Sistema emissor de raio x   trab. fisica curso
1 pág.

Sistema emissor de raio x trab. fisica curso

Disciplina:Radiologia3.060 materiais32.618 seguidores
Pré-visualização1 página
Sistema emissor de raio- x
O sistema emissor de raios x, é constituído por:
- tubo (ampola) de raios x
- cápsula(carcaça ou cúpula) que o envolve
Componentes Internos:
- CATODO: responsável pela liberação dos elétrons.
- ANODO: alvo dos elétrons.

Tubo de raios x (Ampola)
é constituído por um vidro de pirex transparente, resistente ao calor, lacrado, e com vácuo formado no seu interior, onde são encontrado o catodo (pólo negativo) e o anodo (pólo positivo), posicionado a determinada distância um do outro, e soldados no corpo do tubo em posição axial oposta.
Existe também os chamados tubos combinados de vidro-metal e de metal-cerâmica , que possuem uma \u201cjanela\u201d, correspondente à parte do tubo sem metal, por onde emergem os raios x.

Carcaça (cúpula) que envolve
Corresponde a uma caixa metálica (duplo) revestido em inox 316 e internamente de chumbo. A cúpula possui as funções de proteção mecânica e elétrica do tubo. 
Dissipação de calor: Ocorre pelo contrato do tubo com o óleo, e pelo contato da cápsula.

Catodo (negativo)
O catodo tem duas partes: o filamento e a copa focalizadora(ou coletor eletrônico)
Ele é responsável pelo os elétrons, que irão se chocar no anódio produzindo raios x e calor. É constituído por um ou dois filamentos helicoidais de tungstênio, que suportam temperatura elevadas (acima de 2.000°C), e se localizam no interior de um \u201ccorpo raso\u201d denominado coletor eletrônico que possui a função de evitar a dispersão dos elétrons liberados e direcioná-los para a pequena área do anodo. A maioria dos tubos apresentam dois filamentos que possuem comprimentos diferentes e característica elétrica distintas (a maior está relacionado ao foco grosso e o menor, ao foco fino). 

Anodo (positivo)
O anódio é uma placa metálica de tungstênio, ou uma liga de tungstênio-rênio, ou molibdênio (mamógrafo), que possui uma angulação com eixos do tubo, e é capaz de suportar as altas temperaturas resultantes do choque dos elétrons oriundo do catódo. 
Tem como principais características:
Alto Ponto de Fusão
Alta Taxa de dissipação de calor
Alto Número Atômico.
Funções:
Condutor elétrico.
Proporcionar apoio ao alvo
Dissipar calor.
Tipos de anódio: O anódio pode ser de dois tipos:fixo (estacionário) ou giratório.

Anódio fixo: Possui o corpo de cobre na maioria das vezes com o ponto de impacto dos elétrons, denominado ponto focal, feito de Tungstênio. a Associação do Tungstênio com o cobre resulta em uma alta condutividade térmica, que dissipa muito bem o calor gerado.

Anódio giratório: 
É um disco (prato) feito de uma liga de Tungstênio-rênio. O movimento dele (a rotação)  é feito por um rotor localizado dentro do tubo de raio x no final do eixo do anódio. O rotor é acionado por um estator fora do tubo (dentro da cúpula).
O ponto de impacto dos elétrons (onde batem) no anódio giratório, se chama pista focal. Quanto maior o diâmetro do anódio, maior a pista focal e melhor distribuição de calor pelo anódio, facilitando seu resfriamento.
Resfriamento do anódio: Para evitar evaporação ou danos na superfície do anódio no ponto de impacto, devido à alta produção de calor gerada na frenagem dos elétrons, é imprescindível um resfriamento eficiente do anódio. Esse resfriamento pode ocorrer por irradiação e condução nos tubos de anódio fixo, ou apenas por irradiação, nos tubos de anódio giratório.
A quantidade de calor transferida ao anódio é medida em unidade de calor (KV) e da miliamperagem-segundo (mAs), calculada pela fórmula= (KV) x (mAs), onde:
uc=unidade de calor 
KV= quilovoltagem
mAs= miliamperagem-segundo.

Bibliografia:
https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/medicina/tubos-geradores-de-raios-x/35845
https://www.ebah.com.br/content/ABAAAfYFEAF/sistema-emissor-raios-x
http://tecnico-em-radiologia2011.blogspot.com/2011/11/sistema-emissor-de-raios-x.html
https://pt.slideshare.net/magnocavalheirofaria/aula-de-fsica-das-radiaes
Ramos, J. Radioatividade.Acessado em 16.12.03. Disponível em: http://atomico.no.sapo.pt/index.html
Portela, F.; Lichtenthäler Filho, R. Energia Nuclear. Acessado em 10.12.03. Disponível em: http//www.nuclear2000.hpg.com.br
Alvarenga, A. V. C. R. Radioatividade. Acessado em 10.12.03. Disponível em: http://br.geocities.com/radioativa_br/
Cardoso, Eliezer de Moura, Aplicações da Energia Nuclear- Apostila educativa, Comissão Nacional de Energia Nuclear, 1999
Cardoso, Eliezer de Moura, Radioatividade - Apostila educativa, Comissão Nacional de Energia Nuclear, 1999