O Marido Perfeito   Kimberly Belle
234 pág.

O Marido Perfeito Kimberly Belle


DisciplinaLivro de Auto Ajuda803 materiais265 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Diretora
Rosely	Boschini
Única	é	um	selo	da	Editora	Gente
Copyright	©	2017	by	Kimberle	Swaak-Maleski
Título	orig inal:	The	marriage	lie
Publicado	mediante	acordo	com	a	MIRA	Books
Todos	os	direitos	reservados	à	Editora	Gente.
Rua	Wisard,	305	\u2014	sala	53,
São	Paulo,	SP	\u2013	CEP	05434-080
Telefone:	(11)	3670-3900
Site:	www.editorag ente.com.br
E-mail:	g ente@editorag ente.com.br
Gerente	Editorial
Carolina	Rocha
Assistente	Editorial
Natália	Mori	Marques
Controle	de	Produção
Fábio	Esteves
Tradução
Amanda	Moura
Preparação
Fabiana	Medina
Capa
Thiago	de	Barros
Projeto	gráfico	e	Diagramação
Balão	Editorial
Revisão
Renata	Lopes	Del	Nero
Desenvolvimento	de	eBook
Loope	\u2013	design	e	publicações	dig itais
www.loope.com.br
Dados	Internacionais	de	Catálogo	na	Publicação	(CIP)
Angélica	Ilacqua	CRB-8/7057
Belle,	Kimberly
O	marido	perfeito:	todo	mundo	tem	um	seg redo...	até	as	pessoas	que	você	mais	ama/Kimberly	Belle;	tradução	de	Amanda	Moura.	\u2013
São	Paulo:	Única,	2018.
ISBN	9788594900302
Título	orig inal:	The	marriag e	lie
1.	Literatura	norte-americana	I.	Título	II.	Moura,	Amanda
17-1800 CDD-813
Índices	para	catálogo	sistemático:
1.	Literatura	norte-americana	813
Dedico	a	Kristy	Barrett,	
uma	pessoa	linda,	
por	dentro	e	por	fora.
Iris	e	Will	vivem	o	casamento	perfeito.	Felizes	e	apaixonados,	os	dois	são	a	pessoa	favorita	um	do
outro.
Mas	algo	não	está	certo.	O	que	parecia	um	evento	totalmente	sem	ligação	com	a	vida	dos	dois	\u2013	um
acidente	de	avião	rumo	a	Seattle	\u2013	se	torna	o	pior	pesadelo	de	Iris.
Para	acompanhar	essa	trama	repleta	de	reviravoltas,	nada	melhor	do	que	músicas	envolventes
escolhidas	a	dedo.	Pode	deixar,	nós	fizemos	isso	por	você!
É	só	acessar:
http://bit.ly/playlist_o-marido-perfeito
Sumário
Introdução
Capítulo	1
Capítulo	2
Capítulo	3
Capítulo	4
Capítulo	5
Capítulo	6
Capítulo	7
Capítulo	8
Capítulo	9
Capítulo	10
Capítulo	11
Capítulo	12
Capítulo	13
Capítulo	14
Capítulo	15
Capítulo	16
Capítulo	17
Capítulo	18
Capítulo	19
Capítulo	20
Capítulo	21
Capítulo	22
Capítulo	23
Capítulo	24
Capítulo	25
Capítulo	26
Capítulo	27
Capítulo	28
Capítulo	29
Capítulo	30
Capítulo	31
Capítulo	32
A cordo	 com	 sua	 mão	 envolvendo	 minha	 cintura,	 me	 puxando	 para	 perto	 da	 pele	 quente,adormecida.	Suspiro	e	me	aconchego	no	corpo	do	meu	marido,	apoiando	as	costas	no	tóraxdele,	mergulhando	no	calor	dessa	pele.	Will	fica	quente	feito	uma	fornalha	quando	dorme,	ao
contrário	de	mim:	tem	sempre	alguma	parte	fria	no	meu	corpo.	Hoje	são	os	pés,	por	isso	eu	os	enfio
por	entre	suas	panturrilhas	quentinhas.
