CONSEQÜÊNCIAS MORAIS DO CONCEITO DE MÁ FÉ EM JEAN PAUL SARTRE
242 pág.

CONSEQÜÊNCIAS MORAIS DO CONCEITO DE MÁ FÉ EM JEAN PAUL SARTRE


DisciplinaPsiclogia21 materiais67 seguidores
Pré-visualização50 páginas
PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL 
INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS 
CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FILOSOFIA 
 
 
 
CONSEQÜÊNCIAS MORAIS DO CONCEITO DE MÁ-FÉ EM JEAN-PAUL SARTRE 
 
 
 
FABIO CAPRIO LEITE DE CASTRO 
 
 
Professor Orientador: Dr. ERNILDO STEIN 
 
 
Dissertação submetida ao Curso de Pós-Graduação em Filosofia da Pontifícia 
Universidade Católica do Rio Grande do Sul como requisito para a obtenção 
do grau de Mestre em Filosofia. 
 
 
 
Porto Alegre, dezembro de 2005. 
 
3 
PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL 
INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS 
CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FILOSOFIA 
 
 
 
CONSEQÜÊNCIAS MORAIS DO CONCEITO DE MÁ-FÉ EM JEAN-PAUL SARTRE 
 
 
 
FABIO CAPRIO LEITE DE CASTRO 
 
 
Banca Examinadora: 
 
________________________________________________ 
Professor Orientador: Dr. ERNILDO STEIN 
 
__________________________________________________ 
Dr. RICARDO TIMM DE SOUZA 
 
 
__________________________________________________ 
Dr. JORGE ANTÔNIO TORRES MACHADO 
 
Porto Alegre, dezembro de 2005. 
 
 
4 
 
 
 
 
 
 
 
DEDICATÓRIA 
 
 
 
 
Aos meus pais e ao meu irmão. 
 
A Ernildo Stein e Ricardo Timm de Souza. 
 
Em homenagem ao centenário do nascimento de Jean-Paul Sartre em 21 de junho de 2005. 
 
 
 
 
 
 
 
5 
 
 
 
 
 
 
 
AGRADECIMENTO 
 
 
 
Agradeço a todos os professores, familiares e amigos que colaboraram direta ou 
indiretamente com o desenvolvimento da pesquisa, pelo companheirismo, pela 
compreensão e pelo apoio nessa caminhada. 
 
Agradeço à PUCRS e à CAPES. 
 
 
 
 
 
 
 
 
6 
 
 
 
 
 
 
 
RESUMO 
 
 
O conceito de má-fé, concebido por meio da ontologia fenomenológica sartriana, 
permite buscar um caminho em direção a uma filosofia moral da existência. Tomando-se as 
premissas ontológicas sobre o modo de ser do Para-si-para-outro, a liberdade é uma 
condenação existencial. Essa condição pode ser assumida na angústia ou encoberta na má-fé. 
Ao assumir a angústia, a consciência assume a sua liberdade em situação. Ao mascará-la, a 
consciência faz um esforço para Ser que se mostra na situação e, portanto, traz implicações 
para a Alteridade. A fim de aprofundar os reflexos que a conduta de má-fé apresenta na relação 
com o outro, a obra sartriana é tomada em todo o seu conjunto. Com isso, torna-se possível 
identificar as condutas de má-fé e descrever paradigmas de condutas inautênticas. Embora 
Sartre não tenha elaborado filosoficamente uma resposta sobre as conseqüências morais da má-
fé, há no conjunto de sua obra elementos que permitem esclarecer o problema. A conduta 
autêntica coloca como fim a liberdade em situação frente ao outro. Justamente porque a má-fé 
tem conseqüências morais que a autenticidade deve ser preferida e buscada por meio da 
conversão moral. 
Palavras-chave: moral; liberdade, má-fé, alteridade. 
 
 
 
 
7 
 
 
 
 
 
 
 
RESUME 
 
 
Le concept de la mauvaise foi, conçu par le moyen de l\u2019ontologie 
phénoménologique sartrienne, permet de chercher un chemin vers une philosophie morale de 
l\u2019existence. En prenant les prémisses ontologiques sur le mode d\u2019être du Pour-soi-pour-autrui, 
la liberté est une condamnation existencielle. Cette condition peut être assumée dans l\u2019angoisse 
ou cachée dans la mauvaise foi. En assumant l\u2019angoisse, la consciensce assume sa liberté en 
situation. En la masquant, la conscience fait un effort pour Être qui se montre dans la situation 
et donc porte implications vers l\u2019Alterité. Afin d\u2019approfondir les reflexes que la conduite de 
mauvaise foi présente dans le rapport à l\u2019autre, l\u2019oeuvre sartrienne est saisie dans son 
ensemble. Comme ça, il revient possible identifier des conduites de mauvaise foi et descrire 
les paradigmes des conduites inauthentiques. Quoique Sartre n\u2019ait pas élaboré 
philosophiquement une réponse sur les conséquences morales de la mauvaise foi, il y a dans 
l\u2019ensemble de son oeuvre des éléments qui permettent éclairer le problème. La conduite 
authentique met comme fin la liberté en situation devant l\u2019autre. Justement parce que la 
mauvaise foi a conséquences morales que l\u2019authenticité doit être préféré e cherché par le 
moyen de la conversion morale. 
Mots-clés: morale; liberté, mauvaise foi, alterité. 
 
 
8 
 
 
 
 
 
 
 
SUMÁRIO 
 
INTRODUÇÃO ............................................................................................................... 11 
 
1) CONTEXTO FILOSÓFICO DO SURGIMENTO DO CONCEITO DE MÁ-FÉ ...... 16 
1.1) Introdução à Filosofia Existencial Sartriana .................................................... 16 
1.2) O Conceito Existencial de Liberdade e o Conceito de Situação ...................... 25 
1.3) O Irrefletido e o Cogito Pré-reflexivo .............................................................. 35 
1.4) O Em-si e o Para-si-para-outro ........................................................................ 47 
1.5) As Atitudes Fundamentais para com a Alteridade ........................................... 55 
 
2) POSSIBILIDADE DA MÁ-FÉ .................................................................................... 65 
2.1) O Conceito da Conduta de Má-fé ..................................................................... 65 
2.1.1) Má-fé e Mentira .................................................................................... 73 
2.1.2) \u201cFé\u201d da Má-fé ....................................................................................... 78 
2.2) Angústia Frente à Liberdade ............................................................................. 87 
2.3) Ignorância como Negação da Verdade da Liberdade em Situação ................... 100 
 
 
3) EXPLICITAÇÃO DAS CONDUTAS DE MÁ-FÉ NA OBRA DE 
JEAN-PAUL SARTRE ..................................................................................................... 110 
 
9 
3.1) Incursão nas Múltiplas Formas de Abordagem da Má-fé ................................. 110 
3.2) As Condutas de Má-fé ...................................................................................... 121 
3.2.1) A Auto-definição Reflexiva .................................................................. 121 
3.2.2) A Sinceridade ........................................................................................ 124 
3.2.3) A Protelação das Decisões .................................................................... 127 
3.2.4) A Imaginação e o Sonho ....................................................................... 132 
3.2.5) A Ignorância e a Inocência .................................................................... 137 
3.2.6) Fuga pela Arte ....................................................................................... 139 
3.2.7) A Mentira de Má-fé ............................................................................... 147 
3.2.8) A Súplica, a Exigência e o Chamado ..................................................... 149 
3.2.9) A Tortura ................................................................................................ 157 
3.2.10) O Racismo ............................................................................................ 161 
3.2.11) A Projeção ............................................................................................