Direito Penal
21 pág.

Direito Penal


DisciplinaDireito Penal I59.563 materiais999.774 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Direito Penal
Duração: 28m18s
1) O artigo 1º do Código Penal estabelece: \u201cNão há crime sem lei
anterior que o defina, nem pena sem prévia cominação legal\u201d. O
dispositivo legal explicita, entre outros, o princípio da 
( ) a)	Insignificância
( ) b)	Intervenção mínima
(x) c)	Legalidade
( ) d)	Culpabilidade
2) Maria, empregada de uma rede de supermercados, subtraiu,
conscientemente, de forma furtiva, a quantia de R$ 17,00 (dezessete
reais), em espécie, do caixa da loja em que trabalha. Descoberta tal
prática, foi oferecida denúncia, mas, em sentença, a ré foi absolvida.
Pode-se concluir, acerca dos fatos narrados, que Maria foi beneficiada
pela aplicação do princípio do(a):
( ) a)	in dubio pro reo
( ) b)	presunção de inocência
( ) c)	retroatividade da lei mais benéfica 
(x) d)	insignificância
3) É correto afirmar que o princípio da legalidade
(x) a)	É uma garantia de que compete à lei fixar os crimes e suas penas respectivas
( ) b)	Não tem previsão legal
( ) c)	Está previsto no Código de Processo Penal
( ) d)	Consiste na ideia de que ninguém pode ser punido por fato que lei posterior deixa de
considerar crime
4) Nos termos previstos no Código Penal, é correto afirmar que:
( ) a)	Considera-se praticado o crime no momento da ação ou da omissão, bem como no
momento da produção do resultado
(x) b)	Considera-se praticado o crime no momento da ação ou da omissão, ainda que
outro seja o momento do resultado
( ) c)	A lei posterior, que de qualquer modo favorecer o agente, aplica-se aos fatos anteriores, a
não ser que haja sentença condenatória transitada em julgado
( ) d)	A lei excepcional ou temporária, quando decorrido o prazo de sua duração ou cessada a
circunstância que a determinou, não se aplica mais aos fatos praticados durante sua vigência
5) Com relação à aplicação da lei penal, é INCORRETO afirmar: 
( ) a)	Não há crime sem lei anterior que o defina. Não há pena sem prévia cominação legal
( ) b)	A lei excepcional ou temporária, embora decorrido o período de sua duração ou cessadas
as circunstâncias que a determinaram, aplica-se ao fato praticado durante sua vigência.
(x) c)	O agente pode ser punido por fato que lei posterior deixa de considerar crime, se já
houver sentença penal definitiva 
( ) d)	Considera-se praticado o crime no lugar em que ocorreu a ação ou a omissão, bem como
onde se produziu ou deveria produzir-se o resultado
6) Assinale a alternativa correta acerca do cumprimento de pena no
estrangeiro 
( ) a)	Será convertida em pena restritiva de direitos
(x) b)	Não poderá ser computada no Brasil, em função de sua soberania
( ) c)	Deverá submeter o agente a novo julgamento, quando verificada a ocorrência do mesmo
crime
( ) d)	Deverá atenuar a pena imposta no Brasil, quando for pelo mesmo crime
7) De acordo com o Código Penal Brasileiro, assinale a alternativa
correta: 
( ) a)	O crime é doloso quando o agente deu causa ao resultado por imprudência, negligência
ou imperícia
(x) b)	A legítima defesa é uma causa legal de exclusão da ilicitude
( ) c)	A embriaguez completa, voluntária ou culposa, pelo álcool ou substância de efeitos
análogos, exclui a imputabilidade penal 
( ) d)	É isento de pena o agente que, por doença mental ou desenvolvimento mental incompleto
ou retardado, era, ao tempo da ação ou da omissão, relativamente incapaz de entender o
caráter ilícito do fato ou de determinar-se com esse entendimento 
8) Beltrano e Ciclano saem juntos para comemorar o sucesso obtido
em concurso público. Beltrano não pode ingerir em hipótese alguma
bebida alcoólica. Entretanto, Ciclano coloca as escondidas álcool no
refrigerante de Beltrano. Ao tomar o refrigerante, Beltrano perde a
capacidade de se comportar conforme o direito e de entender
inteiramente o caráter ilícito de seus atos. Totalmente fora de si,
Beltrano quebra uma garrafa na cabeça de Ciclano que falece.
