A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
METODOLOGIA DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Pré-visualização | Página 1 de 3

METODOLOGIA DA EDUCAÇÃO DE 
JOVENS E ADULTOS 
Seja bem-vindo 
Os professores responsáveis pela organização e seleção dos conteúdos desta disciplina são 
profissionais reconhecidos por seu mérito na área específica desse conhecimento e responsáveis 
pela seleção de fontes de pesquisas relevantes sobre os temas que formam as trilhas de 
aprendizagem, que norteará você na experiência de uma leitura guiada para sua aprendizagem. 
A boa notícia é que seguindo este roteiro de estudos, você encontra a informação necessária para 
que possa aprender os conteúdos e conseguir sucesso nessa disciplina. 
Não esqueça! O estudo guiado exige a auto responsabilidade do estudante pelo seu percurso de 
aprendizagem, mas você será acompanhado, permanente por professores e tutores para colaborar 
no seu percurso de aprendizagem. 
Apresentação da Disciplina 
 
UNIDADE 1: FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICO-CRÍTICA, METODOLÓGICA 
DO EJA 
 
SILVA, e. G. M. M.A; MOURA, de. A. A; MARTINS. E. D; Metodologia da Educação de Jovens e 
Adultos, Sobral, 2016. 
Neste Tópico: Propõe-se o conteúdo do documento recomendado pelo professor. É essencial, iniciar 
a leitura considerando o resumo, onde estão as principais ideias do documento proposto para 
estudo. 
 
Alfabetizar jovens e adultos é um ato de ensino-aprendizagem que leva a construção de uma 
perspectiva de mudanças, e depende de muita motivação e força de vontade por parte dos 
envolvidos, pois a alfabetização deve ocorrer de maneira intencional e consciente. 
A modalidade de ensino para Educação de Jovens e Adultos (EJA) é ofertada gratuitamente para 
aqueles que não tiveram acesso ou que por algum motivo não puderam concluir o ensino na idade 
certa, seja ele presencial ou a distância. 
O EJA enquanto modalidade de ensino é um direito assegurado pela Lei de Diretrizes e Base da 
Educação Nacional (LDB---), e está organizada para atender jovens e adultos que não frequentaram 
ou não concluíram a educação básica. 
Esse programa deve garantir o acesso à cultura letrada, a participação mais ativa no trabalho, na 
política e na cultura, bem como seus sujeitos tem direito a apreender o conhecimento científico e 
assumir direitos e deveres na sociedade. Os alunos da EJA trazem uma experi ência sobre a cultura 
letrada, que adquiriram em suas vivências com o trabalho na sua vida cotidiana, ou em breves 
passagens pela escola. Os cidadãos da EJA em sua maioria são trabalhadores que precocemente 
iniciaram sua atividade profissional, sejam eles homens ou mulheres e que por algum motivo foram 
privados do direito de educação básica. 
É preciso ultrapassar os modelos tradicionais de ensino e o caráter de suplência na EJA, pois os 
conteúdos curriculares necessitam ser pensados dentro do contexto da identidade dos diversos 
sujeitos dessa modalidade, com estratégias pedagógicas e metodologias que precisam ser 
orientadas para permanência e sucesso dos alunos. 
Os Programas e Projetos de Educação e Cultura buscam construir processos formativos com o 
objetivo de transformar a realidade, fortalecendo o ser humano enquanto sujeito histórico. 
Vivências teórico-metodológicas em círculos de cultura permitem a leitura do mundo, o 
aprofundamento teórico e a elaboração de estratégias de ação, e com isso têm possibilitado a 
recriação permanente do legado de Paulo Freire por meio de formações presenciais e a distância, 
cursos, oficinas, jornadas, grupos de pesquisa e trabalho, encontros, intercâmbios, seminários, 
debates, campanhas e fóruns. 
Para o governo o elevado índice de analfabetismo é o responsável pela miséria e por impossibilitar o 
desenvolvimento econômico do país, assim sendo o governo federal promoveu campanhas de 
alfabetização com a intenção de combater esse problema. Com as entidades jurídicas e políticas 
redemocratizando as instituições, os partidos sentiram necessidade de se firmarem, percebendo 
assim que o voto é um instrumento de extrema importância, só assim entenderam que os eleitores 
deveriam ser alfabetizados. 
Nesse contexto surgem vários programas continuados e campanhas educativas para a educação de 
adultos promovidos pelo governo que são: Campanha Nacional de educação tem como seu 
propósito somar diferentes politicas pela efetivação dos direitos educacionais garantidos por lei para 
que todo cidadão e cidadã tenha acesso à educação pública de qualidade; Movimento de educação 
de base (MEB) tem como seu ideal o ensino fundamental universal; movimento de cultura popular 
(MCP) suas atividades iniciais era conscientizar as massas através da alfabetização e educação de 
base; centro popular de cultura (CPC) seu desígnio era criar e divulgar uma “arte popular 
revolucionária”; campanha de educação popular (CEPLAR) e de pé no chão se aprende a ler, 
movimento de educação popular. 
Documento Completo 
O livro disponibilizado abaixo servirá de base para toda a disciplina: UNIDADES 1,2,3 e 4 
<iframe 
src="https://onedrive.live.com/embed?cid=45330FDE958FC1B0&resid=45330FDE958FC1B0%21543
&authkey=AHJ9_2gsjEmm054&em=2" width="476" height="288" frameborder="0" 
scrolling="no"></iframe> 
GUIA DE ESTUDO: UNIDADE 1 
1- Com base no texto, relate a importância de compreender a evolução histórica sobre a educação 
de jovens e adultos e os movimentos sociais 
2- Segundo o texto, identifique os diversos movimentos lançados pelas entidades governamentais e 
seus objetivos. 
Interagindo 
 
