A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Direito do Trabalho - Interrupção e suspensão do contrato de trabalho

Pré-visualização | Página 1 de 1

Direito do Trabalho
Interrupção e suspensão do contrato de trabalho
1) Interrupção: ausência provisória da prestação de serviços, em que são devidos o pagamento de salário e a contagem do tempo.
Ou seja: a obrigação do empregado cessa; apenas a do empregador permanece (qual seja, salário e contagem de tempo);
→ Hipóteses e tempo correspondente:
2 dias consecutivos: falecimento (ascendentes – pais e avós; descendentes – filhos e netos; irmão ou pessoa dependente declarada em CTPS);
- 9 dias, se professor;
3 dias consecutivos: casamento;
- 9 dias, se professor;
1 dia a cada 12 meses: doação voluntária de sangue;
2 dias consecutivos ou não: alistamento eleitoral;
2 dias durante o período de gravidez da esposa/companheira gestante: acompanhamento do cônjuge/companheiro a consultas médicas e exames complementares;
1 dia por ano: acompanhar filho de até 6 anos em consulta médica. Validade para a empregada e para o empregado;
Pelo período necessário:
- cumprimento exigências do serviço militar;
- provas vestibular;
- comparecimento em juízo;
- p/ representante de entidade sindical que estiver participando de reunião oficial de organismo internacional de que o Brasil seja parte;
Durante a paralisação da empresa (acidental ou não);
Afastamento por doença/acidente do empregado, nos PRIMEIROS 15 DIAS;
Redução da jornada de 2h diárias ou 7 dias consecutivos, quando o aviso-prévio for dado pelo empregador;
- 1 dia por semana, p/ trabalhador rural;
Férias;
RSR e feriados;
Intervalos intrajornadas remunerado;
Licença-paternidade de 5 dias;
Tempo necessário p/ empregada gestante realizar consultas médicas (mínimo 6) e demais exames complementares;
Afastamento do empregado p/ participar das CCP (Comissões de Conciliação Prévia);
Prontidão e sobreaviso;
Lockout;
Participação do empregado em atividade do Conselho Curador do FGTS;
Demais hipóteses previstas em negociação coletiva.
2) Suspensão: ausência provisória da prestação de serviços e do pagamento de salário e da contagem do tempo.
Ou seja: tanto a obrigação do empregado quanto a do empregador cessam.
→ Hipóteses:
Encargo público. Ex.: eleição para mandato eletivo. Ainda que seja caso de suspensão, o empregado receberá remuneração durante os 90 primeiros dias (ou seja, será caso de interrupção);
Mandato sindical. Ex.: empregado eleito diretor de sindicato. Apesar disso, ainda é possível que ocorra a interrupção, desde que prevista no acordo ou convenção coletiva;
Suspensão disciplinar. Máximo de 30 dias. A suspensão por mais de 30 dias configura hipótese de rescisão injusta/indireta do contrato de trabalho;
Greve: EM REGRA, é hipótese de SUSPENSÃO. Entretanto, se ao fim do movimento houver previsão (em acordo/convenção coletiva) de pagamento de salário correspondente ao período de greve, será hipótese de interrupção.
Empregado no gozo de benefícios previdenciários. Ex.: durante aposentadoria por invalidez, auxílio-doença, etc. 
- Obs.: a súmula 440 do TST prevê que o empregado cujo contrato tenha sido suspenso por acidente de trabalho – e que, portanto, receba aposentadoria por invalidez ou auxílio-doença acidentário – fará jus à manutenção do plano de saúde ou de assistência médica. ENTRETANTO, diante do disposto no art. 8º, § 2º da CLT (vedação à restrição, através de súmulas e outros enunciados de jurisprudência do TRT e TST, de direitos legalmente previstos ou à criação de obrigações não previstas em lei), provavelmente será revista.
Empregado eleito para o cargo de DIRETOR DA S/A;
- ou seja, não há contagem do tempo de serviço. Entretanto, se a subordinação jurídica inerente à relação de emprego permanecer durante esse período, será computado o tempo de serviço;
Intervalos intrajornadas e interjornadas;
Ausência do empregado por motivo de prisão;
- período de afastamento aguardando julgamento na Justiça Comum ou Militar, ou respondendo a inquérito, é de suspensão contratual.
- entretanto, se houver condenação transitada em julgado, caberá a dispensa por justa causa;
Violência doméstica
- juiz pode determinar o afastamento do local de trabalho c/ manutenção do vínculo empregatício por até 6 meses, se entender necessário para preservar a integridade física e psicológica da mulher;
Inquérito para apuração de falta grave (É AÇÃO JUDICIAL).
- durante tal ação, o contrato do dirigente sindical ficará suspenso. Se julgado improcedente e a falta não ficar comprovada, o período de afastamento terá natureza de interrupção do contrato.
Qualificação profissional (lay-off)
- evita demissões em massa;
- 2 a 5 meses;
- requisitos: i) previsão em acordo/convenção; ii) consentimento formal do empregado;
- formalidades especiais: i) comunicação ao sindicato c/ 15 dias de antecedência; ii) possibilidade de o empregador conceder ajuda compensatória; iii) contrato não poderá ser suspenso mais de 1 vez dentro de 16 meses;
- dispensa do trabalhador: vedação, durante o transcurso da qualificação profissional e nos 3 meses subsequentes ao afastamento para qualificação;
- se dispensa: empregador paga multa de 100% sobre valor da última remuneração mensal;
- se fraude no curso de qualificação (ñ curso; empregado continuar trabalhando): período de interrupção (não de suspensão);
Períodos de inatividade no trabalho intermitente: hipótese de suspensão (não há pagamento de salário nem hipótese de suspensão);
3) Observações
→ Tanto na suspensão quanto na interrupção são asseguradas ao empregado as vantagens que, em sua ausência, tenham sido atribuídas à categoria.
→ É possível acordo entre empregado e empregador, para desprezar o tempo de afastamento, nos contratos por prazo determinado.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.