Instrumentação Biomédica 3º sem. Aula 5.2   Bioquímica Clínica Aplicada ao Laboratório
53 pág.

Instrumentação Biomédica 3º sem. Aula 5.2 Bioquímica Clínica Aplicada ao Laboratório


DisciplinaPrincípios de Instrumentação Biomédica3 materiais38 seguidores
Pré-visualização2 páginas
INSTRUMENTAÇÃO 
BIOMÉDICA 
Bioquímica Clínica aplicada ao 
laboratório 
Prof. Jannison Ribeiro 
Principais Exames Bioquímicos 
\u2022 Glicemia; 
\u2022 Hemoglobina Glicosilada; 
\u2022 Frutosamina; 
\u2022 Prova de Função Renal; 
\u2022 Ácido Úrico; 
\u2022 Proteinograma; 
 
 
\u2022 Eletroforese de Proteínas; 
\u2022 Perfil Lipídico; 
\u2022 Perfil Hepático; 
\u2022 Perfil Pancreático; 
\u2022 Perfil Cardíaco; 
\u2022 Perfil Muscular; 
\u2022 Eletrólitos. 
 
 
PACIENTE: 
\uf0fc Jejum 8 horas; 
\uf0fc Paciente diabético: não fazer uso de 
hipoglicemiantes (oral/insulina) antes do 
exame. 
 
AMOSTRA: 
\uf0fc Soro, Plasma, Urina e LCR; 
\uf0fc OBS Importantes: 
\uf0fc LCR: Centrifugar e analisar material com certa presteza; 
 
\uf0fc Urina 24h: Conservação com ácido acético glacial, manter sob 
refrigeração (Diminuição de até 40% concentração de glicose a 
temp. ambiente!) 
 
\uf0fc Plasma/Soro: Separar em até 30 minutos plasma/soro 
(processamento rápido); Estável por 3 dias se material for 
corretamente coletado (Fluoreto sódio/Iodoacetato de sódio). 
 
INTERFERENTES AMOSTRAIS: 
\uf0fc Valores Falsamente elevados: 
\u2022 Paracetamol, AAS, Ácido ascórbico, 
Esteroides anabólicos, Glicocorticóides. 
\uf0fc Valores Falsamente Reduzidos: 
\u2022 Álcool, Metformina, Haloperidol, 
hipoglicemiantes orais, insulina, 
sulfonamidas. 
MÉTODOS: 
\uf0fc O-toluidina (Desuso \uf0e0 Tóxico); 
\uf0fc Métodos enzimáticos: 
\uf0fc Amplamente utilizados; 
\uf0fc Utilizam kits enzimáticos altamente específicos e reprodutíveis; 
\uf0fc Quantidade reduzida de amostra. 
\uf0fc Mais comumente utilizados \uf0e0 Hexoquinase, Glicose-Oxidase e 
Glicose-desidrogenase. 
 
\u2022 Avalia o metabolismo dos carboidratos; 
\u2022 Exames mais solicitados: 
 
1. Glicemia em Jejum (8h): 
\uf0fc Avalia os níveis glicêmicos após período de privação alimentar; 
 
 2. Glicemia TOTG/pós-prandial: 
\uf0fc Avalia os níveis glicêmicos antes e após sobrecarga; 
\u2022 Diabetes melitus Tipo 1; 
\u2022 Diabetes melitus Tipo 2; 
\u2022 Outros tipos de Diabetes; 
\uf0fc Defeitos genéticos; 
\uf0fc Pancreopatias; 
\uf0fc Endocrinopatias; 
\uf0fc Drogas ou agentes químicos. 
\u2022 Diabetes Gestacional. 
1. Neoplasias (Insulinoma, Abdominais) ; 
2. Superdosagem de insulina no diabético; 
3. Alterações hormonais (HGH e Cortisol); 
4. Privação prolongada de carboidratos; 
5. Alcoolismo; 
6. Alimentar (cirurgia gástrica); 
7. Diabética (DM subclínico/inicial tipo II); 
 
SEMELHANTE AO DIABETES TIPO 2; 
FATORES DE RISCO: 
\uf0fc Idade acima de 25 anos; 
\uf0fc Obesidade; 
\uf0fc Histórico familiar de Diabetes; 
\uf0fc Crescimento fetal excessivo; 
\uf0fc Antecedentes de morte fetal ou pré-
eclâmpsia. 
 
 
TRATAMENTO: 
\uf0fc Planejamento alimentar; 
\uf0fc Atividade Física; 
\uf0fc Administração de insulina; 
 
 
 
EXAMES: 
\uf0fc Acompanhamento níveis glicêmicos; 
\uf0fc Curva glicêmica; 
\uf0fc Frutosamina. 
 
\u2022 Muito útil para o acompanhamento clínico do Diabético! 
\u2022 Avalia os controles dos índices glicêmicos até 2 meses antes (Controle da 
ingesta de açúcar pelo paciente) não apenas no momento da dosagem! 
\u2022 Maior seguraça na prescrição do esquema profilático para os médicos; 
\u2022 VR: 4,3 \u2013 5,7 % (Sadias); < 7% (Desejável Diabético) 
 
\u2022 Semelhante a hemoglobina glicosilada (acompanhamento do Diabético); 
\u2022 Avalia os níveis metabólicos do controle glicêmico de 2 a 3 semanas 
anteriores ao teste; 
\u2022 VR: 205 \u2013 285 µmol/L. 
\u2022 Avalia principalmente a função renal; 
 
\u2022 É sintetizada no fígado a partir do 
catabolismo das proteínas, e, excretado 
pelos rins; 
 
\u2022 Pode ser avaliada no soro e em outros 
líquidos biológicos (urina); 
 VR uréia (soro): 15 a 40 mg/dL 
 VR uréia (urina): 26 a 43 g/24h 
1. UREMIA PRÉ-RENAL: 
Ins.Cardíaca Congestiva grave, hemorragias, dieta 
rica em Proteínas,febre, hemorragia gastrintestinal 
maciça, etc. 
 