Considerando o exposto, e correto afirmar:
(x) a)	Beltrano está isento de pena porque no momento em que ceifou a vida de Ciclano
encontrava-se em situação de inimputabilidade
( ) b)	Beltrano não cometeu crime algum, visto que está amparado pela excludente do estado
de necessidade 
( ) c)	Beltrano responderá por homicídio visto que deveria ser mais cuidadoso para não ingerir
bebida alcoólica
( ) d)	Beltrano responderá por homicídio, pois a embriaguez em nenhuma hipótese o isenta de
pena 
9) Em relação à responsabilidade do agente que, voluntariamente,
desiste de prosseguir na execução ou impede que o resultado se
produza, é correto afirmar que:
( ) a)	Não há nenhuma responsabilidade criminal possível
(x) b)	O agente será punido com a pena do crime consumado, diminuída de 1/3 a 2/3 
( ) c)	O agente responde apenas pelos atos já praticados
( ) d)	Se trata de erro de tipo, que exclui a responsabilidade penal, salvo se inescusável 
10) Considera-se causa de diminuição de pena, o fato do agente ter
praticado o crime de homicídio: 
( ) a)	Com uso de veneno, fogo, explosivo, asfixia ou outro meio insidioso ou cruel
( ) b)	Por motivo fútil
(x) c)	Impelido por relevante valor moral ou social 
( ) d)	À traição ou emboscada 
11) Partícipe de um crime é o sujeito que:
( ) pratica a conduta descrita no tipo penal, juntamente com seu comparsa.
( ) executa o comportamento que a lei define como crime.
( ) auxilia autor de crime a subtrair-se à ação de autoridade pública.
(x) induz, instiga ou auxilia na prática do crime, embora não pratique conduta típica.
( ) pratica a conduta descrita no tipo penal em legítima defesa
12) Em relação aos sujeitos ativo e passivo da infração penal no
ordenamento jurídico brasileiro, assinale a opção incorreta.
(x) a)	A pessoa jurídica não pode ser sujeito ativo de infração penal.
( ) b)	Sujeito ativo do crime é aquele que pratica a conduta descrita na lei.
( ) c)	Sujeito passivo do crime é o titular do bem jurídico lesado ou ameaçado pela conduta
criminosa.
( ) d)	O conceito de sujeito ativo da infração penal abrange não só aquele que pratica a ação
principal, mas também quem colabora de alguma forma para a prática do fato criminoso.
( ) e)	Parte da doutrina entende que, sob o aspecto formal, o Estado é sempre sujeito passivo
do crime.
13) Segundo entendimento doutrinário, o consentimento do ofendido(quando não integra a própria descrição típica), a adequação social e a
inexigibilidade de conduta diversa constituem causas supralegais de
exclusão, respectivamente, da
( ) a) tipicidade, da culpabilidade e da ilicitude.
( ) b) culpabilidade, da tipicidade e da ilicitude.
(x) c) ilicitude, da tipicidade e da culpabilidade.
( ) d) ilicitude, da culpabilidade e da tipicidade.
( ) e) culpabilidade, da ilicitude e da tipicidade.
14) O erro sobre a ilicitude do fato
(x) a) reflete na culpabilidade, de modo a excluir a pena ou diminuí-la.
( ) b) exclui o dolo e a culpa.
( ) c) reflete na culpabilidade, sempre isentando de pena.
( ) d) extingue a punibilidade.
( ) e) exclui o dolo, mas permite a punção por crime culposo, se previsto em lei.
15) O erro de proibição é aquele que
( ) a) recai sobre elemento constitutivo do tipo penal.
(x) b) incide sobre a ilicitude do fato.
( ) c) incide sobre as elementares do tipo penal.
( ) d) diz respeito às excludentes de ilicitude.
( ) e) exclui a imputabilidade do agente.
16) Na imputabilidade penal,
( ) a) a emoção não exclui o crime e não poderá ser considerada como causa de diminuição de
pena, uma vez que não concorre a liberdade psíquica, não havendo, portanto, a vontade
integrante da conduta.
(x) b) é isento de pena o agente que, em razão da dependência, ou sob o efeito,
proveniente de caso fortuito ou força maior, de droga, era, ao tempo da ação ou da
omissão, qualquer que tenha sido a infração penal praticada, inteiramente incapaz de
entender o caráter ilícito do fato ou de determinar-se de acordo com esse entendimento.
( ) c) exclui-se a culpabilidade
jorge luiz
jorge luiz fez um comentário
Entre em contato 61986341588
0 aprovações
Carregar mais