Lista de exercícios Macroeconomia-1
13 pág.

Lista de exercícios Macroeconomia-1


Disciplina<strong>mar</strong>9 materiais1 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Universidade Federal do Ceará
Faculdade de Economia, Administração, Atuária, Contabilidade e Secretariado
Departamento de Teoria Econômica
Disciplina: Macroeconomia I
Período: 2018.2
Professor: Marcelo Callado
Monitor: Marlon Domingos 
De acordo com a Teoria Quantitativa da Moeda, uma ampliação da quantidade de moeda na economia tem como efeito uma:
Elevação do produto real do sistema.
Queda da taxa de juros.
Elevação do produto nominal da economia.
Queda nos preços.
Elevação dos Salários Reais.
No modelo clássico de determinação do emprego é incorreto afirmar que uma elevação do Produto Marginal do trabalho tem como efeito sobre a economia:
Elevar a demanda por trabalho.
Elevar o salário real do sistema.
Ampliar o nível de emprego do sistema.
Ampliar o nível de produção da economia.
Ampliar a oferta de trabalho.
De acordo com o modelo clássico de determinação da renda:
O Produto Marginal do trabalho é igual ao salário nominal.
O Produto Marginal do trabalho e o Valor do Produto Marginal do trabalho são iguais.
O salário real é igual ao Produto Marginal do trabalho.
Quanto maior o Produto Marginal do trabalho, maior o nível de preços.
Quanto menor o Produto Marginal do trabalho, maior o nível de preços.
De acordo com a Teoria Quantitativa da Moeda:
A velocidade-renda de circulação da moeda é uma função direta da renda.
Quanto maior a quantidade de moeda, para uma dada velocidade-renda de circulação, maior o nível de preços do sistema.
A velocidade-renda de circulação da moeda é uma função direta do nível de preços.
A velocidade-renda de circulação da moeda é nula.
Quanto menor a quantidade de moeda, maior a velocidade-renda de circulação.
Para uma economia em pleno emprego:
Elevações nos meios de pagamento geram apenas ampliações nos preços.
Elevações nos meios de pagamento ampliam a demanda agregada e, portanto, a renda de equilíbrio.
Ampliações nos preços promovem elevações nos meios de pagamento.
A velocidade-renda de circulação é igual à taxa de crescimento do produto potencial.
O desemprego voluntário é nulo.
Considere as seguintes informações:
C = 100 + 0,7Y
I = 200
G = 50
X = 200
M = 100 + 0,2Y
Onde C = consumo agregado; I = investimento agregado; G = gastos do governo; X = exportações; M = importações. Com base nessas informações, a renda de equilíbrio e o valor do multiplicador são, respectivamente:
900 e 2
1.050 e 1,35
1.000 e 1,5
1.100 e 2
1.150 e 1,7
Com os dados a seguir, responda à questão referida:
C = 15 + 0,8Yd
I = 5 + 0,1Y
T = 2 + 0,1Y
G = 15
X = 20
M = 15,4 + 0,2Y
O nível de renda de equilíbrio é de:
200
100
94
87,5
172,7
Considere as seguintes informações para uma economia fechada e com governo:
Y = 1.200
C = 100 + 0,7Y
I = 200
Onde: Y = produto agregado; C = consumo agregado; e I = investimento agregado. Com base nessas informações, pode-se afirmar que, considerando o Modelo Keynesiano Simplificado, para que a autoridade econômica consiga um aumento de 10% no produto agregado, os gastos do governo terão que sofrer um aumento de:
60%
30%
20%
10%
8%
Conhecidas para uma economia fechada e sem governo (e supondo que não haja lucros retidos pela empresa:
Função Poupança:
S = \u2013 10 + 0,2Yd, onde Yd é igual à renda pessoal disponível.
Função Investimento:
I = 20 + 0,1Y, onde Y é igual à renda (produto) nacional.
Assinale a alternativa correta:
O nível de equilíbrio do produto é aproximadamente 14,3.
A função consumo é C = 10 + 0,2 Yd.
É impossível calcular o produto de equilíbrio, pois não foi dada a renda pessoal disponível.
O nível de equilíbrio de produto é $ 300.
O multiplicador dos investimentos é aleatório.
Suponha uma economia caracterizada pelas seguintes relações:
C = 200 + 0,8 Yd
I = 300
T = 0,1Y
M = 0,2 Yd
G = 240
X = 180
Onde: Y = renda total; Yd = a renda disponível; C = consumo; I = investimento; G = gastos do governo; X = exportações; M = importações; T = impostos.