\u2013	Que	pé	gelado!	\u2013	Will	exclama	em	meio	à	escuridão	do	quarto,	e	a	voz	dele	ressoa	por	todo	o
meu	corpo.	Do	outro	lado	da	cortina,	ainda	não	amanheceu	totalmente,	um	tom	violeta	que	separa
o	dia	da	noite	cobre	o	céu.	Ainda	falta	mais	ou	menos	meia	hora	para	o	alarme	tocar.	\u2013	Dormiu	com
os	pés	descobertos,	pra	fora	da	cama?
Falta	pouco	para	o	mês	de	abril,	mesmo	assim,	o	frio	de	março	ainda	não	deu	a	menor	trégua.
Nos	 últimos	 três	 dias,	 o	 tempo	 tem	 se	mantido	 cinzento,	 chuvoso,	 e	 as	 tempestades	 e	 o	 vento
gelado	fizeram	a	temperatura	despencar	mais	do	que	de	costume.	Os	meteorologistas	preveem	pelo
menos	mais	uma	semana	de	mau	tempo.	Will	é	a	única	alma	viva	de	Atlanta	que	recebe	o	frio	de
janelas	(e	braços)	abertos	\u2013	é	como	se	houvesse	um	termostato	em	temperatura	escaldante	dentro
dele.
\u2013	É	porque	você	insiste	em	dormir	dentro	de	um	iglu.	Acho	que	todos	os	meus	dedos	congelaram.
\u2013	Vem	cá.	\u2013	Os	dedos	dele	deslizam	pela	lateral	do	meu	corpo,	e	a	mão	me	puxa	para	ainda	mais
perto.	\u2013	Vamos	te	esquentar,	então.
E	assim	ficamos,	deitados,	em	um	silêncio	aconchegante.	O	braço	dele	aperta	minha	cintura,	e	o
queixo	se	apoia	no	meu	ombro.	Will	está	molhado	e	pegajoso	de	tanto	suar	à	noite,	mas	não	me
importo.	 Esse	 é	meu	momento	 favorito,	 quando	nosso	 coração	 e	 respiração	 estão	 em	 sincronia.
Gosto	de	momentos	assim,	tão	íntimos	quanto	fazer	amor.
\u2013	Você	é	minha	pessoa	favorita	no	mundo	\u2013	murmura	no	meu	ouvido,	provocando-me	um	sorriso.
Escolhemos	essas	palavras	em	vez	do	tradicional	\u201ceu	te	amo\u201d,	e,	para	mim,	elas	significam	muito.
Toda	vez	que	essa	frase	sai	da	boca	de	Will	me	atinge	feito	uma	promessa,	é	como	se	ele	dissesse:
\u201cvocê	é	tudo	pra	mim	e	sempre	será\u201d.
\u2013	Você	também	é	minha	pessoa	favorita	no	mundo.
Minhas	amigas	asseguram	que	esse	mel	todo	não	vai	durar	para	sempre,	essa	atração	que	sinto
pelo	meu	marido.	Elas	dizem	que,	muito	em	breve,	a	convivência	vai	pôr	um	fim	em	todo	esse	fogo	e
que,	de	repente,	vou	começar	a	me	 interessar	por	outros	homens.	E	que	vou	passar	blush	e	gloss
para	 chamar	 a	 atenção	 de	 algum	 estranho	 por	 aí,	 outro	 homem	 que	 não	 seja	 o	Will,	 e	 que	 vou
imaginá-lo	tocando	partes	do	meu	corpo	que	só	ele	pode	tocar.	É	a	tal	\u201ccomichão\u201d	dos	setes	anos,
como	elas	mesmas	dizem,	mas	eu	não	consigo	sequer	imaginar	uma	coisa	dessas,	porque	hoje	\u2013	sete
anos	e	um	dia	de	casamento	\u2013	Will	está	aqui	acariciando	a	minha	pele;	e	a	única	comichão	que	posso
sentir	é	por	ele.
Fecho	os	olhos,	e	as	pálpebras	dançam	de	um	lado	para	o	outro	com	o	toque	dele.	E	essa	comichão
que	estou	sentindo	mostra	que	provavelmente	vou	me	atrasar	para	o	trabalho.
\u2013	Iris?	\u2013	sussurra	ele.
\u2013	Hmm?