2. UREMIA RENAL 
Doença renal aguda ou crônica (Glomérulo nefrite). 
 
3. UREMIA PÓS-RENAL 
Obstruções do trato urinário (cálculos). 
 
VALORES DIMINUÍDOS DE URÉIA 
\u2022 Hepatopatia grave 
Avalia principalmente a função renal; 
 
\u2022 Derivado da desfosforilação da creatina-P no 
músculo, e, excretada pelos rins; 
 
\u2022 Pode ser avaliada no soro e em outros 
líquidos biológicos (urina); 
 
VR creatinina (soro): 
0,4 a 1,3 mg/dL 
VR creatinina (urina): 
21-26 mg/Kg/24h (Homens) 
16-22 mg/Kg/24h (Mulheres) 
1. HIPERCREATINEMIA PRÉ-RENAL: 
Doenças e lesões musculares, acidose 
diabética, uso excessivo de diuréticos, 
ICC, etc. 
 
2. HIPERCREATINEMIA RENAL: 
Doença renais (lesões glomerulares e 
tubulares). 
 
3. HIPERCREATINEMIA PÓS-RENAL: 
Obstruções do trato urinário (hipertrofia 
prostática e compressões dos ureteres). 
 
Teores diminuídos: sem significado 
clínico. 
\u2022 Avalia não só a função renal, mas várias 
outras condições patológicas, como a 
gota; 
 
\u2022 É um composto derivado do catabolismo 
das purinas (adenina e guanina); 
 
\u2022 Esta diretamente associado a dieta, sexo, 
 obesidade e classe social; 
 
 VR ácido úrico (soro) : 
 2,5 a 7,0mg/dL; (Homens) 
 1,5 a 6,0 mg/dL (Mulheres) 
Avaliam as principais proteínas séricas que podem ser afetadas por vários 
processos patológicos; 
 
\u2022 A albumina avalia o estado nutricional e a função hepática (Reserva 
protéica do corpo); 
 
\u2022 As globulinas avaliam processos agudos, crônicos e neoplásicos 
(Responsivas aos estados patológicos); 
Kwashiorkor 
Normal Infecção Crônica 
Desnutrição 
Mieloma Múltiplo 
Hemoglobina A 95% - 98 % 
Hemoglobina A2 2 % a 3% 
Hemoglobina F Menos 2% 
Tipos Anormais de Hb ------------------------ 
PERCENTUAL NORMAL DO TOTAL DE HB 
95 % - 98% 
2% - 3% Anemia 
Falciforme (SS) 
Fetal (AF) 
Talassemia (AS) 
MÓDULO 
HEMATOLOGIA..... 
\u2022 A determinação de triglicérides é significativa no reconhecimento e 
tratamento das hiperlipoproteinemias; 
 
\u2022 Constituem as principais frações dos quilomícrons, das VLDL e pequena 
parte das IDL presentes no plasma sanguíneo; 
1. Hipertrigliceridemia familiar; 
2. Obesidade; 
3. Doenças cardiovasculares; 
4. Hepatopatias colestáticas crônicas; 
5. Síndrome nefrótica; 
6. Alcoolismo; 
7. Hipotireoidismo; 
8. Síndrome de Cushing (+++ Corticóides) 
9. HIV tratamento antiretrovirais. 
\u2022 Avalia o risco para desenvolvimento de doenças cardiovasculares; 
 
\u2022 Compõem principalmente as lipoproteínas de baixa densidade (LDL); 
 
\u2022 VR Colesterol Total: 
 <200mg/dL desejável; 
 200-239 levemente aumentado; 
 >240 alto. 
1. Hipercolesterolemia familiar; 
2. Aterosclerose; 
3. Síndrome nefrótica; 
4. Hipotireoidismo; 
5. Doenças colestáticas do fígado. 
\u2022 A concentração de colesterol pode 
ser influenciada por: 
a) dieta; 
b) exercícios físicos; 
c) idade; 
d) sexo; 
e) raça. 
LDL 
2013 
\u2022 Exames do perfil pancreático: 
\uf0fc Avaliam a função exócrina do pâncreas. 
1. Pancreatite Aguda; 
2. Carcinoma de Pâncreas; 
3. Insuficiência Renal; 
4. Neoplasias de pulmão e ovário; 
5. Caxumba; 
6. Colecistite aguda; 
7. Macroamilasemia. 
1. Pancreatite Aguda; 
2. Pancreatite Crônica; 
3. Carcinoma Pancreático; 
4. Úlceras Duodenais; 
5. Insuficiência Renal Aguda ou Crônica; 
6. Cálculos Biliares 
\u2022 Exames do perfil hepático: 
\uf0fc Avaliam alterações hepatocelulares e 
hepatobiliares; 
1. Hepatite aguda; 
2. Cirrose hepática; 
3. Colestase; 
4. Carcinoma de fígado; 
5. Esteatose hepática. 
 
1. Obstrução Extra-hepática; 
2. Obstrução Intra-hepática; 
3. Lesão hepatocelular aguda; 
4. Doença de Paget; 
5. Osteomalácia; 
6. Raquitismo; 
7. Hiperparatireoidismo; 
8. Tumores ósseos osteoblásticos. 
1. Icterícia obstrutiva; 
2. Colangite; 
3. Colecistite; 
4. Hepatite infecciosa ; 
5. Esteatose hepática (fígado gorduroso); 
6. Infarto agudo do miocárdio;