A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
18 pág.
POLÍTICAS PÚBLICAS EM SAÚDE

Pré-visualização | Página 1 de 4

POLÍTICAS PÚBLICAS EM SAÚDE 
Seja bem-vindo 
Os professores responsáveis pela organização e seleção dos conteúdos desta disciplina são 
profissionais reconhecidos por seu mérito na área específica desse conhecimento e responsáveis 
pela seleção de fontes de pesquisas relevantes sobre os temas que formam as trilhas de 
aprendizagem, que norteará você na experiência de uma leitura guiada para sua aprendizagem. 
A boa notícia é que seguindo este roteiro de estudos, você encontra a informação necessária para 
que possa aprender os conteúdos e conseguir sucesso nessa disciplina. 
Não esqueça! O estudo guiado exige a auto responsabilidade do estudante pelo seu percurso de 
aprendizagem, mas você será acompanhado, permanente por professores e tutores para colaborar 
no seu percurso de aprendizagem. 
 Apresentação da disciplina 
UNIDADE 1.1: O SUS E A EVOLUÇÃO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE 
SAÚDE NO BRASIL 
POLIGNANO, Marcus Vinícius. História das políticas de saúde no Brasil: uma pequena revisão. 
Disponível em: http://www.saude.mt.gov.br/upload/documento/16/historia-das-politicas-de-saude-
no-brasil-uma-pequena-revisao-marcus-vinicius-polignano-[16-200511-SES-MT].pdf. Acesso em: 
02/08/2018. Neste Tópico: Propõe-se o estudo dos documentos recomendados pelo professor. É 
essencial, iniciar a leitura considerando o resumo, onde estão as principais ideias do documento 
proposto. 
A evolução histórica das políticas de saúde está diretamente ligada à evolução política, social e 
econômica da sociedade brasileira. Por isso, não é possível dissociá-las. A saúde nunca ocupou um 
lugar central dentro da política do Estado brasileiro. Isso é notório tanto no que diz respeito à 
solução dos grandes problemas de saúde que afligem a população quanto na destinação de recursos 
direcionados ao setor saúde. Diante dessa realidade, a atual Política de Saúde do Brasil foi criada em 
1988, com a promulgação da Constituição da República Federativa do Brasil. Por meio dela, é 
possível identificar os aspectos essenciais da saúde no país e, com isso, estimular a reflexão sobre o 
papel deles e, consequentemente, sobre a importância da participação social para a consolidação do 
Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o território nacional. A descentralização, a municipalização 
de ações e serviços, a melhoria e a ampliação da atenção à saúde, o estímulo à vigilância em saúde e 
sanitária, mas também o controle social, através da atuação dos conselhos de saúde, são apontados 
como os avanços históricos do SUS. De acordo com os autores, o Sistema Único de Saúde foi criado 
com o objetivo de promover a justiça social e superar as desigualdades na assistência à saúde da 
população. O atendimento tornou-se obrigatório e gratuito a todos, cabendo aos cidadãos promover 
a popularizão do sistema, e, consequentemente, a melhoria na sua qualidade de vida. Al ém do mais, 
é o único sistema que se propõe a garantir o acesso integral, universal e igualitário no mundo. Sua 
abrangência vai desde o simples atendimento ambulatorial até os transplantes de órgãos. Diante do 
exposto, é importante tornar pública a trajetória histórica do SUS, fortalecendo sua construção 
coletiva e estimulando a mobilização da sociedade para superar dos desafios do setor de saúde e, 
com isso, ampliar os direitos sociais. 
Documento completo 
Atenção: O material abaixo servirá para a unidade 1. Cada artigo científico indicado pelo autor será 
correspondente ao seu respectivo resumo. 
<iframe 
src="https://onedrive.live.com/embed?cid=45330FDE958FC1B0&resid=45330FDE958FC1B0%21474
&authkey=AEJHZ_B4Y79VDV0&em=2" width="476" height="288" frameborder="0" 
scrolling="no"></iframe> 
Guia de estudo: UNIDADE 1.1 
Caro estudante, após a leitura do texto, você estará preparado para destacar o que há de mais 
importante e essencial nele. Durante a leitura, identifique as respostas no contexto. Para auxiliá-lo, 
elaboramos alguns questionamentos. Após a compreensão das questões, respondá-as no espaço 
apropriado. 
1 - Segundo os autores, muitos acontecimentos marcaram as pol íticas públicas de saúde no Brasil, 
durante o processo histórico. Após a leitura e compreensão sobre o assunto, explique as 
características do SUS, levando em consideração alguns essess momentos. 
2 - Segundo o texto, existem alguns desafios a serem superados nas pol íticas públicas de saúde no 
País e, para isso, precisam de apoio. A partir da leitura atenciosa, faça uma exposição sobre estes 
desafios apresentados pelos autores. 
3 - A partir da leitura do artigo, explique como eram as políticas públicas de saúde no Brasil antes e 
após a promulgação da Constituição de 1988, apontando os principais avanços observados. 
Interagindo 
 
