Casos Concretos Processo Civil III
5 pág.

Casos Concretos Processo Civil III


Disciplina<strong>pr</strong>21 materiais
Pré-visualização3 páginas
CASO CONCRETO 1 
A data da sessão de julgamento da apelação interposta por Manoel Carlos foi devidamente publicada no Diário Oficial. Diante do alto número de recursos pautados para serem julgados, o julgamento da apelação de Manoel foi transferida para sessão do dia seguinte. Após o julgamento desfavorável do respectivo recurso, o advogado de Manoel requereu a nulidade d o julgamento vez que não foi intimado e que o recurso não poderia ter sido julgado no dia posterior à data previamente designada. Assiste razão ao patrono de Manoel? 
R- No caso concreto, a Apelação não pode ser julgada na sessão do dia e por isso foi transferida para a próxima sessão do dia seguinte, sem a necessidade de aguardar o prazo de 05 dias. Sendo assim, não assiste razão ao patrono de Manoel;
	CASO CONCRETO 2
João ingressou com uma ação de reintegração de posse em face de Valdomiro visando obter a retomada de seu imóvel como também a indenização por perdas e danos. A pretensão foi acolhida em parte p elo juízo tão somente para determinar a reintegração do autor na posse do imóvel. O autor interpõe recurso de apelação para o respectivo Tribunal de Justiça visando obter a indenização por perdas e danos, o que foi negado pela Câmara que apreciou o recurso. O recorrente, diante da omissão do colegiado acerca d e pontos relevantes abordados no recurso, apresenta pedido de reconsideração no prazo de 15 dias, que foi rejeitado imediatamente pelo relator. Diante do caso indaga-se? 
a) O pedido de reconsideração possui natureza recursal? 
Não, o pedido de reconsideração tem natureza de sucedâneo recursal, ou seja, apesar de possuir as mesmas finalidades não está indicado na lei como um recurso. 
b) Poderia o relator aplicar o princípio da fungibilidade recursal nesse caso? 
Não, pois não se trata de um recurso. 
CASO CONCRETO 3
Marcos Antônio ingressou com um a ação declaratória em face do plano de saúde Vida Saudável, responsável por atender importante parcela da população brasileira, visando obter reconhecimento da abusividade de determinada cláusula que impede o tratamento de pacientes com doenças infectocontagiosas. Di ante da repercussão social do julgado, a associação de portadores de HIV solicitou seu ingresso com o amicus curiae, o que foi prontamente autorizado pelo juiz da causa. Di ante do caso indaga-se: 
 
a) Poderá a associação atuar com o se parte fosse? 
 
R: Em regra não, exceto nas hipóteses d o § 3º do art. 138, CPC .
CASO CONCRETO 4
Carlos ingressou com uma ação indenizatória em face da Construtora JSP com o objetivo de obter indenização pela demora na entrega de seu imóvel. Após a citação, constatou-se que a construtora encerrou suas atividades irregularmente, o que motivou o autor a requerer a desconsideração da personalidade jurídica, que foi indeferido de plano pelo juiz. Terminada a instrução, o juiz condenou a construtora a indenizar ao autor no valor d e R $10.000,00, devidamente atualizado e com juros legais. Ir resignado com a sentença o autor interpôs recurso de apelação visando reformar a decisão interlocutória que indeferiu a desconsideração da personalidade como também aumentar o valor fixado a título de indenização. Diante do caso indaga-se: 
a) A apelação de Carlos foi formulada adequadamente? 
Não, pois em casos d e Decisão Interlocutória sobre incidente de desconsideração da personalidade jurídica, o recurso cabível é o Agravo d e Instrumento, inteligência do artigo 1.015, IV do NCPC; 
b) O juiz sentenciante poderá inadmitir o recurso de Carlos? 
Com o Novo CPC o Juiz sentenciante após as formalidades indicadas nos parágrafos 1º e 2º do art. 1010 determina a remessa dos autos ao tribunal, não mais exercendo juízo de admissibilidade, conforme p.3º do art. 1010. 
CASO CONCRETO 5
Rafael e José impetraram Mandado de Segurança em face do Município visando obter a reintegração na Guarda Municipal, considerando que foram exonerados arbitrariam ente por abuso de poder da municipalidade. juiz excluiu José sob o fundamento de que , na hipótese, não cabe litisconsórcio. José interpôs agravo de instrumento que, após a devida distribuição, foi inadmitido sob o fundamento de que contra a referida decisão o recurso cabível é a apelação. Agiu adequadamente o Relator ? 
 
R: Não. Pois segundo o art 1015 VII do CPC, onde se diz que caberá agravo de instrumento no c as o de exclusão de litisconsorte. Para impugnar decisões interlocutórias, c abe o agravo de instrumento e não apelação, por não s e tratar de sentença. E mesmo que houvesse divergência, ele não poderia inadmitir, ele deveria aceitar e converter em apelação, com fundamento no princípio da fungibilidade
CASO CONCRETO 6
Marcia ingressou com uma ação de revisão de cláusulas contratuais em face da Editora Encanto no I Juizado Especial da Comarca de Salvador. Após a realização da audiência de instrução e julgamento o juiz proferiu sentença julgando procedente o pedido da autora. A ré opôs embargos de declaração, sob o argumento de que houve erro material e omissão no julgado, no prazo legal, sendo este rejeitado pelo julgador. Após a publicação da decisão que julgou os embargos a empresa embargante interpôs recurso inominado no prazo de 10 dias. O recurso foi inadmitido pelo juiz por intempestividade, considerando a regra disposta no art. 50 da Lei nº 9.099/95. Agiu adequadamente o juiz? 
R- A decisão do magistrado está equivocada; O NCPC alinhou a interrupção também para os Juizados Especiais Cíveis conforme a regra do art. 1065 e com isso a parte ainda está no prazo para propor o recurso. 
CASO CONCRETO 7
Determinado Tribunal Regional Federal confirmou a sentença proferida por juízo federal no sentido de negar a equiparação de soldos entre militares das forças armadas. Inconformado, o recorrente interpôs recurso extraordinário, que foi encaminhado ao Supremo Tribunal Federal. O Ministro Relator entendeu que a violação ao texto constitucional era reflexa, por necessitar de revisão de lei federal, e inadmitiu o recurso extraordinário. Agiu adequadamente o relator? 
R- O relator deveria remeter os autos ao STJ para que fosse examinada a questão Federal conforme art. 1033 NCPC. 
CASO CONCRETO 8
Diante da multiplicidade de recursos especiais com fundamento em idêntica questão de direito em face da União, o Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná selecionou dois recursos representativos da controvérsia e encaminhou para o Superior Tribunal de Justiça para o julgamento repetitivo. O relator no STJ determinou a suspensão de todos os processos afetados pendentes em tramitação no território nacional. Diante dessa circunstância indaga-se: 
a) Em relação aos processos suspensos em todo território nacional, é possível a desistência da ação? Em que fase processual? 
 
Sim, conforme art. 1040, § 1° do CPC, é possível a desistência quando o processo esta suspensos, discorrendo que, antes da citação do réu, a desistência é livre, após a citação somente com anuência do réu e após o saneamento não poderá haver a desistência; 
b) Caso a parte identifique que a controvérsia estabelecida no julgamento repetitivo diverge da controvérsia existente em seu processo, como deverá proceder? 
Deverá fazer um requerimento demonstrando a distinção e solicitando o prosseguimento da demanda. art. 1037.
CASO CONCRETO 9
Antônio Silva, funcionário público, ajuizou ação em face do município de Jacarezinho, alegando que o Plano de Cargos e Salários de sua categoria profissional, estabelece