações são assimétricas e desiguais. Exemplos:
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
FORMAS DE DOMINAÇÃO
Cultural 
- Racismo – criação de estereótipos e discriminação em relação a um grupo racial.
Patriarcalismo – relações de assimetria nas relações de gênero.
Institucionalismo – colocar uma instituição como única verdadeira ou mais importante do que as outras, por exemplo determinada religião.
Profissional – um determinado tipo de profissão ser colocado como o melhor ou mais importante
RELAÇÕES COMUNITÁRIAS 
RELAÇÕES DE DOMINAÇÃO
O QUE É COMUNIDADE ?
Tönies (sociólogo alemão) 
Comunidade – é uma associação ligada ao ser; participação dos membros no grupo , onde são colocadas em comum relações primárias como : o próprio ser, a vida, o conhecimento mútuo, a amizade, os sentimentos. Participação