Indique quais das afirmativas a seguir a respeito dessa economia são verdadeiras e quais são falsas:
O valor de equilíbrio da renda é de $ 1.500.
O saldo comercial apresenta um déficit de $ 180.
O orçamento do governo apresenta um superávit de $ 40.
Um aumento do gasto governamental no valor de $ 92 levará a uma piora das contas do governo da ordem de $ 72 e uma piora do saldo comercial da ordem de $ 36.
Um aumento das exportações de $ 92 levará a uma melhora das contas do governo da ordem de $ 20.
Considere uma economia descrita pelas seguintes equações:
C = 15 + 0,8 Yd
G = 20
I = 7 \u2013 20i + 0,2Y
T = 0,25Y
Onde: C = o consumo agregado; Y = a renda; Yd = a renda disponível; I = o investimento privado; i = a taxa de juros; T = a arrecadação; e G = os gastos do governo. Supondo que a taxa de juros seja de 10% (i = 0,1), determine o valor da poupança privada.
Considere uma economia definida pelas seguintes relações:
C = 200 + 0,8 Yd
T = 0,25Y
I = 200 \u2013 1.000i
G = 100
M = 0,1Y
X = 200
Considerando também uma taxa de juros de 10%:
A renda de equilíbrio é igual a 1.500.
Uma queda para 5% na taxa de juros eleva a renda em 125.
Um aumento das exportações em 50 melhora as contas públicas na mesma magnitude.
Um aumento de 50 nos gastos públicos piora o saldo orçamentário em 25.
Um aumento das exportações não tem qualquer impacto sobre as importações.
Duas economias A e B apresentam os seguintes dados:
Economia A: Propensão marginal a consumir: 0,8; Propensão marginal a tributar: 0,1
Economia B: Propensão marginal a consumir: 0,8; Propensão marginal a tributar: 0,25
Analise qual o impacto de uma elevação dos gastos do governo em $ 100 para as economias A e B de acordo com o Modelo Keynesiano Simples de Determinação da Renda. Comente os resultados.
Para a economia B do exercício anterior, analise qual o impacto de uma ampliação de $ 100 nas transferências para o setor privado.
Para uma economia hipotética são dados:
Renda inicial (Y) = $ 1000
Propensão marginal a tributar (t) = 0,25
Gasto do governo (G) = 50
Transferências (Tr) = 50
Propensão marginal a consumir = 0,8
Qual o resultado do superávit do governo (BS)?
Qual o resultado de um aumento dos gastos do governo de $ 100 sobre o nível de renda e sobre as contas do governo.
As equações a seguir definem uma hipotética economia fechada:
C = 60 + 0,75Yd
I = 120
G = 100
T = 10 + 0,27Y
Onde: Yd = renda disponível ou Y \u2013 T.
Aplicando os conceitos do Modelo Keynesiano Simples, o valor dos multiplicadores do investimento e dos gastos do governo serão, aproximadamente, iguais a:
2,2 e 1,3, respectivamente, sendo a renda de equilíbrio igual a 272,5 unidades monetárias.
1,3 e 2,2, respectivamente, sendo a renda de equilíbrio igual a 272,5 unidades monetárias.
1,3, sendo a renda de equilíbrio igual a 272,5 unidades monetárias.
1,3, sendo a renda de equilíbrio igual a, aproximadamente, 602 unidades monetárias.
2,2, sendo a renda de equilíbrio igual a, aproximadamente, 602 unidades monetárias.
Considere:
C = 100 + 0,8Y
I = 300
G = 100
X = 100
M = 50 + 0,6Y
Onde:
C = consumo agregado; I = investimento agregado; G = gastos do governo; X = exportações; e M = importações.
Supondo um aumento de 50% nos gastos do governo, pode-se afirmar que a renda de equilíbrio sofrerá um incremento de, aproximadamente:
9,1%
15,2%
60,1%
55,2%
7,8%
Em uma economia, a propensão marginal a consumir é igual a 0,8% e a propensão marginal a importar é igual a 0,2%. Um aumento das exportações de R$ 100 fará com que a renda nacional aumente:
100
150
200
250
300
Segundo o Modelo Keynesiano Simplificado (economia fechada e com governo), o multiplicador do investimento será tão mais elevado quanto:
Maior o consumo autônomo.
Maior o salário real.
Maior a propensão marginal a consumir.
Maior a propensão marginal a poupar.
Menor a taxa de juros.
Sobre o modelo de determinação do nível de renda nacional, não é correto afirmar que:
Se a diferença entre a Renda Nacional de pleno emprego superar a