A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Seminário - climatologia

Pré-visualização | Página 2 de 5

Acesso em: 15 out. 2011.
SENTELHAS, P. C.; ANGELOCCI, L. R. Umidade do ar. ESALQ/USP – 2009. Disponível em: <www.leb.esalq.usp.br/aulas/lce306/Aula7_2011.pdf>. Acesso em: 14 out. 2011.
*
*
Obrigada pela presença!
*
A água é a única substância que ocorre nas 3 fases na atm.
A água e suas mudanças na atm, desempenham papel importantíssimo em diversos processos FÍSICOS Naturais.
Transporte e distribuição de calor (ciclo hidrológico);
 Absorção de comprimentos de onda da radiação solar e terrestre (efeito estufa natural);
 Evaporação/Evapotranspiração (consumo de energia);
 Condensação/Orvalho (liberação de energia);
*
O vapor de água, ao passar da fase líquida para gasosa, absorve calor do ar circunvizinho, resfriando-o, e, ao retornar da fase gasosa para fase líquida, libera o calor latente acumulado, aquecendo a atmosfera. Possuindo concentrações máximas nas regiões tropicais e equatoriais úmidas. 
A umidade é a quantidade de vapor de água presente na atmosfera num determinado momento, resultado do processo de evaporação das águas da superfície terrestre e da transpiração das plantas.
*
As indústrias de petrolíferas lidam diariamente com problemas decorrentes de vazamentos, refinamento, transporte e armazenamento do petróleo/derivados.
*
Benzeno = =tóxico padrão de potabilidade de 10 mg/l
*
Uma das formas mais simples e cotidiana de perceber o fenômeno é quando olhamos um copo com um líquido gelado ou o vidro do carro embaçados.  
*
Benzeno = =tóxico padrão de potabilidade de 10 mg/l
*
A umidade do ar de um determinado local interfere diretamente na qualidade de vida dos habitantes. Baixas umidades podem gerar problemas respiratórios, sangramentos nasais, desidratação, etc. Já as altas umidades podem provocar tonturas e proliferação de fungos.
A alta umidade durante dias quentes faz a sensação térmica aumentar, devido à redução da eficácia da transpiração da pele, e assim reduzindo o resfriamento corporal. Por outro lado, a baixa umidade dos desertos causa uma grande diferença de temperatura entre o dia e a noite. Este efeito é calculado pela tabela de índice de calor.
As condições de umidade relativa do ar são importantes para a saúde e a sensação de conforto ou desconforto térmico. Nos dias quentes e úmidos, nosso organismo sente maior necessidade de transpirar, enquanto nos dias secos se agravam os problemas respiratórios e de irritação de pele.
Influência da umidade do ar na saúde
Naquelas tardes quentes de verão, quando o ar está pesado e abafado, muitas pessoas sentem-se mal. Isto se dá porque o ar está praticamente saturado de vapor d’água e para nos refrescarmos, para baixar nossa temperatura corporal, nosso corpo transpira. A perda de água para a atmosfera com o suor é um importante mecanismo de controle de temperatura. Mas e se o ar já está cheio, saturado de vapor d’água, o que acontece? Nosso suor não evapora e com isso não perdemos calor para o meio, ficamos com uma sensação ruim de calor. Embora incômodo, este grau de umidade não causa tanto mal a saúde, bastando tomar medidas simples como resfriar e ventilar o ambiente. No outro extremo, no inverno, quando a umidade relativa está baixa sofremos com a diminuição da hidratação das vias aéreas e dos olhos. A baixa umidade do ar agride as mucosas que revestem as fossas nasais e o trato respiratório como um todo, tornando mais propensas crises de asma e bronquite e infecções virais e bacterianas. Mesmo em invernos com temperaturas altas a pouca umidade é bastante nociva. Até porque apesar de transpirarmos, a água que sai do nosso corpo é absorvida pelo ambiente deixando, por exemplo, a pele ressecada. O ar seco aumenta a poluição das grande cidades Além disso, a poluição do ar aumenta com o ar seco, assim como fenômenos como a inversão térmica.
