Paulo Nader   Vol. 1   Curso de Direito Civil   2016
50 pág.

Paulo Nader Vol. 1 Curso de Direito Civil 2016


DisciplinaDireito Civil I49.927 materiais579.423 seguidores
Pré-visualização50 páginas
A EDITORA FORENSE se responsabiliza pelos vícios do produto no que concerne
à sua edição (impressão e apresentação a fim de possibilitar ao consumidor bem
manuseá-lo e lê-lo). Nem a editora nem o autor assumem qualquer
responsabilidade por eventuais danos ou perdas a pessoa ou bens, decorrentes do
uso da presente obra.

Todos os direitos reservados. Nos termos da Lei que resguarda os direitos
autorais, é proibida a reprodução total ou parcial de qualquer forma ou por
qualquer meio, eletrônico ou mecânico, inclusive através de processos
xerográficos, fotocópia e gravação, sem permissão por escrito do autor e do editor.

Impresso no Brasil \u2013 Printed in Brazil

\u25a0Direitos exclusivos para o Brasil na língua portuguesa
Copyright © 2016 by
EDITORA FORENSE LTDA.
Uma editora integrante do GEN | Grupo Editorial Nacional
Travessa do Ouvidor, 11 \u2013 Térreo e 6º andar \u2013 20040-040 \u2013 Rio de Janeiro \u2013 RJ
Tel.: (21) 3543-0770 \u2013 Fax: (21) 3543-0896
faleconosco@grupogen.com.br | www.grupogen.com.br

\u25a0O titular cuja obra seja fraudulentamente reproduzida, divulgada ou de qualquer
forma utilizada poderá requerer a apreensão dos exemplares reproduzidos ou a
suspensão da divulgação, sem prejuízo da indenização cabível (art. 102 da Lei n.
9.610, de 19.02.1998).
Quem vender, expuser à venda, ocultar, adquirir, distribuir, tiver em depósito ou
utilizar obra ou fonograma reproduzidos com fraude, com a finalidade de vender,
obter ganho, vantagem, proveito, lucro direto ou indireto, para si ou para outrem,
será solidariamente responsável com o contrafator, nos termos dos artigos
precedentes, respondendo como contrafatores o importador e o distribuidor em
caso de reprodução no exterior (art. 104 da Lei n. 9.610/98).

1ª edição \u2013 2003 / 2ª edição \u2013 2004 / 3ª edição \u2013 2006 / 4ª edição \u2013 2007 / 5ª

edição \u2013 2008 / 5ª edição \u2013 2008 \u2013 2ª tiragem / 5ª edição \u2013 2008 \u2013 3ª tiragem / 6ª
edição \u2013 2009 / 7ª edição \u2013 2010 / 8ª edição \u2013 2012 / 9ª edição \u2013 2013 / 10ª edição
\u2013 2016

\u25a0Capa: Danilo Oliveira
Produção digital: Geethik

\u25a0Fechamento desta edição: 15.02.2016

\u25a0CIP \u2013 Brasil. Catalogação na fonte.
Sindicato Nacional dos Editores de Livros, RJ.

N13c

Nader, Paulo

Curso de direito civil, parte geral \u2013 vol. 1 / Paulo Nader \u2013 10.ª ed. rev. e atual. \u2013 Rio de
Janeiro: Forense, 2016.

Inclui bibliografia
ISBN 978-85-309-6992-9

1. Direito civil. I. Título

02-1981 CDU 347

À memória de Luíza Moysés Nader e Pedro Antônio Nader, meus pais \u2013

presença moral que me revela caminhos, mas não faz desaparecer a

imensa saudade

Nota da Editora: o Acordo Ortográfico foi aplicado integralmente nesta obra.

