A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
311 pág.
História

Pré-visualização | Página 43 de 50

Gerais.
Sobre os motivos que justificam as colocações do texto acima podemos apontar,
I. a dependência de Portugal à economia inglesa, consolidada pela assinatura do Trata-
do de Methuen em 1703;
II. os mecanismos do Sistema Colonial que permitiam o livre comércio com as nações
européias;
III. a necessidade de Portugal de se utilizar das riquezas geradas pelo ouro, no processo
de industrialização do país;
IV. a necessidade de Portugal pagar suas dividas à Inglaterra que o abastecia de produtos
manufaturados.
As alternativas corretas são:
a) III e IV b) I e II c) II e III d) I e IV
27. Unifor-CE Nas últimas décadas do século XVIII a agricultura brasileira readquiriu im-
portância. O mercado externo estimulou temporariamente a produção de certos gêneros
agrícolas. O novo surto agrícola contribuiu para:
a) que o anil, produzido na região do Rio de Janeiro, dominasse sem concorrência, o mercado;
b) a diminuição na produção do algodão norte-americano, acarretando a queda nos preços;
c) a substituição do algodão pela lã nos tecidos de maior aceitação no mercado mundial;
d) as Companhias de Comércio do Grão-Pará e Maranhão, de Pernambuco, da Paraíba
financiarem os plantadores de algodão;
e) que o grande progresso técnico alcançado melhorasse a seleção das melhores varieda-
des vegetais.
28. UFRN A colonização da América repercutiu na economia européia, na Idade Moderna.
Acerca disso, é correto afirmar que o(a):
a) enriquecimento decorrente dos metais preciosos americanos fez surgir a Arte Renas-
centista, que se espalhou pela Europa;
b) produção de ouro e prata americanos criou um lastro para as moedas européias, pondo
fim à inflação;
c) manutenção da balança comercial favorável às metrópoles propiciou a acumulação de
capitais na Europa;
d) conhecimento de técnicas agrícolas legado pelos Impérios Inca e Asteca possibilitou
o desenvolvimento econômico europeu.
HISTÓRIA - A segunda etapa do período colonial
IM
PR
IM
IR
Voltar
GA
BA
RI
TO
Avançar
10
29. U.E. Maringá-PR A incerta linha de Tordesilhas foi suplantada pela expansão das bandeiras
paulistas, pelos criadores de gado, pelas forças militares e pela mineração. A partir do século
XVIII a configuração territorial do Brasil passou a se aproximar bastante da atual, com exceção
das fronteiras do Sul. Sobre as questões territoriais no sul do Brasil, assinale o que for correto.
01. No século XVIII, Portugal e Espanha disputaram os territórios das Sete Missões,
ocupados por índios e jesuítas, e a Colônia do Sacramento, fundada no Rio da Prata,
hoje território uruguaio.
02. A Colônia do Sacramento, base estratégica para o contrabando da prata oriunda da Bolívia
e do Peru, foi incorporada ao Brasil em 1821, com a denominação Província Cisplatina.
04. A Província Cisplatina jamais se integrou ao Brasil em virtude da origem espanhola
de seus habitantes e os conflitos de interesses na região do Prata.
08. Em 1827, a Província Cisplatina tornou-se a República do Uruguai. Duas forças políticas
disputavam o poder: o Partido Blanco, dos pecuaristas, que se apoiava na Argentina, e o
Partido dos Colorados, dos comerciantes de Montevidéu, que era simpático ao Brasil.
16. A Inglaterra, favorável à formação de uma grande república no Rio da Prata, colo-
cou-se sempre contra a intervenção do Brasil nessa região.
Dê, como resposta, a soma das alternativas corretas.
30. UFRS O mapa apresenta a demarcação dos limites territoriais do Rio Grande do Sul na
época colonial.
Com base nos dados do mapa e levando em conta o processo histórico platino, analise as
afirmações abaixo.
I. Pelo Tratado de Madrid (1750), as Coroas ibéricas tentaram efetuar a troca da região
missioneira pela Colônia de Sacramento, o que acabou não acontecendo devido à
eclosão da Guerra Guaranítica.
II. Como decorrência do Tratado de Santo Ildefonso (1777), o Rio Grande do Sul colo-
nial passou a ter uma dimensão territorial maior do que o Rio Grande atual.