\u2013	Esqueci	de	trocar	o	filtro	do	ar-condicionado.
Abro	os	olhos.
\u2013	O	quê?
\u2013	Esqueci	de	trocar	o	filtro	do	ar-condicionado.
Dou	risada.
\u2013	Foi	o	que	imaginei.	\u2013	Will	é	cientista	da	computação	com	forte	tendência	ao	distúrbio	de	déficit
de	atenção.	Tem	tanta	informação	em	seu	cérebro	que	ele	acaba	se	esquecendo	de	coisas	pequenas...
o	que	não	ocorre	durante	o	sexo,	geralmente.	Acho	que	esse	esquecimento	de	agora	se	deve	ao	fato
de	Will	estar	 trabalhando	demais,	o	que	não	é	muito	comum,	somado	ao	 fato	de	que	ele	está	de
malas	prontas	para	passar	três	dias	em	um	congresso	na	Flórida.	Não	é	de	se	estranhar	que	sua	lista
de	tarefas	esteja	maior	do	que	de	costume.	\u2013	Deixe	pra	fazer	isso	no	fim	de	semana,	depois	que	você
voltar.
\u2013	Mas	e	se	esquentar	até	lá?
\u2013	 Não	 é	 o	 que	 diz	 a	 previsão	 do	 tempo.	 E,	 mesmo	 que	 esquente,	 com	 certeza	 o	 filtro	 do	 ar-
condicionado	aguenta	mais	alguns	dias.
\u2013	E	acho	que	está	na	hora	de	trocar	o	óleo	do	seu	carro.	Quando	foi	a	última	vez	que	fez	isso?
\u2013	Sei	lá.
Meu	marido	e	eu	nos	organizamos	e	dividimos	as	tarefas	domésticas	de	acordo	com	os	papéis
sociais	 tradicionalmente	 associados	 a	 cada	 gênero;	 a	 manutenção	 dos	 carros	 e	 da	 casa	 são
responsabilidade	 dele,	 já	 a	 comida	 e	 a	 limpeza	 são	 atribuições	 minhas.	 Nenhum	 dos	 dois	 se
incomoda	com	essa	divisão.	Sei	que,	na	 faculdade,	aprendi	a	 ser	 feminista,	mas	o	 casamento	me
ensinou	a	ser	prática.	Preparar	lasanha	é	muito	mais	prazeroso	do	que	limpar	calhas.
\u2013	Pode	verificar	os	recibos	de	manutenção	pra	termos	certeza?	Estão	no	porta-luvas.
\u2013	Tudo	bem.	Mas	por	que	essa	pressa	toda	agora?	Já	está	de	saco	cheio	de	mim?
Reconheço	 de	 longe	 o	 sorriso	 do	 meu	 marido,	 mesmo	 quando	 ele	 está	 assim,	 atrás	 de	 mim,
sorrindo	na	minha	nuca.
\u2013	Talvez	seja	isso	que	os	livros	sobre	gravidez	chamam	de	\u201cinstinto	de	nidificação\u201d.
Uma	sensação	de	alegria	invade	o	meu	peito	quando	me	lembro	do	que	estamos	fazendo	\u2013	ou	do
que,	talvez,	já	tenhamos	feito	\u2013,	e	eu	me	viro	para	olhar	Will	de	frente.
\u2013	Não	posso	ter	engravidado.	Faz	menos	de	vinte	e	quatro	horas	que	nossas	tentativas	oficiais
começaram.
Uma	 vez	 ontem,	 à	 noite,	 antes	 do	 jantar,	 e	 duas	 depois.	 Talvez	 tenhamos	 exagerado	 nessa
primeira	rodada	oficial	do	projeto	\u201cvamos	ter	um	bebê\u201d,	mas	há	uma	boa	justificativa:	ontem	foi
nosso	aniversário	de	casamento,	e	Will	é	o	tipo	de	pessoa	cujo	desempenho	sempre	supera	todas	as
expectativas.
Os	olhos	dele	brilham,	satisfeitos.	Se	houvesse	um	espacinho	aqui	entre	nós	dois,	provavelmente
Will	bateria	no	próprio	peito.
\u2013	Tenho	certeza	de	que	meus