A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
80 pág.
Responsabilidade Socioambiental

Pré-visualização | Página 4 de 14

desta comissão resultou na apresentação do documento “Nosso Futuro Co-
mum” ou “Relatório Brundtland”, que ressaltou que o modelo de crescimento econômi-
co, adotado pelas grandes nações, gerou grandes desequilíbrios; se por um lado nunca 
houve a produção de tanta riqueza e fartura no mundo, por outro, a miséria, a degrada-
ção ambiental e a poluição aumentam dia a dia.
Você já deve ter ouvido a expressão desenvolvimento sustentável, certo? Pois ela foi 
utilizada pela primeira vez neste relatório sugerindo um modelo que atendesse as neces-
sidades do presente, sem comprometer a possibilidade das gerações futuras atenderem 
às próprias necessidades.
O texto deste relatório defendeu a conservação ambiental e a melhoria dos aspectos 
socioeconômicos, ao apresentar uma série de ações a serem tomadas pelas nações e 
definir metas a serem realizadas em nível internacional. De fato, este compromisso foi 
efetivamente aceito e assumido pelos 113 países envolvidos?
É interessante que você conheça a Declaração de Estocolmo sobre o Am-
biente Humano, de modo que possa acompanhar como foram sendo cons-
truídas as diretrizes, no sentido de amenizar os danos causados ao plane-
ta. Para isso, acesse: <http://www.silex.com.br/leis/normas/estocolmo.
htm>.
Internet
Re
sp
on
sa
bi
lid
ad
e 
So
ci
oa
m
bi
en
ta
l
23
Atividade 02
Considerando o que estudamos até agora, realize uma pesquisa para veri-
ficar a repercussão e se os compromissos assumidos nesse evento contri-
buíram efetivamente, para solucionar os problemas ambientais causados 
pelo desenvolvimento econômico mundial. Para validar e avaliar sua pro-
dução socialize-a com seus colegas no Ambiente Virtual de Aprendizagem 
(AVA).
Como você deve imaginar a inclusão da sustentabilidade, na noção de desenvolvi-
mento humano, resultou em uma significativa mudança nas ações em prol da melhoria 
dos indicadores sociais, da conservação da natureza, proteção dos consumidores, direito 
dos trabalhadores etc.
Utilizada pela primeira vez na década de 1990 pelo pensador britânico John Elking-
ton, a expressão Triple Bottonline (tripé da responsabilidade, numa tradução livre) refor-
ça que a sustentabilidade está apoiada em um tripé que considera aspectos ambientais, 
sociais e econômicos. A associação entre estes aspectos resulta nas articulações que 
você identificará na ilustração abaixo.
Os reflexos da conscientização socioambiental
Importante
A sustentabilidade ou desenvolvimento sustentável possui um caráter am-
plo, uma vez que associa três dimensões: ambiental, social e econômica.
Importante
Re
sp
on
sa
bi
lid
ad
e 
So
ci
oa
m
bi
en
ta
l
24
Figura 1 – Articulações originadas a partir do Triple Bottonline 
Fonte: adaptado de Elkington (1990).
Com a ampliação da conscientização socioambiental e a discussão desta temática, a 
sociedade tem encaminhado demandas para seus representantes políticos e pressiona-
do pela criação de leis, que estabeleçam regras para alcance da sustentabilidade. E já é 
possível observar que a pressão exercida pela opinião pública tem provocado mudanças 
significativas no modelo de gestão das empresas, que estão procurando se adequar ao 
perfil dos clientes do século XXI.
Veja bem: Diante da variedade de produtos em oferta, o consumidor consciente faz 
uso do seu poder de escolha. Além de considerar o preço e a qualidade, ele procura 
conhecer os efeitos ecológicos e sociais originados no processo produtivo e avaliam o 
comportamento dos fabricantes diante dos problemas socioambientais. Ações de reflo-
restamento, reciclagem, combate ao trabalho escravo e infantil etc. são exemplos de 
práticas valorizadas por este novo consumidor.
Você sabia que a preocupação com questões socioambientais, também fez 
