A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
24 pág.
Saúde e Meio Ambiente

Pré-visualização | Página 1 de 5

Saúde e Meio 
Ambiente
Meio Ambiente, Saúde e Sustentabilidade
Material Teórico
Responsável pelo Conteúdo:
Profa. Ms. Nilza Maria Coradi. 
Revisão Textual:
Prof. Ms. Claudio Brites. 
5
• Introdução
• Poluição das Águas e Saneamento
• Contaminação dos Solos
Nesta unidade, serão abordados as fontes e os tipos mais comuns de poluição nas águas, 
no solo e no ar, destacando as características e propriedades dos principais contaminantes. 
Estudaremos os aspectos gerais relacionados ao transporte, à reatividade e aos processos 
que os poluentes sofrem, e suas consequências na saúde da população.
Para o profissional que trabalha na gestão do meio ambiente é importante conhecer as 
principais fontes de poluição a que estamos submetidos e como isso afeta o meio ambiente 
e a saúde. 
É fundamental que fique claro que os profissionais da área de saúde e meio ambiente devem 
unir esforços para manter um ambiente saudável, de modo que todos os elementos interajam 
de forma equilibrada e harmoniosa.
 · Nesta unidade, serão abordados as fontes e os tipos mais 
comuns de poluição nas águas, no solo e no ar, destacando as 
características e propriedades dos principais contaminantes. 
Estudaremos os aspectos gerais relacionados ao transporte, à 
reatividade e aos processos que os poluentes sofrem, e suas 
consequências na saúde da população.
Meio Ambiente, Saúde e Sustentabilidade
• Poluição Atmosférica – Qualidade do Ar
6
Unidade: Meio Ambiente, Saúde e Sustentabilidade
Contextualização
Para termos um desenvolvimento sustentável, devemos equilibrar as atividades antrópicas 
suas modificações ambientais e os impactos causados que podem comprometer negativamente a 
qualidade de vida presente e futura. Com isso bem claro, podemos propor mudanças no padrão 
de consumo com uma maior eficiência no sistema de produção, otimização dos recursos naturais 
e minimização da geração de rejeitos. Como resultado, teremos uma redução na quantidade de 
poluentes lançados no meio, melhoria da qualidade de vida e da saúde da população.
Um planejamento ambiental urbano adequado pode trazer um uso mais eficiente da energia, 
com um sistema de transporte urbano que estimule a redução de viagens, transportes de cargas 
menos poluentes, reduzindo assim a poluição atmosférica.
É necessário que os recursos hídricos sejam utilizados de forma mais consciente, no sentido 
de preservar os recursos ainda disponíveis e tratar as águas residuárias, promovendo mais saúde 
para a população.
Da mesma maneira a utilização de pesticidas deve ser controlado e medidas mitigadoras 
adotadas para minimizar os efeitos na saúde.
Para tanto, o profissional de meio ambiente precisa ter uma formação abrangente e conseguir 
gerir uma equipe multidisciplinar, desta forma os resultados serão com certeza mais eficientes, 
tanto na preservação dos recursos naturais, na melhor maneira de utilizá-los, como melhorando 
a saúde e a qualidade de vida da população.
7
Introdução
Nesta unidade, serão abordados as principais fontes e tipos de poluição nas águas, solo 
e ar, destacando as características e propriedades dos principais contaminantes. Estudaremos 
os aspectos gerais relacionados ao transporte, à reatividade e aos processos que os poluentes 
sofrem e suas consequências na saúde da população. Para o profissional que trabalha na 
gestão do meio ambiente é importante conhecer as principais fontes de poluição a que estamos 
submetidos e como isso afeta o meio ambiente e a saúde. É fundamental que fique claro que os 
profissionais da área de saúde e meio ambiente devem unir esforços para manter um ambiente 
saudável, de modo que todos os elementos interajam de forma equilibrada e em harmonia.
As modificações nos padrões de consumo em escala global bem como o que seus impactos 
alcançaram no último século foram aspectos determinantes para as alterações dos espaços 
