DIREITOS SOCIAIS E SUA EFETIVIDADE
17 pág.

DIREITOS SOCIAIS E SUA EFETIVIDADE


DisciplinaAbordagem Constitucional dos Direitos6 materiais68 seguidores
Pré-visualização4 páginas
1 
 
UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA 
FLÁVIA RAMOS 
DIREITOS SOCIAIS E SUA EFETIVIDADE 
Palhoça 
 
 
 
 
2 
 
2017 
FLÁVIA RAMOS 
DIREITOS SOCIAIS E SUA EFETIVIDADE 
Artigo Científico apresentado ao Curso de Graduação 
em Direito da Universidade do Sul de Santa Catarina 
como requisito parcial para aprovação. 
Prof. Alexandre Botelho, MSC. 
Palhoça 
2017 
 
 
 
 
 
3 
 
RESUMO 
 
O presente artigo tem o objetivo de exemplificar os direitos sociais e de como 
deveriam ser efetivados de fato em sociedade, como está descrito em lei. De fato, os direitos 
sociais são essenciais para a garantia da estabilidade do ser humano e para a sua sobrevivência 
em alguns casos. Esses direitos tem o intuito de manter a igualdade entre os povos que vivem 
em sociedade. São cruciais para que um país consiga crescer em qualidade de vida e em 
desenvolvimento econômico e social. Com a opinião de alguns autores, conseguimos ter 
alguma base de quais necessidades esses direitos são tirados, e de como a sua concessão é 
necessária para garantir condições de uma vida digna, e o surgimento igualdades entre os 
indivíduos. Enfim, nessa proposição os direitos argumentados no exposto, serão o direito à 
educação, saúde, alimentação, trabalho, moradia, transporte, lazer, segurança, previdência 
social, maternidade e assistência aos desamparados, previstos no artigo 6º da Constituição da 
República Federativa do Brasil. 
 
 
 
Palavras-chave Direitos Sociais. Igualdade. Social. 
 
 
 
 
 
 
4 
 
SUMÁRIO 
1. INTRODUÇÃO 5 
2. DESENVOLVIMENTO 5 
2.1 ABORDAGEM HISTÓRICA DOS DIREITOS SOCIAIS 6 
2.2 FINALIDADE DOS DIREITOS SOCIAIS 6 
2.3 DIREITOS SOCIAIS 7 
2.3.1 DIREITOS À EDUCAÇÃO 8 
2.3.2 DIREITO À SAÚDE 8 
2.3.3 DIREITO À ALIMENTAÇÃO 9 
2.3.4 DIREITO AO TRABALHO 10 
2.3.5 DIREITO À MORADIA 10 
2.3.6 DIREITO AO TRANSPORTE 10 
2.3.7 DIREITO AO LAZER 11 
2.3.8 DIREITO À SEGURANÇA 11 
2.3.9 DIREITO À PREVIDÊNCIA SOCIAL E ASSISTÊNCIA SOCIAL 11 
2.3.10 DIREITO E PROTEÇÃO À MATERNIDADE E À INFÂNCIA 12 
2.3.11 ASSISTÊNCIA AOS DESAMPARADOS 13 
3. CONCLUSÃO 15 
REFERÊNCIAS 16 
 
 
 
 
 
 
 
5 
 
1 INTRODUÇÃO 
O presente trabalho tem por objeto o estudo da relevância da aplicabilidade dos 
direitos sociais obtidos na promulgação da Constituição Federal de 1988. O tema ao qual me 
propus a analisar com o intuito de reconhecer, dentre os direitos sociais adquiridos, os direitos 
de livre expressão, educação, moradia, atitudes, reunião. Em vista do parâmetro delineado, 
constitui-se como objetivo geral deste trabalho proporcionar dúvidas e possíveis soluções 
quanto a sua efetividade desse direitos diante a sociedade. Por certo não se estabelecerá um 
ponto final em referida discussão, pois hoje, mesmo com esse grande avanço nos direitos, a 
situação continua precária. A análise do objeto do presente estudo incidirá sobre as diretrizes 
teóricas propostas por Norberto Bobbio, na obra Era dos Direitos, José Afonso da Silva, na 
obra Curso de Direito Constitucional Positivo, Ana Paula de Barcellos na obra A Eficácia 
Jurídica dos Princípios constitucionais. O princípio da dignidade da pessoa humana, Cláudia 
Ramalho em sua obra Desafios para o Lazer como prática social cidadã, Jayme Benvenuto 
Lima Junior em sua obra Os Direitos Humanos Econômicos, Sociais e Culturais e Ronei 
Plácido Ribeiro, na Monografia Direitos Sociais na Constituição de 1988 e sua efetividade 
jurisdicional, entre outras fontes de pesquisa. O trabalho em questão irá se desenvolver por 
meio de pesquisas bibliográficas e através destas se estabelecerá uma cronologia didática 
apresentando a trajetória histórica dos direitos sociais, a finalidade de seu surgimento e a 
garantia da eficácia do direito social à sociedade. 
 
