Relatório FLOTAÇÃO lab
10 pág.

Relatório FLOTAÇÃO lab


DisciplinaTratamento de Minerios255 materiais3.306 seguidores
Pré-visualização2 páginas
4040
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS
FACULDADE DE ENGENHARIA
JOÃO MONLEVADE \u2013 MG
adriano santos machado araújo
tadeu souza perreira
RELATÓRIO PRÁTICA VIII
Flotação - 10/11/2014
Trabalho Acadêmico apresentado, como requisito parcial, para aprovação na Disciplina Tratamento de Minérios III do 7º Período do curso de Engenharia de Minas da Universidade do Estado de Minas Gerais, campus João Monlevade. 
 
 Prof.:Orientador: Douglas Magalhães
João Monlevade
2014
SUMÁRIO
1. RESUMO ......................................................................................................................3
2. INTRODUÇÃO .............................................................................................................4
3. OBJETIVOS .................................................................................................................5
4. METODOLOGIA ...........................................................................................................6
4.1. Equipamentos e Materiais utilizados .........................................................................6
4.2. Métodos .....................................................................................................................6
5- RESULTADOS E DISCUSSÕES .................................................................................8
6 \u2013 CONCLUSÃO ...........................................................................................................9
7 \u2013 REFERÊNCIAS ........................................................................................................10
1. RESUMO
Em escala de laboratorial foi realizado dois ensaios de flotação, utilizando uma célula de flotação onde no primeiro ensaio foi adicionado a polpa de minério de ferro e alguns reagentes e no segundo ensaio foi adicionado quartzo e alguns reagentes.
Palavras-chave: Reagentes, espuma, flotação e concentração.
2. INTRODUÇÃO
A flotação teve início aproximadamente no ano de 1920, a partir de então esta técnica intensificou sendo hoje predominante na área de concentração de minérios. Cada minério tem sua peculiaridade, portanto é essencial um estudo prévio em laboratório para definir a influência das variáveis no processo. A flotação é um processo de separação aplicado a partículas sólidas. O método trata misturas heterogêneas de partículas suspensas em fase aquosa. 
O método de concentração requer três condições básicas: liberabilidade, diferenciabilidade e separabilidade. A flotação possui mecanismo capaz de manter as partículas em suspensão possibilitando a aeração da polpa, sendo a diferenciabilidade a base da seletividade do método. 
A diferenciação entre as espécies minerais é dada pela capacidade de suas partículas se prenderem a bolhas de gás (geralmente ar). Segundo Arthur Chaves, se uma partícula consegue capturar um número suficiente de bolhas, a densidade do conjunto partícula-bolha torna-se menor que a do fluido e o conjunto desloca-se verticalmente para a superfície, onde fica retido e é separado numa espuma, enquanto que as partículas das demais espécies minerais mantêm inalterada a sua rota.
A seletividade do processo de flotação se baseia no fato de que a superfície de diferentes espécies minerais pode apresentar distintos graus de hidrofibicidade, tendo como princípio o contato bolha-partícula, onde as partículas hidrofóbicas vão aderir à superfície da bolha e serão carreadas para o topo da coluna e aquelas hidrofílicas permanecem em suspensão.
O conceito de hidrofibicidade de uma partícula está associado à sua umectabilidade ou molhabilidade pela água. A separação entre partículas naturalmente hidrofóbicas e partículas naturalmente hidrofílicas é teoricamente possível fazendo-se passar um fluxo de ar através de uma suspensão aquosa contendo as duas espécies. Este processo requer a produção de espuma, de modo que seja criada uma interface ar-líquido de grande área que deve ser estável. Para alcançar resultados satisfatórios utilizam-se espumantes e outros aditivos com finalidades diversas.
O conhecimento das propriedades superficiais dos minerais é de grande importância para o entendimento e desenvolvimento das condições de reagentes que propiciem a seletividade no processo de flotação. Dentre essas propriedades cita-se a carga superficial que a maior parte das partículas adquire quando postas em contato com um meio aquoso. Os mecanismos mais importantes de geração de carga superficial de sólidos em meio aquoso são: ionização da superfície; dissolução de íons; adsorção de íons provenientes da solução e defeitos na rede cristalina dos minerais.
Reagentes de flotação são compostos orgânicos e inorgânicos adicionados com o objetivo de controle das características das interfaces envolvidas no processo. Para que este fenômeno de contato ocorra adequadamente é necessário a aplicação de alguns reagentes que possibilitem a aderência bolha-partícula:
Coletores: substância química que adsorve na superfície das partículas dispersas na polpa de modo a conferir hidrofobicidade a estas.
Ativador: substância utilizada para propiciar a adesão do coletor na superfície destas partículas.
Depressor: agentes químicos que se depositam seletivamente na superfície das partículas e impedem a adesão dos coletores.
Espumantes: substâncias que promovem a estabilidade e consistência das espumas formadas, impedindo a sedimentação do material já retido no topo da célula de flotação.
Reguladores: responsáveis pela regulação do pH, que é uma das variáveis que afetam a eficiência de coleta.
3. OBJETIVOS
3.1. OBJETIVOS GERAIS
Realizar o processo de flotação de duas amostras sendo que .a primeira foi de quartzo e a segunda foi de minério de ferro
 3.2. OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Realizar a flotação;
Obter os produtos de concentrado e rejeito.
4. METODOLOGIA
4.1- Equipamentos e Materiais utilizados:
Balão volumétrico;
Agitador magnético;
Balança de pesagem;
Peixinho magnético;
Béquer de plástico;
Piceta;
Amido de milho;
Monoamina;
Diamina;
Dispersante (Hexameta fosfato de sódio);
Célula de flotação;
PHmetro;
Cronômetro;
Espátula coletora;
Filtro de pressão;
Tabuleiro; 
Estufa.
4.2- Métodos:
Amostra 1: Flotacao do quartzo
Encaixar a cuba de 1 litro na maquina de flotação;
Desse a parte móvel da maquina ate o fundo da cuba;
Acrescenta a quantidade estabelecida;
Dispõe a amostragem de quarto;
Promove a agitação da polpa;
Mede-se o PH da polpa;
Adequa-se o PH da polpa através de uma solução de soda caustica ate atingir ph igual a 10;
Ajustar o PH de reposição para 10;
Adiciona o coletor no caso a amina regulasse a vazão de ar;
Ajusta-se a frequência de agitação próximo a 1200 rpm;
Coleta a espuma formada através do uso da paleta de coleta e despô-la sobre o pote; 
Repetir a coleta de espuma até a espuma acabar.
Amostra 2: Minério de ferro
 Encaixar a cuba de 1 litro na maquina de flotação;
Desse a parte móvel da maquina ate o fundo da cuba;
Acrescenta a quantidade estabelecida;
Dispõe a amostra de minério de ferro;
Promove a agitação da polpa;
Adiciona o depressor que e o amido
Deixa a amostra por um determinado tempo por agitação para o condicionamento do amigo;
Se mede o PH da polpa;
Adequa-se o PH da polpa em uso de solução em soda caustica para um PH igual a 10;
Ajustar o PH de reposição para 10;
Adiciona o coletor no caso a amina regulasse a vazão de ar;
Ajusta-se a frequência de agitação próximo a 1200 rpm;
regular a vazão de ar;
Coletar a espuma formada através do uso da paleta de coleta e dispô-la sobre um pote;
Repetir a coleta de espuma até a espuma acabar.
5. RESULTADOS