1 - Bloco de Notas 
 
2 - Partilhando Ideias 
 
3 - Avaliar o documento sugerido 
 
4 - Contribua com um documento 
UNIDADE 1.2: EVOLUÇÃO HISTÓRICA DAS POLÍTICAS DE SAÚDE NO 
BRASIL 
ACURCIO, Francisco de Assis. Evolução histórica das políticas de saúde no Brasil. Disponivel em: 
https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/0243.pdf. Acesso em: 02/08/2018. 
Neste Tópico: Propõe-se o estudo dos documentos recomendados pelo professor. É essencial, 
iniciar a leitura considerando o resumo, onde estão as principais ideias do documento proposto. 
Iniciaremos a discussão abordando a concepção de políticas públicas, âmbito em que se insere as 
políticas de saúde. Para o autor, elas podem ser entendidas como o conjunto de diretrizes e 
referenciais ético-legais usados pelo Estado para tentar resolver um problema social. Em suma, as 
políticas públicas é como o Estado age diante de um problemática social. Para Viana (1997), as 
variadas definições de políticas públicas buscam atender a inúmeros objetivos de estudo. As 
definições mais genéricas são mais úteis quando o estudo é sobre a história das políticas. Sobre isso, 
o pensamento de Lemieux as entende como tentativas de controlar as situações que contenham 
problemas públicos, situações estas que se originam no interior de uma coletividade ou 
coletividades. Para este autor, a tentativa de regular uma dada situação pode ser interpretada de 
diferentes formas pelos atores sociais. Em resumo, um dado problema pode ser visto como regulado 
ou não regulado, dependendo de como ele impacta na vida de cada sujeito. 
 Para o autor do artigo, o advento da globalização e, consequentemente, as profundas, amplas e 
velozes mudanças, principalmente no campo da política e da economia, exigem do Estado grandes 
mudanças. Nesse cenário, surgiu uma acalorada discussão sobre a abrangência e a direção das 
políticas públicas. Para os autores Cunha e Cunha (1998), houve vários debates e propostas 
relacionadas ao setor de saúde durante a Assembleia Nacional Constituinte. Em resposta a eles, a 
Constituição de 1998 aprovou a criação do Sistema Único de Saúde (SUS). Com isso, passou a 
reconhecer a saúde como um dever do Estado e regido pelos seguintes princípios: universalidade, 
equidade, integralidade, com organização descentralizada, hierarquizada e participativa. Segundo 
Rodriguez Neto (1994), a implantação do Sistema Único de Saúde não pôde ser imediato, devido a 
quantidade de mudanças e a complexidade delas, bem como, o jogo de interesses que surgiu a partir 
da sua implantação. Nesse contexto, o SUS, como parte da Reforma Sanitária, é um processo 
constante; passível de aperfeiçoamento e adaptação. A partir da ideia abordada acima, conclui-se 
que o SUS representa o maior projeto de inclusão social no Brasil, proporcionando, aos excluídos 
pelo sistema, garantias de assistência à saúde. Porém, ainda existem várias lacunas em sua 
implementação, principalmente relacionadas ao financiamento, à regulação insuficiente, às