A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Chiste inocente é responsável pelo riso moderado

Pré-visualização | Página 1 de 1

Exemplos de chiste – 
1- O autor conta a história de um rei que andava pelas ruas de seu domínio.enquanto caminhava encontrou um aldeão que se parecia muito com ele. Tamanha era a semelhança que o rei parou para conversar com o súdito. O rei então lhe perguntou a sua mãe já esteve na corte? Não, Senhor mas, meu pai sim.(Seu pai não fez sexo com minha mãe, mas meu pai pode ter feito com a sua.) 
2-Um exemplo conhecido vem do próprio Freud, que conta o chiste do 'familionário', que condensa os vocábulos familiar e milionário. Em outro chiste que o próprio Freud narra, um homem convida uma jovem italiana a dançar. Ela aceita, mas dança muito mal. O homem pergunta:Todas as italianas dançam tão mal? E ela responde:Non tutti, ma buona parti. (Nem todas, mas boa parte). Buona parti ou Buonaparti (Napoleão)?
3-“Vamos supor que alguém esta conversando comigo e diz algo que não queria dizer, se rio disso é, esse alguém ri junto, fez se um chiste; se ele ficar envergonhado, como se pego em flagrante, só terá havido um lapso.” 
4-Em um de seus passeios a cavalo aconteceu ao Duque Charles wurttemberg encontrar um tintureiro ocupado em seu oficio apontando o cavalo cinza que estava cavalgando,o Duque bradou “pode tingi-lo de azul?”naturalmente Alteza,” foi a resposta,” se ele suportar a fervura.” ( È uma questão sem sentido oferece uma resposta impossível.) 
5- Um guia conduzia um grupo de visitantes jovens e velhos de figura a figura, enquanto as explicava : “Este e o Duque de Wellington e seu cavalo “explicou ele. Em conseqüência, perguntou uma jovem dama qual é o Duque de Welligton e qual é seu cavalo? Qual queira minha bela jovem, foi a resposta, você paga a entrada e faz a sua escolha.(Que falta de vergonha que estas pessoas ousam oferecer ao publico, não distingue entre o cavalo e seu cavaleiro.)
6_É um dos ‘chistes de banho’ que tratam da aversão dos judeus da Galícia aos banhos. Não insistimos, pois, sobre a patente de nobreza de nossos exemplos. Não investigamos a origem destes mas sua eficiência - serem capazes de nos fazer rir e de merecer nosso interesse teórico. Ambos estes requisitos são satisfeitos precisamente por chistes de judeus.
‘Dois judeus se encontram nas vizinhanças de um balneário. “Você tomou um banho?”, pergunta um deles. “O quê?”, retruca o outro, “há um faltando?”.