III. A região missioneira permaneceu sob controle hispânico depois de 1777, embora sob
administração laica, devido à expulsão dos jesuítas.
Quais estão corretas?
a) Apenas II. b) Apenas I e II c) Apenas I e III. d) Apenas II e III. e) I, II e III.
H. J. Reichel & Gutfreind, I. Fronteiras e guerras no Prata. São Paulo, Atual, 1995, p. 23.
31. Univali-SC No ano de 1789, dois acontecimentos importantes marcaram a História mun-
dial e a História do Brasil: a Revolução Francesa e a Inconfidência Mineira. Estabelecen-
do um relação entre este dois acontecimentos, podemos dizer que tiveram a mesma fonte
de inspiração, fato que justifica a necessidade de conhecer a nossa história no contexto
global. Sobre a Inconfidência Mineira assinale o item correto:
a) Ela foi inspirada nas camadas mais pobres da colônia, exploradas pela metrópole.
b) Inspirou-se nos princípios do socialismo utópico de Sant – Simon, bem como nos
ideais absolutistas defendidos pelos pensadores iluministas.
c) Ela inspirou-se no pensamento iluminista fortemente difundidos pela Europa, que
pregava idéias de liberdade, igualdade e fraternidade.
d) Ela aconteceu devido à forte expressão exercida pela metrópole exigindo a emancipa-
ção política do Brasil.
e) A vitória dos inconfidentes transformou a região das Minas Gerias numa República,
ainda que temporariamente.
HISTÓRIA - A segunda etapa do período colonial
IM
PR
IM
IR
Voltar
GA
BA
RI
TO
Avançar
11
32. Uniderp-MS
No contexto da segunda metade do século XVIII, no Brasil Colonial, a palavra Derrama
expressava:
a) a cobrança obrigatória dos impostos atrasados pela Coroa Portuguesa aos habitantes
da região das Minas Gerais;
b) o processo judicial que investigou a participação dos inconfidentes mineiros na cons-
piração que pretendia separar a Colônia do domínio português;
c) a perseguição religiosa aos cristãos-novos (judeus convertidos ao catolicismo) por
parte da Inquisição portuguesa;
d) a violenta repressão das autoridades portuguesas às revoltas nativistas, tais como a
Guerra dos Emboabas e a Revolta de Vila Rica;
e) a Abertura dos Portos brasileiros para o livre comércio com as chamadas nações ami-
gas, conforme determinou o Tratado de Methuen.
33. UnB-DF O Brasil colonial conheceu um forte e aberto conflito social entre os senhores de
terras e a classe mercantil, a classe que ascendia graças à atividade comercial. Nessa perspecti-
va, julgue os itens abaixo, relativos ao peso econômico e político dos senhores de terras, da nova
classe comercial, bem como de escravos e outros estratos sociais existentes no Brasil colonial.
Coloque (C) para as questões certas e (E) para as erradas.
( ) Embora a aquisição da terra exigisse grandes somas de recursos, a produção agrícola
no Brasil compensava os investimentos, pois os produtos, durante aquele período, ti-
nham preços sempre crescentes, devido à sua raridade para o consumidor europeu.
( ) A hostilidade mencionada acima diz respeito à penetração de mercadores france-
ses que se estabeleceram no Rio de Janeiro e monopolizaram o comércio de expor-
tação da produção açucareira.
( ) Em razão, principalmente, da inadequação de sua cultura, o grande contingente de
escravos de origem africana não tinha condições de atuar nas atividades econômi-
cas manufatureiras do Brasil colonial.
( ) A importância do segmento social médio no Brasil colonial explica-se pela alta
diversificação da economia e pela existência de um corpo político-burocrático es-
tabelecido na colônia.
34. U. Católica-DF
“Pretende Doroteu, o nosso Chefe,
mostrar um grande zelo nas cobranças
do imenso cabedal de todo o povo
aos cofres do Monarca está devendo;
envia bons soldados às Comarcas,
e manda-lhes que cobrem, ou que metam
a quantas não pagarem nas cadeias.
Entraram nas Comarcas os soldados,
E entraram a gemer os tristes povos (...);
Aquele que não tem cativo ou jóia