*
A Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta que os valores ideais de umidade relativa do ar encontram-se na faixa de 40% a 70%. A seguir temos algumas medidas a serem tomadas para minimizar a influência nociva em caso de baixa umidade:
Estado de atenção – entre 20% e 30%
• Consumir muita água
• Entre as 11h e 15h deve-se evitar exercícios físicos ao ar livre
• Proteger-se do sol em locais sombreados e áreas com vegetação
• Com o intuito de umidificar o ambiente, utilizar toalhas molhadas, recipientes com água (bacias, por exemplo), vaporizadores, regador de jardim
Estado de alerta – entre 12 e 20%
• Seguir as mesmas recomendações do estado de atenção
• No período das 10h às 16h não fazer exercícios físicos ao ar livre
• Umedecer os olhos com soro fisiológico
• Evitar aglomerações em locais fechados
Estado de emergência – Abaixo de 12%
• Além das recomendações anteriores
• E no período das 10h às 16h, os ambientes internos devem ser umedecidos
• Nesse período, aulas, cinemas ou qualquer atividade que exijam aglomerações devem ser suspensas
• Interromper qualquer atividade ao ar livre como ginástica, aulas de educação física, serviços externos como coleta de lixo e de correios 
Apenas como exemplo, no inverno de 2008, a cidade de São Paulo registrou umidade relativa do ar que deixou a cidade em estado de atenção.
*
O teor de vapor d´água na atmosfera varia de 0 a 4% do volume de ar. Isso quer dizer que em uma dada massa de ar, o máximo de vapor d´água que ela pode reter é 4% de seu volume:
Ar Saturado: quando a taxa de escape de moléculas de água de uma superfície líquida para o ar se iguala à taxa de retorno de moléculas de vapor d´água do ar para a superfície líquida. Essa taxa é dependente da temperatura do sistema, a qual determina a capacidade máxima de vapor d´água que o ar pode reter.
É importante destacar que a capacidade de retenção de vapor d'água na atmosfera também está associada à temperatura. Quando a temperatura está elevada, os gases estão dilatados e aumenta sua capacidade de retenção de vapor; ao contrário, com temperaturas baixas os gases ficam mais adensados e é necessária uma menor quantidade de vapor para atingir o ponto de saturação.
*
A figura a seguir ilustra esse processo, mostrando um sistema fechado, a 20ºC, no qual em (a) têm-se o ar seco. À medida que a evaporação ocorre, a pressão exercida pelo vapor d´água aumenta (b = ar úmido), até se atingir a condição de saturação para essa temperatura (c). Caso haja o aumento da temperatura do sistema, a capacidade máxima de retenção de vapor do ar aumenta, como mostra a figura (d).
*
Como qualquer outra substância o ar tem um limite de absorção, este limite se denomina saturação. Abaixo do ponto de saturação ( ponto de orvalho ) o ar úmido não se distingue do ar seco ao simples olhar sendo absolutamente incolor e transparente. Acima do limite de saturação a quantidade de água em excesso se precipita em forma de neblina ou pequenas gotas de água (chuva). A quantidade de água que o ar absorve antes de atingir a saturação depende da temperatura e aumenta progressivamente com ela.
*
Com uma concentração praticamente nula nas regiões desérticas e extremos polares, ate 4% em volume, nas regiões tropicais quentes e úmidas, o vapor de água é um dos mais importantes constituintes atmosféricos. Exerce papel de destaque no balanço de energia próximo a superfície do solo. Além disso, sua presença é absolutamente indispensável para toda espécie de vida na Terra. É elemento decisivo no ciclo hidrológico, quer transferindo água da superfície para atmosfera, que retornando, sob a forma líquida, como chuva. Atua como absorvedor de radiação infravermelha, reemitindo-a à sua temperatura. Com isso, desempenha o papel de um agente termoregulador, impedindo que a camada de ar junto ao solo se resfrie em demasia durante a noite. 
*
Quando um meio de comunicação divulga a temperatura, normalmente, também é informada a umidade relativa do ar. Mas, afinal, o que é umidade do ar e qual a sua importância?
*
De acordo com a lei de Dalton, a pressão atmosférica (Patm) é igual à soma das
pressões parciais exercidas por todos os constituintes atmosféricos.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.