ÍNDICE SISTEMÁTICO
O autor e a obra

Nota do autor

Parte 1

O DIREITO CIVIL NA ORDEM JURÍDICA

CAPÍTULO 1 \u2013NOTAS INTRODUTÓRIAS AO DIREITO CIVIL

1.Objeto e importância do Direito Civil

2.O Direito, a Moral e outras esferas normativas

2.1.As várias esferas normativas

2.2.O plano da Moral e a ótica do Direito

2.3.A presença da Religião e das Regras de Trato Social

2.4.A nota distintiva do Direito

2.5.A mútua influência entre as esferas normativas

3.A visão integral do Direito

4.As noções de Direito Positivo e Direito Natural

4.1.Instrumentalidade do conceito do Direito

4.2.O vocábulo Direito

4.3.Direito Positivo e Ciência do Direito

4.4.Direito Natural

5.Direito Objetivo, Direito Subjetivo e Dever Jurídico

5.1.Considerações prévias

5.2.Direito objetivo

5.3.Direito subjetivo

5.4.Relação entre o Direito objetivo e o subjetivo

5.5.Faculdade jurídica

5.6.Dever jurídico

6.Direito Público e Direito Privado

6.1.A maior divisão do Jus Positum

6.2.As teorias diferenciadoras

6.3.O dualismo e a classificação dos principais ramos da árvore jurídica

7.A ordem jurídica

7.1.O conceito

7.2.A missão dos juristas

8.Origens do Direito Civil

8.1.Considerações gerais

8.2.O Direito português

8.3.O Direito Romano como fonte do Direito Ocidental

9.Direito Civil e Código Civil

10.Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro e o Código Civil

11.O Direito Civil como ciência e técnica. O belo no Direito

11.1.Como ciência

11.2.Como técnica

11.3.Como estética

\u25a0Revisão do Capítulo

CAPÍTULO 2 \u2013A CODIFICAÇÃO DO DIREITO CIVIL

12.Modernas técnicas de condensação do Direito: Código e Consolidação

12.1.As primeiras formas de expressão do Direito

12.2.O conceito atual de código

12.3.Caracteres do código

12.4.A técnica legislativa

12.5.A linguagem do código

12.6.A consolidação

13.O Código Napoleão e o Codicismo

13.1.A era da codificação

13.2.A influência do Código Napoleão no Mundo Ocidental

14.Vantagens e desvantagens do Código na visão da Escola Histórica

15.As primeiras tentativas de codificação e o Código Civil de 1916

15.1.A criação dos cursos jurídicos

15.2.O Esboço de Teixeira de Freitas

15.3.Outras tentativas de codificação

15.4.O Anteprojeto de Clóvis Beviláqua

15.5.O Código Civil de 1916

16.O Código Civil de 2002 e seus antecedentes históricos

16.1.Antecedentes históricos

16.2.A Comissão Elaboradora do Anteprojeto do Código Civil de 2002 e sua

orientação básica

16.3.Princípios filosóficos do Código Civil de 2002

16.4.A fase legislativa e as críticas ao Projeto

16.5.A atuação de Miguel Reale

\u25a0Revisão do Capítulo

CAPÍTULO 3 \u2013FONTES DO DIREITO E NORMA JURÍDICA

17.O sistema de tradição romano-germânica

18.Lei, medida provisória e decreto

18.1.Lei ordinária ou em sentido próprio

18.2.Nomogênese da lei e tridimensionalidade

18.3.O Processo Legislativo

18.4.Ignorância da lei

18.5.Lei delegada

18.6.Medidas provisórias

18.7.Decretos

18.8.Emendas constitucionais e leis complementares

18.9.Vigência, revogação e repristinação

18.10.Efetividade, eficácia e legitimidade da lei

19.Direito consuetudinário e historicismo

19.1.Características do costume jurídico

19.2.A norma costumeira é espontânea?

19.3.Leis da inércia e da imitação

19.4.O caráter supletivo da norma costumeira

19.5.Elementos do costume jurídico

19.6.Espécies de costume

19.6.1.Consuetudo abrogatoria

19.6.2.Desuetudo

19.7.Historicismo

20.Normas jurídicas e normativismo

20.1.Conceito de norma e seu paralelo com a lei

20.2.Estrutura lógica da norma jurídica

20.3.Características da norma jurídica

20.3.1.Bilateralidade

20.3.2.Abstratividade

20.3.3.Generalidade

20.3.4.Imperatividade

20.3.5.Coercibilidade

20.4.Classificação das normas jurídicas

20.4.1.A hierarquia das normas jurídicas

20.4.2.Normas cogentes e dispositivas

20.4.3.Classificação das normas jurídicas quanto à fonte

20.4.4.Normas substantivas e adjetivas

20.4.5.Quanto à sanção

20.4.6.Quanto à natureza do comando

20.4.7.Quanto ao nexo de complementação

20.4.8.Normas nacionais, estrangeiras e de Direito uniforme

20.4.9.Normas implícitas e explícitas

20.4.10.Quanto à flexibilidade

20.4.11.Quanto à inteligibilidade

20.4.12.Quanto à abstratividade ou poder do juiz

20.5.Instituto jurídico

20.6.Sistema jurídico

20.7.Normativismo

\u25a0Revisão do Capítulo

CAPÍTULO 4 \u2013INTEGRAÇÃO DO DIREITO: ANALOGIA E
PRINCÍPIOS GERAIS DE DIREITO. A EQUIDADE

21.Lacunas da lei e o postulado da plenitude da ordem jurídica

21.1.Observações preliminares

21.2.Lacunas da lei

21.3.O postulado da plenitude da ordem jurídica

22.Integração do Direito

22.1.Conceito de integração do Direito

22.2.Espécies de integração do Direito

23.Analogia e suas espécies

23.1.Conceito de analogia legal

23.2.Analogia legal e a chamada analogia jurídica

23.3.O processo analógico

23.4.Aplicação da analogia e previsão do sistema