 
 
 
 
 
 
6 
 
DESENVOLVIMENTO
Os direitos sociais são necessários para todos os indivíduos da sociedade, seja ele 
de maior ou menor renda financeira. Eles resguardam a liberdade da pessoa. O direito quando 
efetivado é muito importante para a segurança, a dignidade, a sobrevivência e o lazer. 
2.1 ABORDAGEM HISTÓRICA DOS DIREITOS SOCIAIS 
O surgimento dos direitos sociais, se fez a partir da promulgação da Constituição de 1988. 
Assim, existiu a necessidade de algumas exigências em relação a mão de obra escrava e 
jornadas de trabalho excessivas que existiam, reivindicando assim o fim delas. No século 
XIX, os movimentos socialistas contribuíram significativamente para o fortalecimento desses 
direitos. 
Foi nessa época também, que surgiu a expressão social que era entendida como a busca da 
justificação das dificuldades para a efetivação do justo social e também, a maneira de 
encontrar os meios para a solução do mesmo. 
Enquanto o liberalismo, declarado pela Revolução Francesa, assegurava a liberdade e o fim 
do Estado absolutista, os movimentos sociais buscavam proporcionar uma vida social digna 
para as pessoas. (LIMA JÚNIOR, 2001) 
No Brasil, os direitos sociais, mesmo que de modo mínimo, surgiram em 1824, com base no 
modelo das declarações de direito da Revolução Francesa de 1789. A constituição de 1934 foi 
a primeira a proclamar uma ordem econômica e social. Apesar disso, somente na Constituição 
de 1988 engrandeceu estes direitos ao plano de direitos fundamentais do cidadão. 
 
2.2 FINALIDADE DOS DIREITOS SOCIAIS 
Os Direitos Sociais são reconhecidos no âmbito internacional em documentos 
como a Declaração Universal dos Direitos do Homem, de 1948 e o Pacto Internacional dos 
Direitos Econômicos, Sociais e Culturais, de 1966, bem como pela Constituição de 1988. 
 
Os constituintes americanos relacionaram os direitos do indivíduo ao bem comum da 
 
 
 
 
7 
 
sociedade. Os constituintes franceses pretendiam afirmar primária e exclusivamente 
os direitos dos indivíduos. Bem diversa será a idéia na qual se inspirará a 
Constituição jacobina, que é encabeçada pelo art. 1º, no qual se diz: ''Finalidade da 
sociedade é a felicidade comum''; essa Constituição põe em primeiro plano o que é 
de todos em relação ao que pertence aos indivíduos, o bem do todo em relação ao 
direito das partes. (BOBBIO, 1992, p. 84) 
 
Diante disto, a Constituição deveria ter como objetivo próprio o bem comum da 
sociedade. E a partir do surgimento dos direitos sociais, poderia se alavancar uma esperança 
ao que se chamava de trabalho escravo e vida miserável. Os problemas poderiam desaparecer 
caso tudo corresse da forma em que estava descrito em lei. 
A efetivação dos direitos sociais tem como finalidade proporcionar aos indivíduos 
da sociedade a garantia de respeito à vida, à liberdade, à igualdade e a dignidade, para que 
todos possam desenvolver sua individualidade de maneira estável. 
 
2.3 DIREITOS SOCIAIS 
Os direitos sociais até então, são efeitos de muitos movimentos sociais históricos 
que buscaram pelos direitos e dignidade do ser humano. Com isso, todos têm direito de exigir 
seus direitos sociais, e a sua efetividade. 
Naturalmente a expressão \u201csegurança\u201d, quando citada, assume de forma natural o 
sentido de garantia, proteção e bem estar. Sob a postura da segurança social temos a definição 
expressa que a define através da aplicabilidade de vários meios que garantam aos indivíduos 
e suas famílias condições sociais dignas. (SILVA, 2000). 
 
Em à relação dos direitos sociais, José Afonso da Silva (2011, p. 286-289) 
explica: 
 
 
Assim, podemos dizer que os direitos sociais, como dimensão dos direitos 
fundamentais do homem, são prestações positivas proporcionadas pelo Estado 
direta ou indiretamente, enunciadas em normas