1 - Bloco de Notas 
 
2 - Partilhando Ideias 
 
3 - Avaliar o documento sugerido 
 
4 - Contribua com um documento 
UNIDADE 2: O CONCEITO DE PAULO FREIRE 
SILVA, e. G. M. M.A; MOURA, de. A. A; MARTINS. E. D; Metodologia da Educação de Jovens e 
Adultos, Sobral, 2016. 
Neste Tópico: Propõe-se o conteúdo do documento recomendado pelo professor. É essencial, iniciar 
a leitura considerando o resumo, onde estão as principais ideias do documento proposto para 
estudo. 
Paulo Freire analisava e defendia a educação como libertadora, uma práxis educativa capaz de 
libertar o homem de toda situação de opressão, ao qual se encontra sujeitado, através da libertação 
de sua consciência. Ele desenvolveu uma proposta revolucionária de alfabetização, que visava o 
processo de tomada de consciência, que fosse diretamente ligada à democratização da cultura e não 
a uma alfabetização mecânica que impossibilitava o ser humano de ser mais. 
A necessidade de políticas públicas para Educação de Jovens e Adultos (EJA) é decorrente da 
organização social desigual do país, pois a estrutura econômica e histórica produziu mazelas sociais 
e, nesse contexto, o direito à educação foi negado a muitos. O método Freiriano estimula a 
alfabetização dos adultos mediante a discursão de suas experiências de vidas entre si, através de 
palavras geradoras, desenvolvendo no estudante uma consciência crítica do fato e do dia a dia. 
Talvez mais do que nos anos sessenta, a educação se faz urgente e imprescindível, porque o acesso 
ao conhecimento pode significar a tomada de consciência sobre a realidade e a organização de 
métodos de transformação. 
Os jovens e adultos lutam para superar suas condições de vida (moradia, saúde, alimentação, 
transporte, emprego etc.) O analfabetismo é a expressão da pobreza, consequência inevitável de 
uma estrutura social injusta. Os perfis do aluno da EJA da rede pública são na sua maioria 
trabalhadores proletariados, desempregados, dona de casa, jovens, idosos, portadores de 
deficiências especiais. São alunos com suas diferenças culturais, etnia, religião, crenças. Os alunos do 
EJA são geralmente trabalhadores/as, empregados/as e desempregados/as que não tiveram acesso 
à cultura letrada. 
O que levam jovens e adultos a estudarem são suas expectativas de conseguirem um emprego