surgir uma classe de consumidores que estão dispostos a pagar um valor 
mais alto, por produtos fabricados de forma sustentável?
Curiosidade
Re
sp
on
sa
bi
lid
ad
e 
So
ci
oa
m
bi
en
ta
l
25
No ano 2000, a Organização das Nações Unidas (ONU) lançou uma campanha denomi-
nada Pacto Global para estimular que empresas de todo o mundo assumissem, voluntaria-
mente, práticas empresariais que valorizem os direitos humanos, as relações de trabalho, 
o meio ambiente e o combate à corrupção.
Além de aprimorar, otimizar e tornar mais seguros seus processos de produção e 
operação e de implantar programas de uso racional de insumos como água e energia, 
as empresas patrocinam iniciativas de Organizações Não Governamentais e do poder 
público, fecham convênios com universidades, desenvolvem projetos de educação am-
biental e têm “portas abertas” para os que queiram conhecê-las de perto. (VIVEIROS; 
BIANCARELLI, 2003).
O objetivo do Pacto Global é encorajar o alinhamento das políticas e práticas em-
presariais, com os valores e os objetivos aplicáveis internacionalmente e univer-
salmente acordados. Os dez princípios do Pacto são:
Direitos Humanos:
1. As empresas devem apoiar e respeitar a proteção de direitos humanos reconhe-
cidos internacionalmente; 
2. Assegurar-se de sua não participação em violações destes direitos;
Trabalho:
3. As empresas devem apoiar a liberdade de associação e o reconhecimento efeti-
vo do direito à negociação coletiva;
4. A eliminação de todas as formas de trabalho forçado ou compulsório;
5. A abolição efetiva do trabalho infantil; 
6. Eliminação da discriminação no emprego;
Meio Ambiente:
7. As empresas devem apoiar uma abordagem preventiva aos desafios ambientais;
8. Desenvolver iniciativas para promover maior responsabilidade ambiental; 
9. Incentivar o desenvolvimento e difusão de tecnologias ambientalmente amigáveis;
Contra à corrupção:
10. As empresas devem combater a corrupção em todas as suas formas, inclusive 
extorsão e propina. Acesse para saber mais: <http://www.pactoglobal.org.br>.
Re
sp
on
sa
bi
lid
ad
e 
So
ci
oa
m
bi
en
ta
l
26
A Responsabilidade Socioambiental Empresarial está baseada na trilogia: ambiente, 
sociedade e economia, que são os pilares fundamentais para as organizações. Se por um 
lado as empresas objetivam a geração de lucro, por outro devem cumprir com as normas 
e os requisitos legais impostos. As empresas que incorporam em seus processos e/ou 
produtos aspectos da SER, se destacam das demais criando um diferencial competitivo, 
fortalecendo assim, sua imagem perante os stakeholders.
Em 1990, a Câmara de Comércio Internacional (CCI), para poder alcançar o desen-
volvimento sustentável, definiu um conjunto de princípios de gestão ambiental que, se 
atendidos, podem levar ao sucesso empresarial.
Os Três Pilares da Responsabilidade 
Socioambiental Empresarial (RSE) 
Princípios estabelecidos pela Câmara de Comércio Internacional (CCI) :
1 – Prioridade organizacional (estabelecimento de politicas e práticas adequa-
das ao ambiente natural);
2 – Gestão integrada como elemento de administração;
3 – Processos de melhoria (desempenho ambiental interno e externo);
4 – Educação do pessoal;
5 – Prioridades de enfoque (estudo das repercussões ambientais no desenvol-
vimento de projetos);
6 – Produtos e serviços (ecodesign);
7 – Orientações ao consumidor (disponibilidade de informação ao público);
8 – Equipamentos e operacionalização (busca de eficiência no uso dos equipa-
mentos, insumos e matérias-primas);
9 – Pesquisas (busca de redução dos impactos ambientais);
10 – Enfoques preventivos (prevenção à poluição);
11 – Fornecedores e subcontratados (transferência da responsabilidade para 
toda a cadeia produtiva);
12 – Planos de emergência (precaver-se da repercussão de acidentes);
13 – Transferências de tecnologia (disseminação

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.