naturais. Houve um grande pico na taxa de consumo de recursos naturais associado ao processo 
de urbanização com o aumento dos índices de poluição urbana, levando a grandes modificações 
ambientais, reduzindo a camada de ozônio, aumentando o efeito estufa e diminuindo a 
biodiversidade, entre outros resultados.
As alterações ambientais decorrentes do processo antrópico de ocupação dos espaços e de 
urbanização ocorrem em escalas incompatíveis com a capacidade de suporte dos ecossistemas 
naturais, resultando em esgotamento dos recursos e em poluição. Diversos estudos mostram que 
essas alterações levaram à poluição do meio ambiente físico, aumentando o risco de exposição 
a doenças e atuando de forma negativa na qualidade de vida da população.
Poluição das Águas e Saneamento
A água é a substância mais abundante do planeta e é o elemento mais importante para 
a sobrevivência da espécie humana e de toda a vida na terra. A água é um recurso natural 
essencial, tanto como componente nos seres vivos, meio de vida de várias espécies vegetais 
e animais, quanto como elemento de produção de bens de consumo e produtos agrícolas. A 
água é o constituinte inorgânico mais abundante na matéria viva. No homem, representa 60% 
do seu peso. Como fator de consumo nas atividades humanas, a água também tem um papel 
importante, tanto na agricultura, indústria, quanto no uso doméstico. 
Em termos globais, as fontes de água são abundantes, no entanto, quase sempre são mal 
distribuídas na superfície da terra. Mesmo no Brasil, que possui a maior disponibilidade hídrica 
do planeta, os recursos hídricos estão localizados em sua maior parte na região norte (68,5%), 
onde habita apenas 7% da população; na região sudeste, que possui 43% da população 
brasileira, há apenas 6% dos recursos hídricos. 
As águas dos oceanos e lagos salgados correspondem a 98% e são indisponíveis para 
diversos tipos de usos. Da água doce restante (2%), cerca de 70% está na forma de gelo, na 
8
Unidade: Meio Ambiente, Saúde e Sustentabilidade
atmosfera e em águas subterrâneas, a maior parte em grandes profundidades – isso significa 
que a quantidade de água doce que de alguma forma pode estar disponível para o uso é de 
0,3%, e se encontra no solo. A parcela disponível nos cursos de água é a menor, é de onde 
retiramos a maior parte que consumimos, para uso nas mais diversas finalidades – e onde 
lançamos nossos resíduos. 
Nos últimos 50 anos, com o crescimento populacional, ocorreu um aumento da produção 
industrial e agrícola por conta da fabricação e utilização de compostos químicos sintéticos 
(inseticidas, herbicidas, plásticos, etc.). Os resíduos gerados por esses compostos chegam aos 
recursos hídricos alterando a qualidade da água. O conhecimento e a compreensão das fontes 
de poluição, interações e efeitos dos poluentes são essenciais para o controle e para a obtenção 
de um ambiente saudável e economicamente sustentável.
A água potável e de boa qualidade é fundamental para a saúde dos seres humanos, entretanto, 
a maioria da população não tem acesso a esse bem tão precioso.
Apesar de ser tão importante para os seres humanos, a água é também um dos meios mais 
comuns de transmissão de doenças. Se a água utilizada não apresentar a qualidade necessária, 
os organismos que a consumirem serão infectados e alvos de inúmeras doenças. O quadro 1.1 
apresenta algumas doenças infecciosas de veiculação hídrica.
Muitas doenças são transmitidas pela água e podem ser evitadas com um tratamento 
adequado dessa água antes do seu uso. As estações de tratamento se utilizam de vários recursos 
como a decantação, filtração, cloração, a fim de eliminar os microrganismos causadores das 
mais diversas enfermidades.
 
Principais Doenças causadas pela Ingestão de Água Contaminada
Doenças Agente Causador Sintomas
Cólera Víbrio Cholera 01
Diarreia abundante, vômitos ocasionais, rápida desidratação, acidose, 
câimbras musculares e colapso respiratório.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.